Faça o download do App do Análise de Letras para Android! É grátis!
A


B


C


D


E


F


G


H


I


J


K


L


M


N


O


P


Q


R


S


T


U


V


W


X


Y


Z


Últimos comentários

O próprio Nasi já declarou em entrevista (Revista Trip) que o Edgard Scandurra confessou que à época em que a escreveu se referia sim aos migrantes nordestinos em São Paulo. E que a partir dessa confissão não mais argumentaria em defesa da polêmica terceira estrofe. Pode até ser que o cara (o Edgar) tenha sido infeliz naquele momento da sua mocidade quando a escreveu. Pode até ser que em algum momento abandonou o preconceito e a discriminação contra os nordestinos (ou outros segmentos sociais ou étnicos) ou simplesmente foi apenas infeliz. Mas, ficar anos defendendo a "tese" da inocência da letra (...) aí é patético. Pior é essa galera que ainda hoje sai em defesa da letra para afirmar que não é o que é: PRECONCEITUOSA e DISCRIMINATÓRIA. E o próprio Edgar, num gesto de bom senso, se realmente não for preconceituoso e discriminatório como diz, já poderia ter encerrado de vez a polêmica com um humilde e sincero pedido de desculpas àquel@s aos quais, dubiamente, destilou sua indiferença e ódio mortal.
A música tem como objetivo principal trazer a beleza de um romance no qual não tem muito a ver com as fantasias que há no dos filmes e livros. O amor retratado na música é real, sem fantasias. Música linda!
O pianista e arranjador do Gonzaguinha (atualmente com a Maria Irrita), JOTA MORAES (também conhecido no meio musical como JOTINHA) se chama na verdade JOÃO DO AMOR DIVINO. A canção foi inspirada no nome dele e, certamente, o Gonzaga, a despeito da belíssima letra, aproveitou pra tirar um sarro.
Acho que na Primeira parte ele quis dizer que, Devemos nos ajoelhar sem motivo, pois so ajoelhamos pela fe, Se eu observar apenas a isca e o anzol, quer dizer fazer algo sem interesse, ser feliz pelos outros e não pela suas realizações, tornar menos faminto e curioso, arriscar pela beleza e facil, não arriscamos no mar escuro, Ler por ler e importante e não porque alguem disse que e bom final feliz, novamente fazer algo sem interesse, ilusão e aquilo só você acredita! e ver, então para valer a pena faça algo mas sem interesses.
Pura verdade...
Eu sou mais pragmático na interpretação Geni = Gen (General) = Ditadura e Zepelim = Gigante Poderoso = Capital = EUA.
Nesta pérola,Chico expõe que há no ser humano um "amor verdadeiro" que fica oculto,guardado,preservado que o mesmo não revela a ninguém.Aquele sentimento que mesmo a pessoa já casada,vivida e comprometida guarda dentro de si (talvez uma paixão da adolescência que ficou) e as pessoas ficam tentando saber do que se trata "Os escafandristas virão Explorar sua casa Seu quarto, suas coisas Sua alma, desvãos"
Na época, fhc, houve um escândalo com um ministro que disse 'fora do ar' ....o que é bom a gente mostra, ruim esconde. Acontece que apesar de não estar na grade normal, essa parte da entrevista poderia ser pega por quem tinha parabólica. Quanto a 'gostosa', só sei que contratou a gostosa do mês da playboy para o clip....vai ver que ele teve um namoro assim....quem sabe. Quanto a mae dele, é ela quem aparece no clip.
muito bom essa musica
muito bom essa musica o jeito de interpreta o samba
O assunto principal retratado na música é a falta de espaço de jovens na sociedade, pois a adolescência é encarada como fase da rebeldia, das drogas e ninguém ouve os jovens, ninguém se importa com a opinião daqueles que futuramente serão os adultos desse país. Como um exemplo disso, dá pra pôr a parte "Eu sempre quis falar, nunca tive chance. Tudo que eu queria estava fora do meu alcance"
me ajude
Só um detalhe. A Adriana é só a intérprete da música. Já que a análise é da letra (poesia) e não da interpretação, nada mais justo que lembrar que a letra é do mestre Chico Buarque.
para mim parece a chegada de alguma entidade específica para um ritual. Quando ele fala anjo, existem vários tipos de anjos. Quintal parece o local do ritual. Nossas roupas no varal parece ser as roupas de cerimonia, se não ele diria minhas, em vez de nossas.
A letra dessa música destila preconceito sim, está mais do que claro. O próprio compositor afirmou. Gente, que é isso? Se os povos não saíssem de seus lugares para tentar uma vida melhor, o Brasil teria apenas os índios, esses sim podem dizer que são os donos dessa birosca. Da onde será que vieram os paulistas? Botaram da terra? Gente feia e ignorante também tem os mesmo direitos que qualquer pessoa. E é essa gente que serve esse bando de babacas que se julgam melhor que os demais. Mas, o pior é que gosto da balada da música, mas a letra em si, é um triste preconceito, ninguém escolhe nascer pobre e feio. O que vale é o caráter, a sua essência, pelo menos deveria ser assim.