Categorias
Los Hermanos

Do sétimo andar

Fiz aquele anuncio e ninguem viu
Pus em quase todo lugar
a foto mais bonita que eu fiz,
você olhando pra mim

Alto aqui do sétimo andar
longe, eu via você
e a luz desperdiçada de manhã
num copo de café

Deus sabe o que quis foi te proteger
do perigo maior que é você
E eu sei que parece o que não se diz
o seu caso é o tempo passar
Quem fala é o doutor

Parece que foi ontem, eu fiz
aquele chá de habu
pra te curar da tosse do chulé,
pra te botar de pé

E foi dificil ter que te levar
àquele lugar.
Como é que hoje se diz?
Você não quis ficar

Os poucos que viram você aqui
me disseram que mal você nao faz
E se eu numa esquina qualquer te vir
será que voce vai fugir?
Se você for, eu vou correr!
Se for eu vou.

114 respostas em “Do sétimo andar”

Pouca gente sabe, mas essa música ia se chamar “A mãe do mendigo”.
Depois que vi isso no DVD a letra fez sentido…

meu, colocar esse nome muda total a interpretação da música… maior
bad.

agora, a pergunta que não quer calar é: o que habu?

Habú (semente) – Nome científico: Cassia torosa Cav. Família: Fabaceae.
Propriedades medicinais: depurativo, diurético, estimulante geral do metabolismo, hipotensor.
O habu é uma sementinha que no interior se conhece por fedegoso. Age sobre todo o sistema geniturinário, limpando os rins e ajudando a eliminar secreções. Muitas drogas afetam os rins.

Com certeza.. interpretar por meio da história da mãe do mendigo faz a letra
ficar bem mais clara! o que me contaram (=D) foi o seguinte: a letra nada mais é
do que a narração de uma mãe que perdeu o filho para as ruas. O filho virou um
mendigo.. aí ela conta todo o drama, fez anúncio, ouviu que “mal ele não
faz”, etc. Tentem ouvir esta música sob essa perspectiva.. é linda.

Na verdade, DA TOSSE E DO CHULÉ, são duas coisas distintas que ela usa o mesmo chá para cuidar… é comum de pessoas mais antigas tentarem resolver todos os problemas com chás para beber e banhar…

Olha, tratando-se de uma mãe que perde o filho para as ruas faz sentido, muito
por sinal, sem dívidas. Mas tem uma parte que me intriga olhando com essa
interpretação:
“E foi dificil ter que te levar
àquele lugar.
Como é que
hoje se diz?…
Você não quis ficar”
Esse “como é que hoje se diz?…
você não quis ficar” é que me faz pensar que pode também ser outra
interpretação, como se o termo “ficar” fosse algo “novo” pra
quem está falando, e o único sentindo de “ficar” que pode ser novo pra
alguém é no sentido de “ficar com alguém” concordam? Mas se o autor da
música falou que se trata de um mendigo, é um mendigo.

Ela que dizer que foi difícil levá-lo à clínica de recuperação. O ele utilizou o esquecimento como pretexto pra não entregar de bandeja o sentido da música.

Vemos nessa música, no caso da interpretação de “A Mãe do Mendigo” um
personagem muito conhecido por nós brasileiros, um jovem, provavelmente de
classe média (morador do “Alto aqui do sétimo andar) que se envolveu com o
mundo das drogas.

Na minha interpretação, essa passagem de “E foi difícil
te levar àquele lugar … Você não quis ficar” Trata-se de algum tipo de
clínica de recuperação ou algo do tipo.

Uma mãe desesperada num canto
magnífico e desesperado por ter perdido o filho pras ruas, música simplesmente
genial.

“como é que hoje se diz?”
pra mim sempre fez sentido pensar em alguém como namorado e falando da namorada
que tinha problemas com depressão, por exemplo. e tentativas de suicídio também
fizeram parte da minha interpretação. esse lugar que cita como “como é que
hoje se diz” eu acho que o autor quis dizer manicômbio, hospício, casa de
descanso ou qualquer outro nome que esses lugares recebem. levando a letra à
situação da mãe de um mendigo, mantem a interpretação sobre o lugar. não sei de
qual interpretação eu gosto mais; ambas são emocionantes.

Chá de habu, eu soube, é usado pra certas ressacas de drogas…o que torna a
idéia da mãe que perde seu filho por causa de droga mais lógica..

pode cre
Ouvi dizer isso também, me disseram que é um termo específico pra usuários de
crack. Mas nunca encontrei em nenhum outro lugar esse termo. “Mãe do
mendigo” faz, agora, todo sentido mesmo. Antes eu viajava que era sobre uma
prostituta zuada que alguém curtia e relata sua nostálgia por ela.

