Gilberto Gil

Maracatu atômico

Manamaê ô
Manamaê ô
Manamaê ô
Manamaê ô

Atrás do arranha-céu tem
O céu, tem o céu
E depois tem outro céu sem
Estrelas
Em cima do guarda-chuva tem
A chuva, tem a chuva
Que tem gotas tão lindas que
Até dá vontade de
Comê-las

Manamaê ô
Manamaê ô
Manamaê ô
Manamaê ô

No meio da couve-flor tem
A flor, tem a flor
Que além de ser uma flor tem
Sabor

Dentro do porta-luvas tem a luva
Tem a luva
Que alguém de unhas negras
E tão afiadas
Esqueceu de por

Manamaê ô
Manamaê ô
Manamaê ô
Manamaê ô
Aaaaé
Maracatu atômico
Aaaaé
Maracatu atômico

No fundo do pára-raio tem
O raio, tem o raio
Que caiu da nuvem negra do
Temporal
Todo quadro-negro é todo
Negro é todo negro
Eu escrevo seu nome nele só
Pra demonstrar
O meu apego

Manamaê ô
Manamaê ô
Manamaê ô
Manamaê êêê

O bico do beijar flor, beija-flor
Beijar flor
E toda fauna flora grita de amor
Quem segura o porta estandarte
Tem a arte, tem a arte
E aqui passa com raça
Eletrônico o maracatu
Atômico

Manamaê ô
Manamaê ô
Manamaê ô
Manamaê ô

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>