Marisa Monte

De Mais Ninguém

Se ela me deixou a dor,
É minha só, não é de mais ninguém
Aos outros eu devolvo a dó
Eu tenho a minha dor
Se ela preferiu ficar sozinha,
Ou já tem um outro bem
Se ela me deixou,
A dor é minha,
A dor é de quem tem…

É meu troféu, é o que restou
É o que me aquece sem me dar calor
Se eu não tenho o meu amor,
Eu tenho a minha dor
A sala, o quarto,
A casa está vazia,
A cozinha, o corredor.
Se nos meus braços,
Ela não se aninha,
A dor é minha, a dor.

Se ela me deixou a dor,
É minha só, não é de mais ninguém
Aos outros eu devolvo a dó
Eu tenho a minha dor
Se ela preferiu ficar sozinha,
Ou já tem um outro bem
Se ela me deixou,
A dor é minha,
A dor é de quem tem
mmmh…mmmh…

É o meu lençol, é o cobertor
É o que me aquece sem me dar calor
Se eu não tenho o meu amor,
Eu tenho a minha dor
A sala, o quarto,
A casa está vazia,
A cozinha, o corredor.
Se nos meus braços,
Ela não se aninha,
A dor é minha, a dor.
mmmh mmmh…

Um comentário sobre “De Mais Ninguém

  • Nathalya disse:

    A música retrata um momento de perda da mulher amada. Tudo vai embora juntamente com ela, menos a dor. E essa dor é para o eu lírico um orgulho, já que é apenas isso que resta da presença de sua amada em sua vida (é meu troféu, é o que restou…. é o que me aquece sem me dar calor).
    E essa dor, assim como a mulher que ele perde, é somente dele (se ela me deixou a dor é minha só, nao é de mais ninguém).
    E a dó que os outros sentem pela perda/abandono que ele sofreu, ele devolve simplesmente. Afinal, como dito antes, a dor é somente dele, é somente de quem a tem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>