Zélia Duncan

Catedral (Cathedral Song)

No deserto que atravessei
Ninguém me viu passar
Estranho e só
Nem pude ver
Que o céu é maior
Tentei dizer
Mas vi você
Tão longe de chegar
Mas perto de algum lugar

é deserto onde eu te encontrei
Você me viu passar
Correndo só
Nem pude ver
Que o tempo é maior
Olhei pra mim
Me vi assim
Tão perto de chegar
Onde você não está

No silencio uma catedral
Um templo em mim
Onde eu possa ser imortal
mais vai existir
eu sei, vai ter que existir
Vai existir nosso lugar

Solidão
Quem pode evitar
Te encontro enfim
Meu coração é secular
Sonha e desagua dentro de mim
Amanhã, devagar
Me diz como voltar

Se eu disser,
que foi por amor
Não vou mentir pra mim
Se eu disser
deixa pra depois
não foi sempre assim
Tentei dizer…
mas vi você
tão longe de chegar
Mas perto de algum lugar

0 comentário sobre “Catedral (Cathedral Song)

  • Hilda papaléo Franco de Godoy disse:

    Essa música, ao meu ver, pode ser interpretada como uma época de sofrimento q o eu-lírico passou q ngm sentiu. Após, o eu-lírico se encontrou com uma profunda paz interior e conseguiu sair da tribulaçao… É um convite para uma segunda pessoa a se reerguer e buscar uma paz de catedral para sanar as tormentas da vida…

    24
    2
    • Antônio Lisboa disse:

      Essa música fala da dificuldade humana seguir na dependência de Deus, só no deserto onde nossa dependência dele é completa. Jesus passou pelo deserto, o povo hebreu passou pelo deserto, todos passarão pelo deserto, onde estaremos completamente na dependência de Deus, sem água, sem nada para alimentar, calor fustigante de dia e frio gélido à noite. Catedral representa a adoração a Deus encontrado no deserto. Uma boa música

      3
      3
  • Marianne disse:

    Essa música tem um cunho espirita em sua letra, podendo ser interpretada de outras maneiras. Espiritualmente falando, observamos a questão dos desencontros citado por uma pessoa desencarnada que deixou uma pessoa amada, a partida, a distancia se torna cada vez maior e o desencarnado não sabe quando e como voltar! cita também que tem um coração secular, ou seja, de outras vidas.

    20
    5
    • Acredito, pois sonhei com meu ex que faleceu em um acidente quando o esperava para passar a páscoa comigo e o filho dele com apenas 3 anos de idade na época. no sonho, ele cantava essa música pra mim, tocando um violão…. hj faz 2 anos do seu falecimento… e essa música marca minha vida após este sonho…

      8
      2
  • Ricardo Conti disse:

    eu queria saber si existe uma esplicaçáo do significado de parte da pessoa que escreveu essa letra, suponho que Zelia. Obrigado

  • Sandra Cristina de Carvalho disse:

    Essa música é bonita mas não diz nada com nada. O autor, ou a autora não quis dizer absolutamente nada, criou expressões com rimas e poéticas, apenas pra impressionar, mas nem ela mesma sabe o que quis dizer, ou se quis dizer alguma coisa. Foi uma música feita de pura doideira, que fez sucesso pela melodia e poesia do nada.

    12
    31
  • Silvânia disse:

    A letra da música Catedral,interpretada por Zélia Duncan,é muito clara.. porém dita em metáforas quando ela cita “O deserto que atravessei ninguém me viu passar…faz referência à situação que possa ter passado sozinha/deserto= solidão/deserto :lugar sem saída,sem solução/pode estar se referindo à sentimentos,problemas,etc.E no meio a tantos problemas”O céu é maior”_ uma força interior que nos impulsiona para a frente quando estamos nos sentindo e,ou passando algo assim.
    Ai..mas vi você…/alguém que ela encontrou e no sentido da música alguém difícil quase impossível/umdeserto,uma distância entre ambos..então ela confessa se eu disser que foi por amor..não vou mentir pra mim/então a viagem a este deserto foi por sentimento amoroso/O silêncio-como uma catedral(metáfora) onde compsra que o que sente é segredo…Silêncio pessoal./algo “imortal” secular..dos seres humanos/mas ainda esperançosa que chegou enfim perto de algum lugar,seu eu,seu coração/..me diz como vo9ltar.. ai se refere como voltar a vida normal..sair deste deserto..

    125
    2
  • Esmeralda disse:

    A pessoa que está num deserto está passando por um momento de seca espiritual, ela sente sede de Deus. A pessoa está tão distante de Deus que nem mesmo consegue enxergar a sua grandeza. Quando a pessoa pôde ver a grandeza ela pensou em dizer algo mas não pode, vendo que estava tão longe de chegar perto de algum lugar, a pessoa estava “perdida”.

