Dois Barcos

Los Hermanos

16 comentários

Quem bater primeira dobra do mar
Dá de lá bandeira qualquer
Aponta pra fé e rema

É, pode ser que a maré não vire
Pode ser do vento vir contra o cais
E se já não sinto teus sinais
Pode ser da vida acostumar

Será, Morena?
Sobre estar só, eu sei

Nos mares por onde andei
Devagar dedicou-se, mas
O acaso a se esconder
E agora o amanhã, cadê?

Doce o mar, perdeu no meu cantar (x 2)

Só eu sei
Nos mares por onde andei
Devagar dedicou-se, mas
O acaso a se esconder
E agora o amanhã, cadê?




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 comentários para a letra “Dois Barcos

  1. Lucas disse:

    Pra mim essa é uma das letras mais bonitas dos los hermanos.
    aparentemente ele fala sobre um termino de relacionamento,que por mais que ele não quer que isso aconteça,
    “É, pode ser que a maré não vire
    Pode ser do vento vir contra o cais
    E se já não sinto teus sinais
    Pode ser da vida acostumar”
    ele pode se acostumar com isso.

    bem, essa é minha interpretação.

  2. Acredito que seja sim essa a interpretação, Ele esta ainda suscetível…
    “É, pode ser que a maré não vire
    Pode ser do vento vir contra o cais
    E se já não sinto teus sinais
    Pode ser da vida acostumar”
    …e ele também fala sobre ter se dedicado e não ter mais…
    “Nos mares por onde andei
    Devagar dedicou-se, mas
    O acaso a se esconder
    E agora o amanhã, cadê?”
    …O medo de não sentir mais aquele amor, e não se acostumar por mais que tente.
    “Doce o mar, perdeu no meu cantar”

    Bom como já se sabe é uma interpretação, assim vejo e assim encaro.

  3. Agnes disse:

    Um relacionamento que já há algum tempo que caminha pro fim:
    “Aponta pra fé e rema” ela quer terminar independente dos argumentos dele;
    “É, pode ser que a maré não vire” talvez realmente não haja solução a não ser eles terminarem;
    “E se já não sinto teus sinais” ele a sente cada vez mais distante;
    “Sobre estar só, eu sei” auto-explicativo;
    “E agora o amanhã, cadê?” os sonhos e planos que ele tinha para os dois também acabaram.
    Essa é a minha visão da música =)

  4. Bruno Oliveira disse:

    Na minha opinião, a idéia central é o vazio existencial que fica quando se encerra um ciclo da vida, o que faz gerar incertezas sobre o futuro. Pode ser um relacionamento que se encerra, um ente querido que falece, o final de uma etapa etc.
    A letra da música tem uma alta carga de simbolismo, e por isso, florescem diversas interpretações, mas a idéia central é a mesma.

  5. A primeira impressão que tenho desta música é a de haver dois caminhos a serem seguidos, por “dois barcos” que já não possuem mais a mesma direção. Um lado tentou continuar (dedicou-se mais), mas o acaso se encarregou de fazer com que a maré virasse pra outro, pois um relacionamento é composto por dois, é reciprocidade em tudo, tudo… e não era mais assim para um, por isso o fim, ou o início, (o amanhã, cadê?). Uma uma nova era, novos ventos a serem soprados, a serem desvendados, ainda que só.

  6. Osiris disse:

    Não consigo enxergar nessa letra nada relacionado a relacionamento amoroso. O eu lírico cita “Morena”, mas isso não quer dizer que ela faz parte de uma história. Entendo a música como sendo alguém falando sobre a vida e suas dificuldades. Fala de solidão, do esquecimento do ‘acaso’ e da falta de fé no futuro.

  7. Gabriel disse:

    A minha interpretaçao(que abrange toda a letra com alguma ordem) é a seguinte: O titulo “dois barcos” se faz interpretar, necessariamete, de duas maneiras: o casal representado num oceano sentimental, e as duas viagens que se faz na interpretaçao do texto que o segue.

