Linda Mimi

Minha bonequinha de cristal 

Moras dentro do meu coração 

Como uma lembrança oriental 

Guardada numa caixa de charão 

Mimi! Linda Mimi! 

Dos olhos que parecem 

Pintadinhos de nanquim 

Mimi! Não sei se eu vi 

Num quadro de Xangai 

Ou num vaso de Pequim 

Mimi! Vendo-te aqui 

E como o seu tipinho 

No Brasil não há 

Tu deves ter fugido 

De alguma ventarola 

Ou de alguma xícara de chá 

Tens um vestidinho todo azul 

Onde um crisântemo sobressai 

Vendo, a gente diz de Norte a Sul 

É um retratinho azul de Butterfly.

Sofrer é da vida

Sofrer é da vida
Eu já me convenci
Adeus minha querida
Não foi pra você que eu nasci

Você tem boa conversa
Mas não vai me tapear
Pode ate fazer promessas
Porque eu não torno a voltar

Seu amor ninguém atura
Que me disse não mentiu
Você me fez uma jura
E até então não cumpriu

É de amargar

Eu bem sabia que esse amor um dia
Também tinha seu fim
Essa vida vida é mesmo assim
Não penses que estou triste
Nem que vou chorar
Eu vou cair no frevo que é de amargar.

Eu já arranjei outra morena bonita
Anda bem vestida, cheia de laço de fita
Gosta de mim com toda emoção
E já se diz a dona do meu coração.

Eu bem sabia que esse amor um dia
Também tinha seu fim
Essa vida vida é mesmo assim
Não penses que estou triste
Nem que vou chorar
Eu vou cair no frevo que é de amargar.

Minha morena sempre diz, quando me vê
– Gosto de você, não sei como e porque.
Me faz carinhos a todo momento
Porém eu tenho medo do seu juramento.


Tenho uma coisa pra lhe dizer
Mas não digo não porque faz mal ao coração.
Tenho uma coisa pra lhe dizer
Mas não digo não porque faz mal ao coração.
Não confessarei o meu segredo
Só porque você é convencida
Pois se eu lhe contar você vai rir
E sem querer eu vou chorar por você, minha querida.
Tenho uma coisa pra lhe dizer
Mas não digo não porque faz mal ao coração.
Tenho uma coisa pra lhe dizer
Mas não digo não porque faz mal ao coração.
Eu sei que você gosta de outro
Mas eu lhe queria mesmo assim
O meu coração eu lhe darei
Porém com uma condição, se você disser que sim.

Joujoux e Balangandãs

– Joujoux, joujoux?
– Que é meu balagandã?

– Aqui estou eu
– Aí estás tu
– Minha joujoux
– Meu balagandã
– Nós dois
– Depois

O sol do amor que manhãs
– De braços dados
– Dois namorados
– Já sei Joujoux
– Balagandãs

Seja em Paris Ou nos Brasis
Mesmo distantes Somos constantes
Tudo nos une Que coisa rara
No amor nada nos separa

Adeus saudade

Adeus !
Quem partiu, levou saudade,
Quem ficou, saudade tem,
Eu choro por alguém,
Choro,
Por saber que eu partindo,
Meus olhos dela vão sumindo,
Deste mundo para o além.

Saudade, tu nunca choraste,
E talvez a ninguém tu amaste,
Por isso, cometeste a crueldade,
Me fizeste chorar, por deixar esta amizade..

Isto é lá com Santo Antônio

Eu pedi numa oração
Ao querido são joão
Que me desse um matrimônio
São joão disse que não!
São joão disse que não!
Isto é lá com santo antônio!

Eu pedi numa oração
Ao querido são joão
Que me desse um matrimônio
Matrimônio! matrimônio!
Isto é lá com santo antônio!

Implorei a são joão
Desse ao menos um cartão
Que eu levava à santo antônio
São joão ficou zangado
São joão só dá cartão
Com direito a batizado

Implorei a são joão
Desse ao menos um cartão
Que eu levava a santo antônio
Matrimônio! matrimônio!
Isto é lá com santo antônio!

São joão não me atendendo
A são pedro fui correndo
Nos portões do paraíso
Disse o velho, num sorriso:
– minha gente, eu sou chaveiro!
Nunca fui casamenteiro!

São joão não me atendendo
A são pedro fui correndo
Nos portões do paraíso
Matrimônio! matrimônio!
Isto é lá com santo antônio

Uma jura que fiz

Não tenho amor
Nem posso amar
Pra não quebrar
Uma jura que fiz
E pra não ter
Em quem pensar
Eu vivo só
E sou muito feliz

Aquela que eu mais amava
Só pensava em me trair
Quando eu menos esperava
Partiu sem se despedir
Essa mesma criatura
Quis voltar mas eu não quis
E hoje cumprindo a jura
Vivo só e sou feliz

Um amor pra ser traído
Só depende da vontade
Mas existe amor fingido
Que nos traz felicidade
A mulher vive mudando
De idéia e de ação
E o homem vai penando
Sem mudar de opinião

