É Fim de Mês

É fim do mês, é fim do mês, do fim do mês, já sô freguês é fim do mês, é fim do mês, é fim do
Mês!

Eu já paguei a conta do meu telefone,
Eu já paguei por eu falar e já paguei por eu ouvir.
Eu já paguei a luz, o gás, o apartamento
Kitnet de um quarto que eu comprei a prestação
Pela caixa federal, au, au, au,
Eu não sou cachorro não (não, não, não)!
Eu liquidei a prestação do paletó, do meu sapato, da camisa
Que eu comprei pra domingar com o meu amor
Lá no cristo redentor, ela gostou (oh!) e mergulhou (oh!)
E o fim de mês vem outra vez!

Eu já paguei o peg-pag, meu pecado,
Mais a conta do rosário que eu comprei pra mim rezar ave maria.
Eu também sou filho de deus
Se eu não rezar eu não vou pro céu,
Céu, céu, céu.
Já fui pantera, já fui hippie, beatnik,
Tinha o símbolo da paz pendurado no pescoço
Porque nego disse a mim que era o caminho da salvação.
Já fui católico, budista, protestante,
Tenho livros na estante, todos tem explicação.
Mas não achei! eu procurei!
Pra você ver que procurei,
Eu procurei fumar cigarro hollywood,
Que a televisão me diz que é o cigarro do sucesso.
Eu sou sucesso! eu sou sucesso!
No posto esso encho o tanque do meu carro
Bebo em troca meu cafezinho, cortesia da matriz.
“there’s a tiger no chassis”…
Do fim do mês,
Do fim de mês,
Do fim de mês eu já sou freguês!
Eu já paguei o meu pecado na capela
Sob a luz de sete velas que eu comprei pro meu senhor
Do bonfim, olhai por mim!
Tô terminando a prestação do meu buraco, do
Meu lugar no cemitério pra não me preocupar
De não mais ter onde morrer.
Ainda bem que no mês que vem,
Posso morrer, já tenho o meu tumbão, o meu tumbão!

Eu consultei e acreditei no velho papo do tal psiquiatra
Que te ensina como é você vive alegremente,
Acomodado e conformado de pagar tudo calado,
Sem bancar o empregado sem jamais se aborrecer…
(Ele só que, só pensa em analisar, na profissão seu dever é adaptar, ele só que só pensa em adaptar, na profissão seu dever é adaptar)
Eu já paguei a prestação da geladeira,
Do açougue fedorento que me vende carne podre
Que eu tenho que comer,
Que engolir sem vomitar,
Quando às vezes desconfio
Se é gato, jegue ou mula
Aquele talho de acém que eu comprei pra minha patroa
Pra ela não me apoquentar,

E o fim de mês vem outra vez…

0 comentário sobre “É Fim de Mês

  • the clay disse:

    a letra é bem clara nesse sentido, todo fim de mes o funcionario publico sofre quando chega, porque o salario é curto quando chega o fim do mes é dureza.

    2
    2
  • Fala sobre toda uma manipulação que nos é imposta pelos donos do mundo, o que devemos fazer, o que devemos comprar, usar, pagar, ficarmos acomodados, nos adaptar ao que o sistema nos impõe e não se preocupar com o que realmente importa que é nossa felicidade, o bem de todos, viver em união e harmonia se ajudando e pensar, pensar nas grandes questões da humanidade.

    11
    1
  • Fábio Lourenço de Oliveira. disse:

    Acredito que Raul quis dizer, que o sistema capitalista retribui muito pouco ou quase nada para nos os proletariados, que somos a razão de sua maior riqueza. Assim recebemos uma pequena parcela daquilo, que pela força do nosso trabalho produzimos. E assim a vida segue, onde a riqueza está nas mãos de poucos e a pobreza aumentando cada vez mais na nossa sociedade.

    5
    1
  • Márcia Soares disse:

    Raul era um poeta da música popular brasileira,entendia que somos a grande maioria manipulados pelos interesses capitalistas . consumo e trabalho sem remunerações adequadas que nem sempre garantem suprimentos até o ultimo dia do mês.

  • nilamada disse:

    EU ACREDITO QUE A CRITICA DE RAUL SEIXAS É JUSTAMENTE NO QUE DIZ RESPEITO A INJUSTIÇA SALARIAL FRENTE AO TRABALHO DURO E AOS RENDIMENTOS QUE NÃO SÃO EQUIPARADOS A TAIS ESFORÇOS E AINDA SOBRE A FORMA DE ADMINISTRAÇÃO ECONÔMICA ONDE O RICO CADA VEZ FICA MAIS RICO E O POBRE CADA VEZ FICA MAIS POBRE. DESTA FORMA A INFLAÇÃO COMIA DO SALÁRIO DELE TODO O TEMPO E ENTÃO COM O CAPITALISMO PREDOMINANDO ELE JÁ ACOSTUMADO COM REALIDADE DOS TRABALHADORES E CHEFES DE DE FAMÍLIA E SABENDO QUE POLITICAMENTE ISSO SE PERPETUARIA TAL FORMA DE OLHAR POLÍTICO PARA AS QUESTÕES SOCIAIS E MANTENEDORAS DAS FAMÍLIAS, RESOLVEU VERSAR EM MÚSICA O QUE SEM DÚVIDA AJUDARIA SOBREVIVER DIANTE DA UTOPIA CIDADÃO E DIGNIDADE POÉTICA E CRIATIVA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>