Mulamba

Lama

Era só mais um peixe
Era só mais um rio
Água deu lugar pra lama
Tá tudo vazio
Perder de tudo é duro
É chão, é arribação
Cavar tudo de novo

É lama, é barro, é doce, é mancha, é sangue, é feto

Fincapé, é oração

É lama, é barro, é doce, é mancha, é sangue, é feto
É sede, é mato, é fome, é mãe, é tudo quieto
É lama, é barro, é doce, é mancha, é sangue, é feto
É sede, é mato, é fome, é mãe, é tudo quieto

É lama, é barro, é doce, é mancha, é sangue, é feto
É sede, é mato, é fome, é mãe, é tudo quieto
É lama, é barro, é doce, é mancha, é sangue, é feto
É sede, é mato, é fome, é mãe, tudo quieto

Quem vai pagar as contas?
Plantar com a mão os pés
Regar mananciais
E a vida desses outros animais
Quem vai pagar as contas?
Plantar com a mão os pés
Regar mananciais

E a vida desses outros
Pra descer todo santo ajuda
Assumir de quem é a culpa
Água é vida mas mata
Toda mata devasta
Pra descer todo santo ajuda
Assumir de quem é a culpa
Água é vida mas mata
Toda mata devasta
Pra descer todo santo ajuda
Assumir de quem é a culpa
Água é vida mas mata
Toda mata devasta

Quem vai pagar as contas?
Plantar com a mão os pés
Regar mananciais
E a vida desses outros animais
Quem vai pagar as contas?
Plantar com a mão os pés
Regar mananciais

E a vida desses outros
E a vida desses outros animais
E a vida desses outros animais
Vida desses outros animais
E a vida desses outros

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>