Homem Amarelo

O Rappa

Compositor(a) da letra: Marcelo Yuka, Marcelo Falcão, Xandão, Marcelo Lobato e Lauro Farias

Álbum da letra: Lado B, lado A

Ano de lançamento: 1999

O Homem Amarelo do Samba do Morro
Do Hip Hop do Santa Marta
Agarraram um louro na descida da ladeira
Malandro da baixada em terra estrangeira

A salsa cubana do negro oriental
Já é ouvida na central
Que pega o buzum, que fala outra língua
Reencontra subúrbios e esquinas

É o comando em mesa de vidro
Que não enumera o bandido
Eu e minha tribo
Brincando nos terreiros
Eu e minha tribo
Nos terreiros do mundo
Só misturando pra ver no que vai dar
Só misturando pra ver no que vai dar
Só misturando pra ver no que vai dar

0 comentário sobre “Homem Amarelo

  • Jamilly Monteiro disse:

    A música basicamente fala sobre o fato de sermos todos iguais, e o autor procura misturas as idéias de cada etnia na música.

    ” O Homem Amarelo do Samba do Morro
    Do Hip Hop do Santa Marta
    Agarraram um louro na descida da ladeira
    Malandro da baixada em terra estrangeira”

    Não se espera um ‘homem amarelo’ num samba do morro; ou um ‘louro’ sendo agarrado na descida da ladeira.. O autor inverte os papéis.

    “A salsa cubana do negro oriental
    Já é ouvida na central
    Que pega o buzum, que fala outra língua
    Reencontra subúrbios e esquinas”

    Aqui ele já mistura a idéia de povos.. Salsa cubana, negro oriental?
    Querendo nos mostrar que o Brasil ( a central ) abriga na verdade, uma mistura de povos e etnias que só o nosso país tem.

    Afinal, só misturando pra ver no que vai dar.

    17
    2
  • Patrick SUEIRO disse:

    TUDO QUER FALA NESSA MUSICA É QUE DEVEMOS ESQUEÇER A COR DA PELE E TRATAR AS PESSOAS PELO QUE SÃO E NÃO PELA RAÇA . E FALA DA MISTURA DE RAÇAS DO BRASIL .. YELLOW MAN HAHA

  • Rogério Garcia disse:

    Fala também do Juliano VP que é retratado no livro de Caco Barcelos O Abusado, traficante que era dono do morro Santa Marta, fugiu pra argentina, era descendente de japonês, foi pego no morro tingido de loiro e etc.

    10
    1
    • bruno goytaká disse:

      Aquele olho “japonês” dele é indígena. Muitos brasileiros que têm o apelido de “japão”, “china”, na verdade são indígenas. O Marcinho VP (do Dona Marta) era muito ligado à questão indígena, embora não vi ainda onde ele tenha falado diretamente sobre isso. Ele era muito ligado ao Movimento Zapatista, por exemplo, que é um movimento indígena mexicano. Ele chegou a dizer que mais um tempo a frente as pessoas iriam acabar vendo ele dentro do exército zapatista.

  • Cássio disse:

    Vários comentários e apenas um correto.

    A música fala sobre o traficante, já falecido, Marcinho VP (chamado de Juliano VP no livro de Caco Barcelos – Abusado (o dono do Santa Marta).

    Quem leu o ótimo livro, diga-se, entende essa letra perfeitamente, pois consegue encaixar cada parte na história da vida do traficante. Como, por exemplo:

    “É salsa cubana do negro oriental, já é ouvida na central”: quer falar que houve uma revolução (salsa cubana) do Marcinho (que era um negro oriental, de olhos puxados, descendente de oriental e, por isso, homem amarelo). E por que ouvida na central? Porque Marcinho VP foi ouvido pela CPI do tráfico em Brasília, se posicionando muito bem e deixando perplexos muitos dos nossos parlamentares, verdadeiros bandidos.

    25
  • Fala principalmente da miscigenação, e que a pobreza não escolhe cor, na obra “O Homem amarelo” de Anitta que foi pintado em 1915 relatava um imigrante italiano em um subúrbio, a obra relata um olhar se desespero do mesmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>