Lá vem o sol (Here Comes The Sun)

Lá vem o Sol 
Lá vem o Sol, eu já sei 
Tá legal

Minha linda 
Foi um inverno tão comprido 
Minha linda 
Faz eras que você partiu

Lá vem o Sol 
Lá vem o Sol, eu já sei 
Tá legal

Minha linda 
O riso retornando às bocas 
Minha linda 
Tem sido raramente assim

Lá vem o Sol 
Lá vem o Sol, eu já sei 
Tá legal

Sol, Sol, Sol 
Sol, Sol, Sol 
Sol, Sol, Sol 
Temporão 
Sol, Sol, Sol 
Brilha então

Minha linda 
O velho gelo derretendo 
Minha linda 
Não, nunca mais volte a partir

Lá vem o Sol 
Lá vem o Sol, eu já sei 
Tá legal

Lá vem o Sol 
Lá vem o Sol, eu já sei 
Tá legal

Tá legal

De repente, Califórnia

Garota, eu vou pra Califórnia
Viver a vida sobre as ondas
Vou ser artista de cinema
O meu destino é ser star

O vento beija meus cabelos
As ondas lambem minhas pernas
O sol abraça o meu corpo
Meu coração canta feliz

Eu dou a volta, pulo o muro
Mergulho no escuro
Sarto de banda
Na Califórnia é diferente, irmão
É muito mais do que um sonho

A vida passa lentamente
E a gente vai tão de repente
Tão de repente que não sente
Saudades do que já passou

Eu dou a volta, pulo o muro
Mergulho no escuro
Sarto de banda
Na minha vida ninguém manda, não
Eu vou além desse sonho

Garota, eu vou pra
Califórnia
Viver a vida sobre as ondas
Vou ser artista de cinema
O meu destino é ser star

Tudo bem

Já não tenho dedos pra contar
De quantos barrancos despenquei
E quantas pedras me atiraram
Ou quantas atirei
Tanta farpa, tanta mentira
Tanta falta do que dizer
Nem sempre é “so easy” se viver

Hoje eu não consigo mais me lembrar
De quantas janelas me atirei
E quanto rastro de incompreensão
Eu já deixei
Tantos bons quanto maus motivos
Tantas vezes desilusão
Quase nunca a vida é um balão

Mas o teu amor me cura
De uma loucura qualquer
É encostar no seu peito
E se isso for algum defeito
Por mim tudo bem
Tudo bem

Hoje eu não consigo mais me lembrar
De quantas janelas me atirei
E quanto rastro de incompreensão
Eu já deixei
Tantos bons quanto maus motivos
Tantas vezes desilusão
Quase nunca a vida é um balão

Mas o teu amor me cura
De uma loucura qualquer
É encostar no seu peito
E se isso for algum defeito
Por mim tudo bem
Tudo bem, tudo bem

Adivinha o quê

Ainda lembro aquela noite
Só porque eu cheguei mais tarde
Ainda arde a lembrança de te ver
Ali, tão contrariada

Meu bem, meu bem
Será que você não vê
Não houve nada
Só o passado rondando minha porta
Feito alma penada

Você vive me dizendo
Que o pecado mora ao lado
Por favor, não entra nessa
Porque, um dia, ainda te explico direito

Eu sei, eu sei
Que esse caso tá meio mal contado
Mas você pode ter certeza
Nosso amor é quase sempre perfeito

Porque eu só faço com você
Só quero com você
Só gosto com você
Adivinha o quê

Porque eu só faço com você (só faço com você)
Só quero com você (só quero com você)
Só gosto com você
Adivinha o quê

Mas eu só faço com você (só faço com você)
Só quero com você (só quero com você)
Só gosto com você
Adivinha o quê

Ainda lembro aquela noite
Só porque eu cheguei mais tarde
Ainda arde a lembrança de te ver
Ali, tão contrariada

Meu bem, meu bem
Será que você não vê
Não houve nada, nada
Só o passado rondando minha porta
Feito alma penada

Porque eu só faço com você (só faço com você)
Só quero com você (só quero com você)
Só gosto com você (o quê?)
Adivinha o quê

Porque eu só faço com você (só faço com você)
Só quero com você (só quero com você)
Só gosto com você (o quê?)
Adivinha o quê

Porque eu só faço com você (só faço com você)
Só quero com você (só quero com você)
Só gosto com você (é o quê?)
Adivinha o quê

Porque eu só faço com você (só faço com você)
Só quero com você (só quero com você)
Só gosto com você (o quê?)
Adivinha o quê

