Zeca Baleiro

Quase Nada

De você sei quase nada
Pra onde vai ou porque veio
Nem mesmo sei
Qual é a parte da tua estrada
No meu caminho

Será um atalho
Ou um desvio
Um rio raso
Um passo em falso
Um prato fundo
Pra toda fome
Que há no mundo

Noite alta que revele
Um passeio pela pele
Dia claro madrugada
De nós dois não sei mais nada

De você sei quase nada
Pra onde vai ou porque veio
Nem mesmo sei

Qual é a parte da tua estrada
No meu caminho

Será um atalho
Ou um desvio
Um rio raso
Um passo em falso

Um prato fundo
Pra toda fome
Que há no mundo

Se tudo passa como se explica
O amor que fica nessa parada
Amor que chega sem dar aviso
Não é preciso saber mais nada

0 comentário sobre “Quase Nada

  • Entendo que a música se refere ao mundo obscuro do amor, ou seja, para amar não precisa ter cor, forma, passado pq tudo isso passa, mas o sentimento permanece.

  • Anna Paula disse:

    qual é a parte da tua estrada no meu caminho? *—-*
    será um atalho ou um desvio?
    um rio raso, um paso em falso?
    um prato fundo, pra toda fome que há no mundo? *-*
    não sei =

  •         Bom, acredito que o eu-lírico seja um rapaz ao mesmo tempo apaixonado e um pouco inseguro por tratar-se provavelmente do início de um relacionamento, conforme percebemos na primeira estrofe.

    Na segunda estrofe, ele se pergunta qual seria a relevância/importância da vida(estrada) dela no caminho(vida) dele, ou melhor, qual a pretensão do relacionamento entre os dois. Um atalho? Ou seja, algo que vai fazê-lo chegar mais rápido no lugar o qual ele procura, para a felicidade, por exemplo. Ou um desvio? Que apenas o tirará do caminho que ele realmente está destinado a trilhar, algo efêmero. Um rio raso? Isto é, um lugar agradável, seguro e natural onde eles possam curtir intensamente, contudo só enquanto durar a paixão. Ou um passo em falso? Um deslize do qual ele logo irá se recuperar. Ou será ela o grande e infinito amor da vida dele? “Um prato fundo pra toda a fome que há no mundo”.

    Na última estrofe, o eu-lírico questiona a veracidade de uma frase popular: “se tudo passa como se explica o amor que fica nessa parada”. Ele desacredita tal frase com o argumento de que, o amor dele é tão forte que transcende o plano material e eterniza-se. E, finalmente, volta a comentar sobre como o sentimento simplesmente o tomou sem aviso e, pouco interessa a quantidade de coisas que ele sabe sobre ela, só o carinho que sente por ela basta.

    Foi isso que entendi.. Rá.
    Poesias e metáforas! 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>