Rock da barata

Pisei numa barata
Com o meu pé direito
Haha, haha, haha, haha, haha
Ela estava enchendo –
Era o único jeito!

Matei minha barata de estimação
Agora quando olho pro tapete
Dói, dói, dói, doi
Doi no coração!
Ahh!

Pisei numa barata
Com o meu pé direito
Haha, haha, haha, haha, haha
Ela estava enchendo –
Era o único jeito!

Pisei com tanta vontade
Depois me arrependi
Agora já é tarde
Matei, matei a pobre da Lili!
Ahh!

Pisei numa barata
Com o meu pé direito
Haha, haha, haha, haha, haha
Ela estava enchendo –
Era o único jeito!

Depois cheguei chorando
Pelo crime que cometi
Não se deve matar ninguém
Nem siquer uma barata que é cricri!
Ahh!

Pisei numa barata
Com o meu pé direito
Haha, haha, haha, haha, haha
Ela estava enchendo –
Era o único jeito!

Lili ficava me enchendo
Com perguntas sem parar
E eu só querendo
Ficar um minutinho sem pensar!
Ahh!

Pisei numa barata
Com o meu pé direito
Haha, haha, haha, haha, haha
Ela estava enchendo –
Era o único jeito!
AA!

Tem tanta maldade no mundo
Tem tanta saudade de amor
E cai num choro profundo
Quem carrega como eu alguma dor!
Ahh!

Pisei numa barata
Com o meu pé direito
Haha, haha, haha, haha, haha
Ela estava enchendo –
Era o único jeito!
AA!

Às vezes eu fico pensando
Como é estranho esse planeta
Se invez de uma barata
Lili fosse uma linda borboleta!
Ahh!

Pisei numa barata
Com o meu pé direito
Haha, haha, haha, haha, haha
Ela estava enchendo –
Era o único jeito!
Haha, haha, haha, haha, haha
Ela estava enchendo –
Era o único jeito!
Haha, haha, haha, haha, haha

Haha, haha, haha, haha, haha!

Coisa assassina

Se tá tudo dominado pelo amor
Então vai tudo bem, agora
Se tá tudo dominado
Quer dizer, drogado
Então vai tudo pro além
Antes da hora
Antes da hora

Maldita seja
Essa coisa assassina
Que se vende
Em quase toda esquina
E que passa por crença
Ideologia, cultura, esporte
E no entanto é só doença
Monotonia da loucura, e morte
Monotonia da loucura e morte

A Bandeira do Meu Partido

A bandeira do meu partido
é vermelha de um sonho antigo
cor da hora que se levanta
levanta agora, levanta aurora!

Leva a esperança, minha bandeira
tú és criança a vida inteira
toda vermelha, sem uma listra
minha bandeira que é socialista!

Estandarte puro, da nova era
que todo mundo espera, espera
coração lindo, no céu flutuando
te amo sorrindo, te amo cantando!

Mas a bandeira do meu Partido
vem entrelaçada com outra bandeira
a mais bela, a primeira
verde-amarela, a bandeira brasileira.

Super Mulher

Olha, ela fala, ela canta, ela grita, ela zanza
Ela tem aquela transa
Que eu não digo com quem é
Ela tem o rebolado
Tem o corpo tatuado
De uma figa da Guiné

Ela tem uma coleção
De animais bem perigosos
De animais muito orgulhosos
Lá da Arca de Noé
Ela tem uma pantera
Que ela arrasta na coleira
Ela gosta dessa fera
Pois é grande feiticeira
E seduz os corações

Super-Mulher
Super-Mulher
É de capa voadora
Domadora de Leões

Lágrimas Negras

Na frente do cortejo
O meu beijo
Forte como o aço
Meu abraço
São poços de petróleo
A luz negra dos seus olhos
Lágrimas negras caem, saem, dóem

Por entre flores e estrelas
Você usa uma delas como brinco
Pendurada na orelha
Astronauta da saudade
Com a boca toda vermelha
Lágrimas negras caem, saem, dóem
São como pedras de moinhos
Que moem, roem, moem
E você baby vai, vem, vai
E você baby vem, vai, vem

Belezas são coisas acesas por dentro
Tristezas são belezas apagadas pelo sofrimento
Lágrimas negras caem, saem, doem