Sereia

Clara como a luz do sol
Clareira luminosa nessa escuridão
Bela como a luz da lua
Estrela do oriente nesses mares do sul
Clareira azul no céu
Na paisagem
Será magia, miragem, milagre
Será mistério

Clara como a luz do sol
Clareira luminosa
Nessa escuridão
Bela como a luz da lua
Estrela do oriente
Nesses mares do sul
Clareira azul no céu
Na paisagem
Será magia, miragem, milagre
Será mistério

Prateando horizontes
Brilham rios, fontes
Numa cascata de luz
No espelho dessas águas
Vejo a face luminosa do amor
As ondas vão e vem
E vão e são como o tempo

Luz do divinal querer
Seria uma sereia
Ou seria só
Delírio tropical, fantasia
Ou será um sonho de criança
Sob o sol da manhã

Clara como a luz do sol
Clareira luminosa
Nessa escuridão, hum! hum!
Bela como a luz da lua
Estrela do oriente
Nesses mares do sul
Clareira azul no céu
Na paisagem
Será magia, miragem, milagre
Será mistério

Prateando horizontes
Brilham rios, fontes
Numa cascata de luz
No espelho dessas águas
Vejo a face luminosa do amor
As ondas vão e vem
E vão e são como o tempo

Luz do divinal querer
Seria uma sereia
Ou seria só
Delírio tropical, fantasia
Ou será um sonho de criança
Sob o sol da manhã

Lua de mel

Lua de mel
Ma-ma-mamãe
Eu tô em lua de mel
Eu tô morando
Num pedaço do céu
Como o diabo gosta!

Todo delito
Doce deleite
Todo desfrute
Tem permissão
Tudo que der prazer
Tentação

O dia inteiro
Nadar no mar
Banco de areia
Imensidão
Tarde desmaia
Nossa canção

Que diz

Lua de mel
Ma-ma-mamãe
Eu tô em lua de mel
Eu tô morando
Num pedaço do céu
Como o diabo gosta!

Da vida eu já conheço
A dor de não poder
Viver como eu queria
Mas uma coisa eu posso
E quando quero canto
E canto:

Lua de mel

Tudo com voce

Quero te conquistar
Um pouco mais e mais
A cada dia
Satisfazer tua vontade
Também me sacia

Vem me hipnotizar
No alto andar, luar
Me acaricia
Posso morrer de amor
Que ninguém desconfia

Eu quero tudo com você
Que só sabe viver
Sabe cantar
Não vá pra Nova York
Amor, não vá
Eu quero tudo com você, não vá
Não vá, eu quero tudo com você, não vá

Vem me hipnotizar
No alto andar, luar
Me acaricia
Posso morrer de amor
Que ninguém desconfia

Quero te conquistar
Um pouco mais e mais
A cada dia
Satisfazer tua vontade
Também me sacia

Foi mais profundo por você
Fez chorar mas fez chover
Pare de sonhar
Não vá para Nova York
Amor, não vá
Eu quero tudo com você, não vá

Um pro outro

Foi bom te ver de novo aqui
A gente tinha mesmo tanta razão pra seguir
Fora o som dessa guitarra
A voz sempre rouca
E o coração na mão

Surpresa certa te encontrar
A tua onda pega bem mesmo em qualquer lugar
Até na esquina do pecado
O que for da vida não nos deterá

Nós somos feitos um pro outro
Pode crer
Por isso é que eu estou aqui
E não há lógica que faça desandar
O que o acaso decidir

Tanta certeza no olhar
Tamanha pressa de chegar a nenhum lugar
Só pra ter a sensação
De que a vida passa assim como um tufão

Nós somos feitos um pro outro
Pode crer
Por isso é que eu estou aqui
E não há lógica que faça desandar
O que o acaso decidir

Deixa isso pra lá

Hi! Deixa que digam
Que pensem, que falem
Deixa isso prá lá
Vem pra cá
O que é que tem?
E eu não tô fazendo nada
Nem você também
Faz mal bater um papo
Assim gostoso com alguém?
Eu disse deixe

Hi! Deixa que digam
Que pensem, que falem
Deixa isso pra lá
Vem pra cá
O que é que tem?
E eu não tô fazendo nada
Nem você também
Faz mal bater um papo
Assim gostoso com alguém?
Eu disse deixe

Hi! Deixa que digam
Que pensem, que falem
Deixa isso pra lá
Vem pra cá
O que é que tem?
Não tô fazendo nada
Você também
Faz mal bater um papo
Assim gostoso com alguém?