Dorinha, meu amor

Dorinha, meu amor
Porque me fazes chorar?
Eu sou um pecador
E sofro só por te amar
Dorinha, meu amor
Porque me fazes chorar?
Eu sou um pecador
E sofro só por te amar

Não sei qual a razão
Que sofro tanto assim
Castigo sim, castigo sim
Imploro a Deus
Para vencer o teu amor
O teu amor, amor

Dorinha, meu amor
Porque me fazes chorar?
Eu sou um pecador
E sofro só por te amar
Dorinha, meu amor
Porque me fazes chorar?
Eu sou um pecador
E sofro só por te amar

Dorinha, juro que
Só pensarei em ti
Somente em ti
Somente em ti
Só tu que podes dar
Alívio a esta dor
Ao teu cantor, cantor

Parei contigo

Tu és o tipo
do sujeito indefinido, carcomido
que só quer tirar partido
Meu Deus, mas é isto
que se chama ser amigo?
Parei contigo! Parei contigo!

Nas eleições foi o diabo
pois tu eras o meu cabo
e votaste no inimigo
Meu Deus, mas é isto
que se chama ser amigo?
Parei contigo! Parei contigo!

Parei contigo
mesmo em caso de emergência
Jurei comigo
de esgotar a paciência
Já vou-me embora, cruz!
Vou disparando
Se não tu furtas a canção
que eu estou cantando

Após te dar casa e comida
automóvel, tanta coisa
carregaste a minha esposa
Meu Deus, mas é isto
que se chama ser amigo?
Parei contigo! Parei contigo!

Um dia eu fui parar contigo
num hotel em Cascadura
Me furtaste a dentadura!
Meu Deus, mas é isto
que se chama ser amigo?
Parei contigo, parei contigo!

Levaste os meus bens de casamento
Só deixaste a minha sogra
por um raro esquecimento
Meu Deus, mas é isto
que se chama ser amigo?
Parei contigo! Parei contigo!

Uma andorinha não faz verão

Vem, moreninha!
Vem, tentação!
Não andes, assim, tão sozinha
Que uma andorinha não faz verão

Dizem, morena, que o teu olhar
Tem corrente de luz que faz cegar
O povo anda dizendo que essa luz do teu olhar
A Light vai mandar cortar

Vem, meu amor, deixa de medo
O amor é uma espécie de brinquedo
Se acaso terminar o nosso sonho, à luz do dia
Eu rasgo a minha fantasia

Tenho raiva de quem sabe

Não sei e nem quero saber
Tenho raiva de quem sabe
Do seu modo de viver
Eu pago pra ninguém me incomodar
E não me perguntar por você

Depois de tanta briga
Hoje em dia eu suspeito
Que talvez você me diga
Que lhe odeio por despeito
Tanto me sacrificava
Sem ter o menor direito
Juro que não esperava
Levar goma sem proveito

Rasguei o seu retrato
Suas cartas eu queimei
Desta vez, briguei de fato
De você, já enjoei
Para evitar perigo
Eu imploro a você
Quando encontrar comigo
Simular que não me vê

Deixa essa mulher chorar

Deixa essa mulher chorar
Deixa essa mulher chorar

Pra pagar o que me fez
Pra pagar o que me fez
Zombou de quem soube amar, por querer
Hoje toca a tua vez de sofrer

Não te lamentes
O mundo é mesmo assim
Chora, que eu já chorei
E tu zombaste de mim
Amei e não venci
Outro não amou, venceu
Foi protegido da sorte
Foi mais feliz do que eu
Oi, deixa essa mulher chorar

Estou bem feliz
Não me fazes mais sofrer
Agora sou eu quem diz
Que não quero mais te ver
Amar como eu te amei
Era para enlouquecer
Juro que nunca pensei
Que pudesse te esquecer
Oi, deixa essa mulher chorar

Agora é cinza

Você partiu,
Saudades me deixou,
Eu chorei,
O nosso amor, foi uma chama,
O sopro do passado desfaz,
Agora é cinza,
Tudo acabado e nada mais !…

Você,
Partiu de madrugada,
E não me disse nada,
Isso não se faz,
Me deixou cheio de saudade,
E paixão,
Não me conformo,
Com a sua ingratidão.
( Chorei porque )

Agora desfeito o nosso amor,
Eu vou chorar de dor,
Não posso esquecer,
Vou viver distante dos teus olhos,
Ho ! Querida,
Não me deu,
Um adeus, por despedida !
( Chorei porque )

Se você jurar

Se você jurar que me tem amor
Eu posso me regenerar
Mas se é para fingir, mulher
A orgia assim não vou deixar

Muito tenho sofrido
Por minha lealdade
Agora estou sabido
Não vou atrás de amizade

A minha vida é boa
Não tenho em que pensar
Por uma coisa à-toa
Não vou me regenerar

A mulher é um jogo
Difícil de acertar
E o home como um bobo
Não se cansa de jogar

O que eu posso fazer
É se você jurar
Arriscar a perder
Ou desta vez então ganhar

Alô, alô

CM – Alô, alô responde
Se gostas mesmo de mim de verdade
MR – Alô, alô responde
Responde com toda a sinceridade (alô, alô)

