Categorias
O Rappa

A Feira

É dia de feira
Quarta-feira
Sexta-feira
Não importa a feira
É dia de feira
Quem quiser pode chegar…(2x)

Vem maluco, vem madame
Vem Maurício, vem atriz
Prá comprar comigo…

Vem maluco, vem madame
Vem Maurício, vem atriz
Prá levar comigo…

Tô vendendo ervas
Que curam e acalmam
Tô vendendo ervas
Que aliviam e temperam…(2x)

Mas eu não sou autorizado
Quando o Rappa chega
Eu quase sempre escapo
Quem me fornece
É que ganha mais
A clientela é vasta
Eu sei!
Porque os remédios normais
Nem sempre
Amenizam a pressão
Amenizam a pressão
Amenizam a pressão…

É dia de feira
Quarta-feira
Sexta-feira
Não importa a feira
É dia de feira
Quem quiser pode chegar…(2x)

Vem maluco, vem madame
Vem Maurício, vem atriz
Prá comprar comigo…

Vem maluco, vem madame
Vem Maurício, vem atriz
Prá levar comigo…

Tô vendendo ervas
Que curam e acalmam
Tô vendendo ervas
Que aliviam e temperam…(2x)

Mas eu não sou autorizado
Quando o Rappa chega
Eu quase sempre escapo
Quem me fornece
É que ganha mais
A clientela é vasta
Eu sei!
Porque os remédios normais
Nem sempre!
Amenizam a pressão
Amenizam a pressão
Amenizam a pressão
Amenizam a pressão…

Porque os remédios normais
Não amenizam
Pressão!…(8x)

É dia de feira
Quarta-feira
Sexta-feira
Não importa a feira
É dia de feira
Quem quiser pode chegar…(5x)

8 respostas em “A Feira”

nessa letra ele fala de um traficante.
“Tô vendendo ervas
Que curam e acalmam
Tô vendendo ervas
Que aliviam e temperam”Mas eu não sou autorizado
Quando o Rappa chega
Eu quase sempre escapo
Quem me fornece
É que ganha mais
A clientela é vasta
Eu sei!
Porque os remédios normais
Nem sempre!
Amenizam a pressão”

O compositor justifica o uso das ervas quando destaca ”Porque os remédios normais nem sempre amenizam a pressão” trata-se da pressão social em torno dos indivíduos que restringe seus sonhos e anseios.É também destacado que ninguém é indiferente a essa pressão que é imposta – ”Vem maluco, vem madame, vem maurício vem atriz.”

A Feira diz exatamente de um problema social que enfr5entamos hoje: O trafico de drogas. Essa é uma das letras mais diretas de O Rappa.
Para o trafico não tem dias, toda hora é hora de se vender, comprar. Os clientes não se distinquem, ricos, pobres,atriz, todos buscam a maconha, como forma de alívio. “Mas eu não sou autorizado quando O Rappa chega, quase sempre escapo”. O Rappa aqui é a policia e o combate da droga. “Quem me fornece é quem ganha mais” que dizer, os grandes traficantes.

Essa música fala que hoje em dia o consumo de drogas(erva)é alto e não tem classe determinada para o consumo.
Todas as classes estão usando rico,pobre,preto ou branco.
E fala de um traficante baixo que vende drogas para qualquer tipo de pessoas.

A letra fala sobre o tráfico de drogas, sob a visão de um traficante (trechos em primeira pessoa)

“Tô vendendo ervas
Que curam e acalmam
Tô vendendo ervas
Que aliviam e temperam”

E fala que é uma questão que não se limita somente a um único grupo social

“Vem maluco, vem madame
Vem Maurício, vem atriz
Prá comprar comigo…”

fala de um cotidiano frequente na sociedade e no dia a dia que se camufla atras da burguesia que é a classe mais consumista …vem maluco vem madame vem Maurício vem atriz pra compra com migo …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *