Moça boiadeira

Raul Torres e Florêncio

Compositor(a) da letra: Sebastião Teixeira e Raul Torres

Ano de lançamento: 1948

Fui negociá uma vacada
Na fazenda Corredêra
Eu levei cinco peão
Capataz Chico Noguêra

Nóis cheguemo na fazenda
Na tarde de quinta-feira
De noite fumo drumi
Pra aliviar a canseira

Levantemo bem cedinho
Pra vê as vaca na manguêra
Na hora da marcação
Acendemo uma foguêra

Tinha uma tipo mestiça
Perigosa e derradêra
Tava cos óio vermeio
Sortando uma faisquêra

Quando eu bati o marcadô
Só vendo que pagodêra
A bicha urrava tão feio
Qe balanceava as parmêra

Rebentô o laço e fugiu
Inté levantô poêra
Toquei meu cavalo em cima
Cerquei a vaca na carrêra

A vaca sumiu de vista
No meio da carrasquêra
Nisso apareceu uma moça
Vestida de boiadêra

Ela me falô sorrindo
Isso é coisa passagêra
Me diga onde foi a vaca
Que eu já passo uma trapêra

A moça tava montada
Numa besta marchadêra
Jogô por cima da vaca
Deu uma laçada certêra

Quando ela vinha de vorta
A turma ficô fancêra
De ver a moça brincando
Com a vaca na chichadêra

Eu quando fui pra ir simbora
Botei a mão na gibêra
Puxei quinhentos cruzêro
E fui dá pra boiadêra

Seu moço guarde o dinhêro
Que eu não sô interessêra
Leve sua boiada embora
Descurpe da brincadêra

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>