    #DOBRA DO MAR- antes de colombo, era o q se julgava ser a cascata q desaguava no fim do mundo. Assim, dos dois, o que primeiro desbravasse a profundidade sentimental (tipicamente representada pelo oceano) do outro (“bater primeiro a dobra do mar” e nao “primeira dobra”! como se le aqui- no site oficial tem a letra correta), deveria dar de la “bandeira” e remar de volta ao cais (à pessoa amada)- Seria uma tarefa muito dificil, mas “pode ser q a mare nao vire”; “de o vento vir contra o cais” assim o acaso ajudaria o casal. E se ja nao sente os sinais (do barco-da pessoa)”pode ser da vida se acostumar” – A repetiçao de “pode ser” 3 vezes seguida de um “será” mostra a dedicaçao do acaso a se esconder- e aí vem outro erro dessa letra q diz “dedicou-se ‘mas'”. O correto: “dedicou-se ‘mais’ o acaso a se esconder” mostra o motivo de tantos “pode ser” e tanta duvida que cercava o mar naquele tempo e, comparativamente, q cerca a imensidao sentimental.
    Espero q alguem tenha lido até o final! pra mim é isso ai. vlw

  8. Cesar disse:

    Na minha opnião eles já planejaram antecipadamente a carreira solo marcelo e rodrigo ai foi um desabavo eao mesmo tempo uma boa sórte para eles mesmo no futuro proximo que na época nenhum tinha partido ainda.

  9. simone disse:

    Para mim a letra refere-se a um relacionamento fracassado. Quando ele cita “E se já não sinto teus sinais Pode ser da vida acostumar ” ele quer dizer que pode se acostumar com a ideia da ausência da pessoa.

  10. André disse:

    Essa letra é sensacional.

    Para mim, trata-se do término de um relacionamento. A partir de agora, dois barcos (duas pessoas) tomarão a sua direção.

    A música começa com “Quem bater primeiro a dobra do mar dá de lá bandeira qualquer, aponta pra fé e rema.” ou seja, trata-se de um pacto. Quem primeiro atravessar a deprê do fim do relacionamento, que dê um sinal e vai embora.
    Atravessar a dobra do mar significa romper uma barreira, que a princípio parece inatingível. (antigamente acreditava-se que o mundo não era esférico e que no fim do oceano havia uma grande cachoeira – a dobra do mar. Ninguém nunca tinha chegado até ela, por causa de tormentas e por causa das dificuldades de navegação.”

    Ele ainda fala, que pode ser que a deprê desse fim de relacionamento não passe. “pode ser que a maré não vire”(a maré que faz que ele saia das tormentas do mar sem fim e chegue na dobra) “pode ser do vento vir contra o cais” (trazendo-o de volta, indo contra o local onde ele gostaria de chegar, que é a dobra do mar)
    Mas, pode ser que “se já não sinto os seus sinais, pode ser da vida acostumar” mas isso é duvidoso. “será, morena?”

    E ele ainda diz, o que ele pensa sobre estar só. “sobre estar só, eu sei, nos mares por onde andei, devagar” (os mares que ele andou, foram as derpês de fim de relacionamento pelas quais ele já passou, foram devagar, ou seja, duraram um bom tempo, “dedicou-se mais o acaso a se esconder, e agora o amanhã, cadê?” fala da incerteza que é esse estado. Não se sabe o que vai acontecer, nem do tamanho da dificuldade que ele vai enfrentar nesse novo momento.

  11. Nei disse:

    Na realidade eu acredito que o sujeito tenta consolar essa “morena” que não é novidade nas letras do Camelo, ele tenta dizer para ela ser otimista.
    No inicio ele diz que “quem bater primeiro a dobra do mar” (Coisa “realizada” por Colombo com muito otimismo e ousadia)
    “Dá de lá bandeira qualquer” (não importa qual o barco, ou qual o “meio”)
    “aponta pra fé e rema”(seja sempre otimista).

