Mulamba

Espia escuta

Ela trabalha e cria as cria
Sozinha ou acompanhada
Sai do trampo pra noitada
Natural ou maquiada
Ela quem banca o seu cabelo, unha, roupa, batom, balada
Dá em qualquer posição, cansou de ser renegada
É a mulherada ficando embucetada

Eu disse
Espia, escuta
Na esquina, na calçada
É a mulherada ficando embucetada

Eu disse
Espia, escuta
Na esquina, na calçada
É a mulherada ficando embucetada

Ela é profissional do sexo, presidenta, empregada
Transa Bi, Homem, Mulher Trans Travesti ta elevada
Prefere uma siririca à macho escroto de balada
Essa é a mulher do futuro, e vem viado
Porque é a mulherada ficando embucetada

Espia, escuta
Na esquina, na calçada
É a mulherada ficando embucetada

Me representam as bucetas
Nada contra os bilaus
Mas hoje o beijo vai pro cu
E seu poder sensacional
Todo mundo tem
É consenso geral
Curirica representa igualdade mundial
Porque é a mulherada ficando embucetada

Espia, escuta
Na esquina, na calçada
É a mulherada ficando embucetada

Pergunta pro pai, pro avô e pro teu tio
Porque homem maltrata o ventre que lhe pariu
Feminino não criou bomba nem guerra nem fuzil
Então porque o homem mata o ventre que lhe pariu
E agora a mulherada esta ficando embucetada

Espia, escuta
Na esquina, na calçada
É a mulherada ficando embucetada

Eu disse
Espia, escuta
Na esquina, na calçada
É a mulherada ficando embucetada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>