Vai, vai, por mim
Balanço de amor é assim
Mãozinhas com mãozinhas
Pra lá
Beijinhos com beijinhos
Pra cá
Oh! Oh! Oh!

Vem balançar
Amor é balanceio, meu bem
Só vai no meu balanço
Quem tem
Carinho para dar
Carinho para dar

Vem!
Hi! Deixa que digam
Que pensem, que falem
Deixa isso pra lá
Vem pra cá
O que é que tem?
Não tô fazendo nada
Você também
Faz mal bater um papo
Assim gostoso com alguém?

Eu disse:
Deixa que digam
Que pensem, que falem
Deixa isso pra lá
Vem pra cá
O que é que tem?
Não tô fazendo nada
Você também
Faz mal bater um papo
Assim gostoso com alguém?

Deixa que digam
Que pensem, que falem
Deixa isso pra lá
Vem pra cá
O que é que tem?
Não tô fazendo nada
Você também
Faz mal bater um papo
Assim gostoso com alguém?

Eu disse:
Deixa que digam
Que pensem, que falem
Deixa isso pra lá
Vem pra cá
O que é que tem?
Não tô fazendo nada
Você também
Faz mal bater um papo
Assim gostoso com alguém?

Vai, vai, por mim
Balanço de amor é assim
Mãozinhas com mãozinhas
Pra lá
Beijinhos com beijinhos
Pra cá
Oh! Oh! Oh!

Vem balançar
Amor é balanceio, meu bem
Só vai no meu balanço
Quem tem
Carinho para dar
Carinho para dar

Vai, vai, por mim
Balanço de amor, é assim
Mãozinhas com mãozinhas
Pra lá
Beijinhos com beijinhos
Pra cá
Oh! Oh! Oh!

Vem balançar
Amor é balanceio, meu bem
Só vai no meu balanço
Quem tem
Carinho para dar
Carinho para dar

Tão Bem

Ela me encontrou
Eu tava por aí
Num estado emocional tão ruim
Me sentindo muito mal
Perdido, sozinho
Errando de bar em bar
Procurando não achar
Ela demonstrou tanto prazer
De estar em minha companhia
Eu experimentei uma sensação
Que até então não conhecia
De se querer bem
De se querer quem se tem
E ela me faz tão bem
Ela me faz tão bem
Que eu também quero
Fazer isso por ela
Ela me encontrou
Eu tava por aí
Num estado emocional tão ruim
Me sentindo muito mal
Perdido, sozinho
Errando de bar em bar
Procurando não achar
Ela demonstrou tanto prazer
De estar em minha companhia
Eu experimentei uma sensação
Que até então não conhecia
De se querer bem
De se querer quem se tem
E ela me faz tão bem
Ela me faz tão bem
Que eu também quero
Fazer isso por ela

Continue lendo

Assim Caminha A Humanidade

Ainda vai levar um tempo
Pra fechar o que feriu por dentro
Natural que seja assim
Tanto pra você quanto pra mim

Ainda leva uma cara
Pra gente poder dar risada
Assim caminha a humanidade
Com passos de formiga e sem vontade

Não vou dizer que foi ruim
Também não foi tão bom assim
Não imagine que te quero mal
Apenas não te quero mais

Não te quero mais
Não mais
Nunca mais

Continue lendo

A Força do Destino

Hoje fazem 20 anos
Que eles se encontraram
Num arrasta! Oh, oh, ah, ah!
Com som de vitrola a pilha
Cuba-libre, hi-fi e gim-tônica
Oh, oh, ah, ah!

Fulminante neste instante
O encontro que se deu
E ali no meio do arrasta
Uma chama ardeu

E eles se amavam tanto
Quanto, achavam, ninguém mais ousou, ah, ah, oh, oh!
E que neste ou noutro mundo
Nada é maior que seu amor
Ah, ah, oh, oh!