    Em “É, pode ser que a maré não vire” (ele reforça que mesmo a sorte não virando ela deve continuar)
    “Pode ser do vento vir contra o cais”(mesmo com o vento contra, ela deve continuar)
    ”E se já não sinto teus sinais”(mesmo que ele não esteja próximo)
    Pode ser da vida acostumar( Pode ser que a vida se acostume com alguém pouco passivo, ou alguém otimista)
    Será, Morena?(ele coloca ela em dúvida, meio que provocando)

    No próximo momento ele fala um pouco das experiências dele
    “Sobre estar só, eu sei” (Ai ele fala que sabe como ela esta se sentindo)
    “Nos mares por onde andei” (ele começa a explicar sobre suas experiências)
    “Devagar dedicou-se, mas “ (tudo foi tranquilo, lento e dedicado)
    “O acaso a se esconder “ ( Mas tudo sempre foi igual, o “acaso” se escondeu)
    “E agora o amanhã, cadê? “ (e ele ficou triste igual a ela, sem ver um amanhã)
    “Doce o mar, perdeu no meu cantar” (O “mar” é como se fosse a vida ou experiências, e ele canta para conseguir ser otimista)

  12. Ana disse:

    Essa letra é sensacional.

    Para mim, trata-se do término de um relacionamento. A partir de agora, dois barcos (duas pessoas) tomarão a sua direção.

    A música começa com “Quem bater primeiro a dobra do mar dá de lá bandeira qualquer, aponta pra fé e rema.” ou seja, trata-se de um pacto. Quem primeiro atravessar a deprê do fim do relacionamento, que dê um sinal e vai embora.
    Atravessar a dobra do mar significa romper uma barreira, que a princípio parece inatingível. (antigamente acreditava-se que o mundo não era esférico e que no fim do oceano havia uma grande cachoeira – a dobra do mar. Ninguém nunca tinha chegado até ela, por causa de tormentas e por causa das dificuldades de navegação.”

    Ele ainda fala, que pode ser que a deprê desse fim de relacionamento não passe. “pode ser que a maré não vire”(a maré que faz que ele saia das tormentas do mar sem fim e chegue na dobra) “pode ser do vento vir contra o cais” (trazendo-o de volta, indo contra o local onde ele gostaria de chegar, que é a dobra do mar)
    Mas, pode ser que “se já não sinto os seus sinais, pode ser da vida acostumar” mas isso é duvidoso. “será, morena?”

    E ele ainda diz, o que ele pensa sobre estar só. “sobre estar só, eu sei, nos mares por onde andei, devagar” (os mares que ele andou, foram as derpês de fim de relacionamento pelas quais ele já passou, foram devagar, ou seja, duraram um bom tempo, “dedicou-se mais o acaso a se esconder, e agora o amanhã, cadê?” fala da incerteza que é esse estado. Não se sabe o que vai acontecer, nem do tamanho da dificuldade que ele vai enfrentar nesse novo momento.

    [2]

  13. Lucas disse:

    Antes de mais nada, acho que não há certo ou errado, cada um tem sua interpretação, essa é a beleza. Ao meu ver, a 1 estrofe considera o sucesso na separação, a 2 considera a continuação da relação “vento contra o cais” e mesmo sem sentir os sinais da mulher, a “vida *vai acostumar”.
    “Será morena” juntos após a tentativa de separação.
    4 estrofe: após tentar seguir, o acaso, novidade, se escondeu, não há amanhã, eles voltam e ficam juntos.
    5 estrofe, por melhor que possa ter sido a tentativa de seguir em frente “doce o mar” a dor foi maior, o sentimento pela morena persistiu.

    Ainda gosto de ouvir sem analisar…

  14. Gaby disse:

    para mim essa musica tem relação com a passagem bíblica de Jesus Sobre as Águas … tem muita relação com a história em sí , pois nessa passagem fala que Jesus andou sobre o mar isso fica claro na parte : ” Nos mares por onde andei / Devagar dedicou-se, mas
    O acaso a se esconder / E agora o amanhã, cadê?” , e quando ele fala : ” Aponta pra fé e rema … ” . Quando ele fala ” : ” Será morena ? ” ele esta perguntando para a a pessoa q está ouvindo ele contar a história , mas essa é só a minha opinião …

  15. Daniel disse:

    “Será morena” juntos após a tentativa de separação.
    4 estrofe: após tentar seguir, o acaso, novidade, se escondeu, não há amanhã, eles voltam e ficam juntos”

    muito bom.

    http://www.juventudeviana.net/