Faça o download do App do Análise de Letras para Android! É grátis!
A


B


C


D


E


F


G


H


I


J


K


L


M


N


O


P


Q


R


S


T


U


V


W


X


Y


Z


Últimos comentários

Claramente a letra tem dois sentidos.... Um é um pai pedófilo que quer sexo com sua filha. Porém é mais claro a adoção de uma menina pelo sujeito. Pois pra entender a letra tem que ler ela inteira. Caso leia uma parte, não será possível interpretá-la. Pois no 1° refrão ele fala "E por quê não? Teu sangue é igual ao meu" e no último refrão ele esclarece: "Teu sangue é igual ao meu (E por quê não?)". E por quê não teu sangue não é igual ao meu? (não insinua diretamente ao sexo). E por quê teu sangue não é igual ao meu? Porque a filha/menina em questão, foi adotada... "Teu nome fui eu quem deu (Teu nome não fui eu quem deu)" Aqui ele quer dizer que o nome atual não foi ele que deu. E no final da letra é possível interpretar que ele está entrando no papel de pai da menina..
Eu achu que essa musica t tudo a ver com o povo brasileiro porque ela expliva que o povo e direcionado pelas informacoes que eles veem na t.v. sao aliciados pelos gorvernos e fala tambem que eles sonham com um futuro melhor para seus filhos
Um sonho. Uma utopia. Uma idealização. O amor não tinha limitações, vivia-se de tudo que tinham os dois, um para o outro.
Coluna do professor Pasquale Terminei o texto da semana passada com uma referência a esta passagem de "Sampa", de Caetano Veloso: "Alguma coisa acontece no meu coração ("¦) / É que quando eu cheguei por aqui eu nada entendi da dura poesia concreta das tuas esquinas...". Perguntei ao leitor o que entende (além do óbvio) da passagem "da dura poesia concreta das tuas esquinas". Para "ajudar", lembrei que a capital paulista é o berço de um movimento artístico importante. Pois bem. Que movimento é esse? É justamente o "concretismo" ("...a dura poesia concreta..."), engendrado em São Paulo na década de 40 por Haroldo e Augusto de Campos, Décio Pignatari, José Lino Grünewald, entre outros. No concretismo, a arte materializa (concretiza) visualmente o que expressa, por meio de diversos recursos. Na poesia concreta, o texto não se vale da palavra só como elemento de significado; vale-se dela como elemento também imagético, sonoro, ideogramático, ideográfico. No concretismo, enfim, a palavra é um "tijolo", que participa da construção de uma mensagem visual, sonora, transmitida por uma sintaxe ideogramática. Vamos traduzir isso com um exemplo concreto (perdão pelo trocadilho), o poema "Beba Coca-Cola", do grande Mestre Décio Pignatari: Reprodução Leia de novo, com toda a atenção do mundo, para não se deixar levar pelo piloto automático, isto é, para não ler "beba" onde está escrito "babe", por exemplo. Note a importância do visual e do sonoro para a composição da mensagem do poema, que desemboca no estranhamento causado por "cloaca", palavra que contém os fonemas presentes em "cola", em "coca" e em "caco". Se o leitor não sabe o que é "cloaca", vale a pena ir a um dicionário. Na letra de "Sampa", ao se referir à poesia concreta, Caetano reitera a importância dessa estética na sua produção e na de outros grandes nomes da poesia musical brasileira, como Gilberto Gil, Walter Franco, Jorge Portugal, Paulo Leminski, Arnaldo Antunes, entre outros. Muitas das letras desses nossos grandes autores devem ser ouvidas com o texto nas mãos, para que a poesia seja não só ouvida, mas também vista. Por que será que em "Sampa" Caetano escreveu "Eu vejo surgir teus poetas de campos e espaços / Tuas oficinas de florestas, teus deuses da chuva"? "Campos" aí é uma referência direta aos irmãos Campos (Haroldo e Augusto), dois dos pais da poesia concreta brasileira. Em "tuas oficinas de florestas", é preciso levar em conta a elipse do verbo: "(vejo surgir) tuas oficinas de florestas", ou seja, as oficinas (= industrialização) surgem das florestas, mas... Mas com "oficinas" Caetano faz referência a um dos mais importantes centros de cultura de São Paulo e do Brasil, o teatro Oficina, fundado em 1958. E lá vou eu repetir o que já disse aqui inúmeras vezes: a (boa) leitura vai muito além da mera decodificação dos caracteres, letras, palavras etc. É preciso perceber o texto no contexto, o que implica conhecer os assuntos dos quais o texto fala e, consequentemente, conhecer também os textos com os quais ele dialoga. Letra de música não é só um blá-blá-blá para preencher a melodia, sobretudo no caso da (boa) música brasileira, em que as letras muitas vezes são verdadeiras obras-primas. É isso.
Pra aula
muito bom
Preciso pra dar aula
4 semelhanças que contem o simple present
pesquisa
A música fala do sentimento de um humilde trabalhador nordestino que apesar de ter ajudado na construção da cidade não se sente valorizado pelo homem de melhor condição social, que é considerado o verdadeiro cidadão. Ao final, o seu consolo vem da palavra de Deus, que também se sente excluído por não deixá-lo entrar na casa de algumas pessoas, embora tenha construído o mundo.
Nesta letra, basicamente fala de algo que ela não pode dar, mas o que seria esse algo? pela frase no final da música "um bom encontro é de dois" e também pelas frases "Quero que se cure desta pessoa que lhe aconselha" provávelmente estão falando de namoro a três ou apenas uma aventura, mas ao ouvir, entendemos que ela não quer mas seu parceiro pede
o Rappa é foda
Gente, pelo amor de Deus. Não tem nada com reencarnação! Quando ele diz que "eu sei que ainda vou voltar, mas eu quem será?", no meu ponto de vista, está se referindo a uma possível mudança de atitude (voltar atrás em algo) que irá refletir na mudança dele, ou seja, a partir do momento em que ele conserta algo do passado ou muda de ideia, ele já não é mais aquela pessoa que tem a intenção de modificar algo, que pensa naquele momento, mas outra pessoa já que somos resultados de nossas experiências. Isso pra mim ficou claro logo de cara. A música pr amim tenta transmitir isso várias vezes. Que somos resultado de nossas escolhas.
amo essa musica
o que significa canudo