E fizeram tantos planos
Para mais adiante
De abandonar aquela vida
Por um mundo grande
E até hoje falam nisso
Sem sequer notar
Com as mesmas pessoas
No mesmo lugar

Só ninguém sabe explicar
Onde anda aquela chama
Só ninguém lhes respondeu
O que é que se perdeu

Continue lendo

A Coisa Certa

Quero lhe oferecer o meu presente
Tomara que você aceite, que fique contente
Então rasgue o embrulho simplesmente
Depois me diga baby
O que é que você sente

Todo mundo deveria oferecer
Acho mesmo que é a coisa certa
Todo mundo deveria dar e receber
Presentes mísseis de significados

Mas se por ventura não for do seu agrado
Sempre se pode trocar
Portanto guarde com cuidado
Ninguém jamais enjoaria de um presente
Pois todo dia haveria um novo diferente

Todo mundo deveria oferecer
Acho mesmo que é a coisa certa
Todo mundo deveria dar e receber
Presentes mísseis de significados

Todo mundo deveria oferecer
Acho mesmo que é a coisa certa
Todo mundo deveria dar e receber
Presentes mickey de significados

Continue lendo

Como Uma Onda

Nada do que foi será
De novo do jeito
Que já foi um dia
Tudo passa
Tudo sempre passará…

A vida vem em ondas
Como um mar ah! ah!
Num indo e vindo
Infinito…

Tudo que se vê não é
Igual ao que a gente
Viu há um segundo
Tudo muda o tempo todo
No mundo…

Não adianta fugir
Nem mentir prá si mesmo
Agora!
Há tanta vida lá fora
Aqui dentro
Sempre!…

Como uma onda no mar
Como uma onda no mar
Como uma onda no mar
Como uma onda no…

Nada do que foi será
De novo do jeito
Que já foi um dia
Tudo passa
Tudo sempre passará…

A vida vem em ondas
Como um mar ah! ah!
Num indo e vindo
Infinito…

Tudo que se vê não é
Igual ao que a gente
Viu há um segundo
Tudo muda o tempo todo
No mundo…

Não adianta fugir
Nem mentir prá si mesmo
Agora!
Há tanta vida lá fora
Aqui dentro
Sempre!…

Como uma onda no mar
Como uma onda no mar
Como uma onda no mar
Como uma onda no mar
Como uma onda no mar
Como uma onda no mar
Como uma onda no mar…
Continue lendo

O Último Romântico

Faltava abandonar a velha escola
Tomar o mundo feito coca-cola
Fazer da minha vida sempre
O meu passeio público
E ao mesmo tempo fazer dela
O meu caminho só
Por enquanto!…

Talvez eu seja
O último romântico
Dos litorais
Desse Oceano Atlântico…

Só falta reunir
A zona norte à zona sul
Iluminar a vida
Já que a morte cai do azul…

Só falta te querer
Te ganhar e te perder
Falta eu acordar
Ser gente grande
Prá poder chorar…

Me dá um beijo, então
Aperta a minha mão
Tolice é viver a vida
Assim, sem aventura…

Deixa ser
Pelo coração
Se é loucura então
Melhor não ter razão…

Só falta te querer
Te ganhar e te perder
Falta eu acordar
Ser gente grande
Prá poder chorar…

Me dá um beijo, então
Aperta a minha mão
Tolice é viver a vida
Assim, sem aventura…

Deixa ser
Pelo coração
Se é loucura então
Melhor nem ter razão…

Me dá um beijo, então
Aperta a minha mão
Tolice é viver a vida
Assim, sem aventura…

Deixa ser
Pelo coração
Se é loucura então
Melhor não ter razão…

Oh! Oh! Oh! Oh! Oh!

Continue lendo

Tempos Modernos

Eu vejo a vida
Melhor no futuro
Eu vejo isso
Por cima de um muro
De hipocrisia
Que insiste
Em nos rodear…

Eu vejo a vida
Mais clara e farta
Repleta de toda
Satisfação
Que se tem direito
Do firmamento ao chão…

Eu quero crêr
No amor numa bôa
Que isso valha
Prá qualquer pessoa
Que realizar, a força
Que tem uma paixão…

Eu vejo um novo
Começo de era
De gente fina
Elegante e sincera
Com habilidade
Prá dizer mais sim
Do que não, não, não…

Hoje o tempo voa amor
Escorre pelas mãos
Mesmo sem se sentir
Não há tempo
Que volte amor
Vamos viver tudo
Que há prá viver
Vamos nos permitir…

Eu quero crêr
No amor numa bôa
Que isso valha
Prá qualquer pessoa
Que realizar, a força
Que tem uma paixão…

Eu vejo um novo
Começo de era
De gente fina
Elegante e sincera
Com habilidade
Prá dizer mais sim
Do que não…

Hoje o tempo voa amor
Escorre pelas mãos
Mesmo sem se sentir
E não há tempo
Que volte amor
Vamos viver tudo
Que há prá viver
Vamos nos permitir…

E não há tempo
Que volte amor
Vamos viver tudo
Que há prá viver
Vamos nos permitir…

