Jorge Mautner, Nelson Jacobina

Rock comendo cereja

Tem desejo de amor
Até mesmo na flor e na planta
E na voz de quem fala
E na voz de quem canta
Seja como seja
É tão bom quando você me beija
Beijo seus olhos caídos
Por entre as latas de cerveja
Piso na sombra às vezes
Quando quero que ninguém me veja
Volto pro meu quarto à meia-noite
Fico sozinho, ouço rock comendo cereja
São pirilampos as luzes
Dentro desse apartamento
Viva a vida querida
Aqui, agora, nesse momento
Adonai hosana saravá axé-kolofé

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>