CM – Tu não respondes e o meu coração em lágrimas
Desesperado vai dizendo alô, alô
Ai! Se eu tivesse a certeza desse teu amor
A minha vida seria um rosal em flor (responde então)

MR – Alô, alô responde
Responde com toda a sinceridade
CM – Alô, alô responde
Se gostas mesmo de mim de verdade
(Alô, alô)

MR – Alô, alô continuas a não responder
E o telefone cada vez chamando mais
É sempre assim… Não consigo ligação, meu bem
Indiferente não te importas com meus ais

Gosto que me enrosco

Não se deve amar sem ser amado
É melhor morrer crucificado
Deus nos livre
Das mulheres de hoje em dia
Desprezam o homem
Só por causa da orgia

Gosto que me enrosco
De ouvir dizer
Que a parte mais fraca
É a mulher
Mas o homem
Com toda fortaleza
Desce da nobreza
E faz o que ela quer

Dizem que a mulher é “a parte fraca” (o sexo frágil)
Nisto é que eu não posso acreditar
Entre beijos e abraços e carinhos
O homem não tendo
É até capaz de roubar

Gosto que me enrosco…

Moreninha da Praia

Moreninha querida
Na beira da praia
Que mora na areia
Todo o verão
Que anda sem meia
Em plena avenida
Varia como as ondas
O teu coração

Queimei-me todo outro dia
Eu não sei bem o que seria
Se o sol do mar
Ou o sol que trazes dentro
Do teu lindo olhar

[REFRÃO]

A tua ardência me assombra
Tu tens quarenta graus à sombra
Desta maneira
Só mesmo te botando
Numa geladeira

Linda morena

Linda morena, morena
Morena que me faz penar
A lua cheia que tanto brilha
Não brilha tanto quanto o teu olhar

Tu és morena uma ótima pequena
Não há branco que não perca até o juízo
Onde tu passas
Sai às vezes bofetão
Toda gente faz questão
Do teu sorriso

Teu coração é uma espécie de pensão
De pensão familiar à beira-mar
Oh! Moreninha, não alugues tudo não
Deixe ao menos o porão pra eu morar

Por tua causa já se faz revolução
Vai haver transformação na cor da lua
Antigamente a mulata era a rainha
Desta vez, ó moreninha, a taça é tua

Eu Queria um Retratinho de Você

Eu quero um retratinho de você
Pois vou mandar fazer o seu clichê
E publicá-lo no meu jornal
Você é uma figura original

Retrato em um tamanho especial
Que vai deixar o mundo inteiro mal (bem mal)
Vai ser um sucesso porque
Figura só vê quem não lê
Eu quero um retratinho de você

Sou o principal redator
Do “Correio do Amor”
Escrevo os artigos de sensação
Só recebemos visitas
de moças bonitas
No meu coração que é a redação

O teu olhar tão profundo
É artigo de fundo
É grande furo em qualquer diário
Teu nome é cabeçalho extraordinário
São de dez milhões as edições

Estamos Esperando

Estamos esperando
Vem logo escutar
O samba que fizemos pra te dar
A rua adormeceu
E nós vamos cantar
Aquilo que é só teu
Que nos faz penar

Da tua voz tirei a melodia
E a harmonia eu fiz com teu olhar
Já estava perdendo a paciência
Quando roubei a cadência
Do teu modo de pisar
(Chega à janela…)

E este samba que fiz de parceria
Depois de feito não é dele nem é meu
Escuta o violão que está gemendo
Tuas cordas vão dizendo
Que este samba é só teu
(Até amanhã…)

Filosofia

O mundo me condena,
E ninguém tem pena,
Falando sempre mal do meu nome,
Deixando de saber,
Seu eu vou morrer de sede,
Ou se vou morrer de fome.

Mas a filosofia,
Hoje me auxilia,
A viver indiferente assim,
Nesta prontidão sem fim,
Vou fingindo que sou rico,
Pra ninguém zombar de mim.

Não me incomodo,
Que você me diga,
Que a sociedade é minha inimiga,
Pois cantando neste mundo,
Vivo escravo do meu samba,
Muito embora vagabundo.

Quanto a você,
Da aristocracia,
Que tem dinheiro,
Mas não compra alegria,
Há de viver eternamente,
Sendo escrava dessa gente,
Que cultiva a hipocrisia….

Chegou a Hora da Fogueira

Chegou a hora da fogueira!
É noite de São João…
O céu fica todo i1uminado
Fica o céu todo estrelado
Pintadinho de balão…
Pensando no caboclo a noite inteira
Também fica uma fogueira
Dentro do meu coração…

Quando eu era pequenino
De pé no chão
Eu cortava papel fino
Pra fazer balão…
E o balão ia subindo
Para o azul da imensidão…

Hoje em dia o meu destino
Não vive em paz
O balão de papel fino
Já não sobe mais…
O balão da ilusão…
Levou pedra e foi ao chão…