Continue lendo

A Cura

Existirá
Em todo porto tremulará
A velha bandeira da vida
Acenderá
Todo farol iluminará
Uma ponta de esperança

E se virá
Será quando menos se esperar
Da onde ninguém imagina
Demolirá
Toda certeza vã
Não sobrará
Pedra sobre pedra

Enquanto isso
Não nos custa insistir
Na questão do desejo
Não deixar se extinguir
Desafiando de vez a noção
Na qual se crê
Que o inferno é aqui

Existirá
E toda raça então experimentará
Para todo mal
A cura

Existirá
Em todo porto se estiará
A velha bandeira da vida
Acenderá
Todo farol iluminará
Uma ponta de esperança

E se virá
Será quando menos se esperar
Da onde ninguém imagina
Demolirá
Toda certeza vã
Não sobrará
Pedra sobre pedra

Enquanto isso
Não nos custa insistir
Na questão do desejo
Não deixar se extinguir
Desafiando de vez a noção
Na qual se crê
Que o inferno é aqui

Existirá
E toda raça então experimentará
Para todo mal
A cura

Continue lendo

Toda Forma de Amor

Eu não pedi pra nascer
Eu não nasci pra perder
Nem vou sobrar de vítima
Das circunstâncias
Eu tô plugado na vida
Eu tô curando a ferida
Às vezes eu me sinto
Uma mola encolhida

Você é bem como eu
Conhece o que é ser assim
Só que dessa história
Ninguém sabe o fim
Você não leva pra casa
E só traz o quer
Eu sou seu homem
Você é minha mulher

E a gente vive junto
E a gente se dá bem
Não desejamos mal a quase ninguém
E a gente vai à luta
E conhece a dor
Consideramos justa
Toda forma de amor

Continue lendo

Certas Coisas

Não existiria som
Se não houvesse o silêncio
Não haveria luz
Se não fosse a escuridão
A vida é mesmo assim,
Dia e noite, não e sim…

Cada voz que canta o amor não diz
Tudo o que quer dizer,
Tudo o que cala fala
Mais alto ao coração.
Silenciosamente eu te falo com paixão…

Eu te amo calado,
Como quem ouve uma sinfonia
De silêncios e de luz.
Nós somos medo e desejo,
Somos feitos de silêncio e som,
Tem certas coisas que eu não sei dizer…

A vida é mesmo assim,
Dia e noite, não e sim…

Eu te amo calado,
Como quem ouve uma sinfonia
De silêncios e de luz,
Nós somos medo e desejo,
Somos feitos de silêncio e som,
Tem certas coisas que eu não sei dizer…
E digo.

Continue lendo

Um Certo Alguém

Quis evitar teus olhos
Mas não pude reagir
Fico à vontade, então
Acho que é bobagem
A mania de fingir
Negando a intenção (faça não)
Quando um certo alguém
Cruzou o teu caminho
E te mudou a direção
Chego a ficar sem jeito
Mas não deixo de seguir
A tua aparição
Quando um certo alguém
Desperta o sentimento
É melhor não resistir
E se entregar
Me dê a mão, vem ser a minha estrela
Complicação tão fácil de entender
Vamos dançar, luzir a madrugada
Inspiração pra tudo que eu viver…

Continue lendo

Apenas Mais Uma De Amor

Eu gosto tanto de você
Que até prefiro esconder
Deixo assim ficar
Subentendido

Como uma idéia que existe na cabeça
E não tem a menor obrigação de acontecer

Eu acho tão bonito
Isto de ser abstrato baby
A beleza mesmo tão fugaz

É uma idéia que existe na cabeça
E não tem a menor pretensão de acontecer

Pode até parecer fraqueza
Pois que seja fraqueza então,
A alegria que me dá
Isso vai sem eu dizer

Se amanhã não for nada disso
Caberá só a mim esquecer
O que eu ganho, o que eu perco
Ninguém precisa saber

Eu gosto tanto de você
Que até prefiro esconder
Deixo assim ficar
Subentendido

É uma idéia que existe na cabeça
E não tem a menor pretensão de acontecer

Pode até parecer fraqueza
Pois que seja fraqueza então,
A alegria que me dá
Isso vai sem eu dizer

Se amanhã não for nada disso
Caberá só a mim esquecer
E eu vou sobreviver…
O que eu ganho, o que eu perco
Ninguém precisa saber