    Na segunda estrofe: Quando a pessoa encontrou Deus, estava em um deserto, estava na correria da vida diária, nem via que Deus (o tempo) é maior do que aquelas coisas. Então, olhando o seu interior, percebeu estar tão perto de onde Deus não está.
    A pessoa passou a meditar, silenciando dentro de si, se transformou em um templo interior. Ou seja: encontrou Deus dentro de si mesma. “Onde eu possa ser imortal” quer dizer que com Deus a pessoa se torna imortal, o espírito não morre, e está disposta a perseverar em busca do seu lugar junto à Deus “vai existir nosso lugar”.

    A solidão (quem pode evitar?) é uma justificativa para os momentos em que se encontra só, mas logo vem o alento, “te encontro em fim”, a pessoa encontrou a Deus. Meu coração é secular quer dizer que a pessoa tem uma maturidade espiritual, a consciência, o espírito antigo (já reencarnou muitas vezes).

    Ela faz um pedido a Deus, amanhã (em cada amanhecer), aos poucos, me ensina como voltar – a pessoa quer voltar para sua casa, que é o lar divino, e pede a Deus que a ensine como alcançar a salvação, como voltar ao Reino Celestial.

    Quando ela diz:- Se eu disse que foi por amor, não vou mentir pra mim, ela está admitindo que está apredendo, se ligando a Deus, pela dor. dizem que o ser humano aprende ou pelo amor ou pela dor, neste caso ela está assumindo que se ligou a Deus diante das dificuldades (do deserto) que atravessava. Quando ela diz “se eu disse deixa pra depois, não foi sempre assim”, ela quer dizer que mesmo que ela deixe a caminhada espiritual para depois, ela já conhece já procurou a Deus, então, não foi sempre assim.

    16
    6
  • leticia disse:

    “O deserto
    Que atravessei
    Ninguém me viu passar”
    o deserto seria uma situação difícil e se não foi visto logo estava só e sofreu calado/silêncio/em segredo essas dificuldades.
    “Estranho e só
    Nem pude ver
    Que o céu é maior ”
    se dizer estranho seria declarar diferente/separado de todos e o eu lírico solitário não foi capaz de ver que há força/coisas maiores que ele/ a dificuldade/ situação ruim.
    “Tentei dizer
    Mas vi você
    Tão longe de chegar
    Mais perto de algum lugar ”
    ele falar ,algo provavelmente reclamar pois ele não tinha uma noção real das coisas, mas acabou vendo alguém mais perdido que ele.
    “É deserto
    Onde eu te encontrei
    Você me viu passar ”
    ainda em situação ou em durante uma situação complicada ele encontra essa pessoa e esta pessoa viu ele mas ele não a viu. Ele reforça várias vezes que esteve cego para o seu arredor.
    “Correndo só
    Nem pude ver
    Que o tempo é maior ”
    dentro da sua solidão e pressa o eu lírico não consegue ver e também não consegue perceber que as dificuldades(deserto) são menores que o tempo( tempo de vida/ vida) portanto inferiores.
    “Me vi assim
    Tão perto de chegar
    Onde você não está ”
    quando o narrador teve consciência que a vida era além do sofrer, e por isso( evolução de pensamento) agora perto de uma solução, ele viu que a outra pessoa não estaria ali no seu lugar de paz portanto estaria no deserto ainda.
    “No silêncio uma catedral
    Um templo em mim
    Onde eu possa ser imortal ”
    o silencio é a meditação e nela o eu lírico vive o sagrado, a paz, a busca pela sua alma …se tornar/conectar com a sua alma( a alma é imortal).
    “Mas vai existir
    Eu sei vai ter que existir
    Vai existir nosso lugar ”
    Embora ele esteja distante da pessoa X ele espera e acredita que vai encontra-la.
    “Solidão
    Quem pode evitar?
    Te encontro em fim ”
    no final do deserto já em seu bom lugar ele sente solidão o que é diferente de estar só.Segundo o eu lírico todos experimentam a solidão.
    “Meu coração
    É secular
    Sonha e desagua dentro de mim ”
    o eu lírico declara que o sua vida amorosa ( coração ) vive longos ciclos ( amor-desamor) platônicos que existem e acabam( desaguar destino final de águas) em silêncio/segredo dentro dele .
    “amanhã
    Devagar
    Me diz como voltar ”
    ele quer voltar ao deserto abandonar a solidão, mas não hoje, não de imediato! quer calmamente aos poucos descobrir/ter motivação para buscar um relacionamento e a solidão vai o direcionar novamente a deserto(risco/desconforto).
    “Se eu disser que foi por amor
    Não vou mentir pra mim
    Se eu disser deixa pra depois
    Não foi sempre assim”
    no deserto em busca da pessoa X ele não pode dizer que ama essa pessoa mas também não pode ficar longe dela pois ele não se sente( tem esses sentimentos) assim sempre.
    “Tentei dizer
    Mas vi você
    Tão longe de chegar
    Mais perto de algum lugar”
    mas ao tentar se declarar/ entrar na vida da pessoa ele a vê imersa e focada nos problemas (deserto) similar a ele no inicio da canção (sem conseguir ela pois lá diz que ela viu ele)o tempo dele entrar na vida dela passou

    15

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>