Roberto Carlos e Erasmo Carlos

Broto do Jacaré

Vinha deslizando em minha prancha sozinho

E falei ao ver passar por mim um brotinho

Que bonitinha que ela é

Deslizando num jacaré

Ela me sorriu e uma coisa então

Eu tinha que fazer para chamar atenção
Abri os braços, gritei bem alto

Deslizando num jacaré

Mas uma onda mais forte chegou

E fora da aprancha me atirou

Quase que morro, quase me afoguei

E quando voltei o broto não encontrei

A minha prancha o vento para longe levou

Bebi água salgada porque não dava pé

Peguei a prancha mas não encontrei

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>