Cazuza

17 Anos de Vida

17 anos de vida
Eu tô perdido
Do joelho até o umbigo
Tudo é perigo

Resolve logo
Ou transa ou sai de cima
Mas não me olha assim
Mas não me ri assim
Que eu piro

Arranjo emprego
Monto apartamento
Te levo em lua-de-mel
Pra onde você quiser

Só, brotinho, não me obrigue
A usar cinismo
17 anos de vida
Eu também tive
Ah eu tô perdido

0 comentário sobre “17 Anos de Vida

  • Mariana Junqueira disse:

    17 anos de vida
    Eu tô perdido
    Do joelho até o umbigo
    Tudo é perigo

    Bom, no meu ponto de vista a pessoa de 17 anos não é ele e sim alguém com ele estava saindo.
    E como era alguém bem mais novo que ele, ele se diz estar perdido, cometendo uma loucura, faz uma referência sacana na frase: Do joelho até o umbigo, pode ter relação com ser um parceiro homossexual. E parece ser uma relação proibida, pois diz que está correndo perigo, levando a crer que deve ser um menor de idade.

    Resolve logo
    Ou transa ou sai de cima
    Mas não me olha assim
    Mas não me ri assim
    Que eu piro

    No contexto da minha análise, que a crer que ele está se relacionando com um menor de idade, este verso parece dizer que esta é a primeira relação sexual do parceiro de Cazuza ou mesmo a primeira relação homossexual, pois tem apenas 17 naos, está se descobrindo e tem dúvida se é isso que quer ou não, por isso ele diz Resolve logo, tipo decide garoto se você quer ou não, se não quer desiste logo. Na frese Não me olha assim/Não me ri assim que eu piro, referência a ingenuidade do garoto. Ele quer, não quer, tem medo mais tem vontade:
    Não me olha assim(Com medo)
    Não me ri assim (ta com vontade.

    Arranjo emprego
    Monto apartamento
    Te levo em lua-de-mel
    Pra onde você quiser

    Aqui ele dá a impressão de fazer tudo pelo parceiro. Mais isso é uma marca de Cazuza, que sempre é exagerado em suas declarações, porque são momentâneas, faz mil promessas, mais só pra conseguir aquele momento.

    Só, brotinho, não me obrigue
    A usar cinismo
    17 anos de vida
    Eu também tive
    Ah eu tô perdido

    Aqui ele reforça que tudo isso é momento, ele faz mil promessas pra conseguir de maneira romântica, mais depois diz:
    Brotinho, não me obrigue/A usar cinismo/ 17 anos de vida/Eu também tive/Ah eu to perdido

    Ou seja não vamos ser hipócritas, você está aqui nessa situação (quase transando), por que quer, você tem 17 anos (se faz de ingênuo), mais não se esqueça que eu já tive a sua idade, passei pelo que você está passando.

    Finaliza com
    Ah eu to perdido
    Com um tom mais malicioso desta vez, afirma que corre perigo, que é loucura, mais parece gostar muito disso)

    Acredito que é isso, que seja uma música que trate de uma experiência sexual com outra pessoa, meio proibida, que lembra sua própria experiência. Mais a primeira experiência homossexual!

    Minha humilde interpretação… Longe de ser correta, pois Cazuza era um gênio, es deixava tudo nas entrelinhas assim pra confundir mesmo, até porque naquela época, além da censura do governo a sociedade também era muito moralista.

    BY: Mariana Junqueira

  • Marcelo disse:

    Dayana, concordo com vc que tem muita musica que não nos acrescenta nada !!! Mas, quanto a interpretação de Mariana Junqueira ela esta de parabéns, muito bem elaborada…

    É importante nossa interpretação, quase sempre estamos completamente disfocados da idéia original do compositor… porém quase sempre eles não percebem a grandeza do que escreveram, e só se dão conta devido a proporção que a musica tomou… O sábio é aquele que poem importancia e valor em tudo que vivencia, trazendo essas informaçoes para o contexto de nossa realidade atual. Viva aqueles que dão vida até naquilo que os proprios autores nao se tocaram que criaram. Os maiores compositores são os interpretes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>