Continue lendo

Cachimbo da Paz

A criminalidade toma conta da cidade
A sociedade põe a culpa nas autoridades
Um cacique oficial viajou pro Pantanal
Porque aqui a violência tá demais
E lá encontrou um velho índio que usava um fio dental
E fumava um cachimbo da paz
O presidente deu um tapa no cachimbo e na hora
De voltar pra capital ficou com preguiça
Trocou seu paletó pelo fio dental e nomeou
O velho índio pra ministro da justiça
E o novo ministro chegando na cidade,
Achou aquela tribo violenta demais
Viu que todo cara-pálida vivia atrás das grades
E chamou a TV e os jornais
E disse: “Índio chegou trazendo novidade
Índio trouxe o cachimbo da paz

Maresia, sente a maresia
maresia, uuu…
Apaga a fumaça do revólver, da pistola
Manda a fumaça do cachimbo pra cachola
Acende, puxa, prende, passa
Índio quer cachimbo, índio quer fazer fumaça

Todo mundo experimenta o cachimbo da floresta
Dizem que é do bom, dizem que não presta
Querem proibir, querem liberar
E a polêmica chegou até o congresso
Tudo isso deve ser pra evitar a concorrência
Porque não é Hollywood mas é o sucesso
O cachimbo da paz deixou o povo mais tranqüilo
Mas o fumo acabou porque só tinha oitenta quilos
E o povo aplaudiu quando o índio partiu pra selva
E prometeu voltar com uma tonelada
Só que quando ele voltou “sujou”!!!
A polícia federal preparou uma cilada
“O cachimbo da paz foi proibido, entra na caçamba vagabundo!
Vamô pra DP! Ê êê! Índio tá fugindo porque lá o pau
Vai comer!”

Maresia, sente a maresia
maresia, uuu…
Apaga a fumaça do revólver, da pistola
Manda a fumaça do cachimbo pra cachola
Acende, puxa, prende, passa
Índio quer cachimbo, índio quer fazer fumaça

Na delegacia só tinha viciado e delinquente
Cada um com um vício e um caso diferente
Um cachaceiro esfaqueou o dono do bar porque ele
Não vendia pinga fiado
E um senhor bebeu uísque demais, acordou com um travestí
E assassinou o coitado
Um viciado no jogo apostou a mulher, perdeu a aposta
E ela foi sequestrada
Era tanta ocorrência, tanta violência que o índio
Não tava entendendo nada
Ele viu que o delegado fumava um charuto fedorento
E acendeu um “da paz” pra relaxar
Mas quando foi dar um tapinha
Levou um tapão violento e um chute naquele lugar
Foi mandado pro presídio e no caminho assistiu um
Acidente provocado por excesso de cerveja:
Uma jovem que bebeu demais atropelou
Um padre e os noivos na porta da igreja
E pro índio nada disso faz sentido
Com tantas drogas porque só o seu cachimbo é proibido?

Maresia, sente a maresia
maresia, uuu…
Apaga a fumaça do revólver, da pistola
Manda a fumaça do cachimbo pra cachola
Acende, puxa, prende, passa
Índio quer cachimbo, índio quer fazer fumaça

Na penitenciária o “índio fora da lei”
Conheceu os criminosos de verdade
Entrando, saindo e voltando cada vez mais
Perigosos pra sociedade, aí, cumpádi, tá rolando
Um sorteio na prisão pra reduzir a super lotação
Todo mês alguns presos tem que ser executados
E o índio dessa vez foi um dos sorteados
E tentou acalmar os outros presos:
“Peraí…, vamo fumar um cachimbinho da paz
Eles começaram a rir e espancaram o velho índio
Até não poder mais e antes de morrer ele pensou:
“Essa tribo é atrasada demais…
Eles querem acabar com a violência,
mas a paz é contra a lei e a lei é contra a paz”
E o cachimbo do índio continua proibido mas se você quer comprar é mais fácil que pão
Hoje em dia ele é vendido pelos mesmos bandidos que mataram O velho índio na prisão

Maresia, sente a maresia
maresia, uuu…
Apaga a fumaça do revólver, da pistola
Manda a fumaça do cachimbo pra cachola
Acende, puxa, prende, passa
Índio quer cachimbo, índio quer fazer fumaça

Maresia, sente a maresia
maresia, uuu…
Apaga a fumaça do revólver, da pistola
Sente a marisia
Índio quer cachimbo, índio quer fazer fumaça
Apaga a fumaça do revólver, da pistola
Sente a marisia, acende, puxa, prende, passa, uuu…
Apaga a fumaça do revólver, da pistola

Continue lendo