O que eu ouvi falar é que essa música é dedicada a um cachorro. é meio estranho
acreditar, mas encaixa. A história que eu ouvi é que ele não gostava muito do
cachorro, mas quando aconteceu o fato ele ficou muito triste por perde-o. O
cachorro havia fugido e quando ele o encontrou estava com raiva.
“Fiz aquele
anuncio e ninguem viu
Pus em quase todo lugar
a foto mais bonita que eu
fiz,
você olhando pra mim” aqui se vê que ele pois um anúncio a procura do
cachorro.
“Deus sabe o que quis foi te proteger
do perigo maior que é
você” – o cachorro tinha raiva.
“Parece que foi ontem, eu fiz
aquele chá
de habu
pra te curar da tosse do chulé,
pra te botar de pé” chá de habu até
onde eu sei é um chá q se faz pra cachorros vomitarem. (não tenho ctz)
“E
foi dificil ter que te levar
àquele lugar.” pra sacrificar o
cachorrinho.
ouvi falar que ele contou sobre isso em uma entrevista. mas não sei
de fato… …

eh, essa do cachorro eu ja ouvi tb, e sempre ouvi a musica sob essa perspectiva..

mas a da mae do mendigo tb faz sentido, eh chato porque sempre tem boatos, nao acredito que a musica fosse realmente se chamar “a mae do mendigo”, nao eh a cara de los hermanos, seria muito obvio, mas sem tem alguem que viu em uma entrevista que ninguem mais viu uma historia da letra, e ninguem nunca sabe se eh verdade

Mendigo, filho drogado, cachorro… a música não ficou mais interessante depois de lermos essa grande possibilidade de interpretações?

ta mais pra ser sobre a mãe de um mendigo mesmo..
olha soh esse trecho:

“E se eu numa esquina qualquer te vir
será que voce vai fugir?” – na esquina, mendigos são de esquinas,..

parece bem claro mesmo qndo se analisa como se uma mãe estivesse levando seu filho a uma clinica para ajuda.

“o seu caso é o tempo passar
Quem fala é o doutor”- essa outra tbmm…a cura dele eh soh com o tempo, recomenda um especialista…

mto show los hermanos…
amo d+++

E se numa esquina qualquer te vir será q vc vai fugir” serve pro cachorro também, quem tem cachorro sabe q isso acontece vc atrás do Dog ele te vê e mesmo assim sai correndo acha q é brincadeira…. Explicaria tb a “tosse e chulé ” caes mordem sapatos e tenis com frequência….. O foda é que já ouvi a teoria de ser um idoso com alzaimer se analisar tb encaixa

Bem, faz sentido em partes as versões colocadas pelos amigos acima. Eu viajei muito escutando essa letra…e na minha interpretação…via uma mãe que perdia seu filho…sendo mais cabível uma criança…porque todos sabemos que criança é um perigo à elas mesmas. A mãe tentou protegê-la(criança).
Em relação ao chá… em um chat da MTV…amarante respondeu que só colocou por colocar…não tinha bem um sentido o nome do chá…ele disse que esse chá não serve nem pra tosse e nem para chulé…só colocou para dar impressão de ser o “remédio” errado, alguém querendo cuidar de outro e acaba errando =/.
A parte que ele diz: “E foi dificil ter que te levar
àquele lugar.
Como é que hoje se diz?
Você não quis ficar”
Acho que era, de fato, uma clínica…que ela não sabia o nome…e mencionou a parte “Como é que hoje se diz”…como quem diz: ” como é mesmo o nome” ! e deixa pra lá e continua falando a reação da “criança”(minha especulação) que não quis ficar!

A versão dada da “Mãe do mendigo” eu ainda não tive chance de ver e vou procurá-la NOW!
Comentando e aprendendo…essa música é digna dos hermanos!

A explicação do Rodrigo Amarante foi que ele fez a música para o cachorro dele. Mas, as más línguas falam que ele escreveu o que a mãe dele falou (ou escreveu) para ele.

(Não sabia do outro nome próvavel pela música).

Nunca tinha ouvido uma interpretação sobre essa música, mas sempre achei que era sobre um casal em que a menina fosse drogada, bêbada, louca, sei lá o quê e ele acabava levando-a para uma clínica e depois ela fugia e facava perdida pelas ruas.
Acho que todas as interpretações aqui fazem sentido, mas nunca se sabe o que são boatos e o que não são.
Acho inclusive que o Amarante pode dar falsas pistas só para deixar mais dúbio, mais aberto.
Aliás, as letras da bandas são boas exatamente por não serem óbvias.

Rodrigo Amarante é d+..
É claro que ele não iria colocar o nome da música “A mãe do mendigo”( por mais que esse seja o suposto sentido)..Com o título DO SÉTIMO ANDAR, assim a música teria vários sentidos, dependendo daí então da maneira de querer interpretar do ouvinte ou leitor…

mais uma obra da fera Amarante.

Segundo entrevista do Amarante, a música é ficcional, então, a história do cachorro não é verdadeira, pois aí não seria ficção. Acho que é um canto da mãe sobre o filho que se perdeu no mundo e a tentativa de cuidar, apenas, da sua maneira, sem saber se é o certo…

So argumento de ser ficcional é bem fraco… Se a historia da mãe pode ser ficção a do cachorro tb…. Q brisa não sei qual é verdadeiro mas pra defender sua teoria não basta ter convicção

Eu sempre pensei que fosse a história de um casal de namorados, que tivessem terminado um relacionamento complicado, dai a mulher não gosta mais quer viver sua vida em paz.. mais o cara se torna um apaixonado neurótico que sequestra a ex e mantem ela presa dentro do apartamento..

“Fiz aquele anuncio e ninguem viu
Pus em quase todo lugar
a foto mais bonita que eu fiz,
você olhando pra mim” aqui é quando ela vai embora e ele fica procurando por ela, a parte da foto relembra os momentos felizes q tiveram.

Alto aqui do sétimo andar
longe, eu via você
e a luz desperdiçada de manhã
num copo de café” aqui é quando ele via ela da sacada do apartamento na lanchonete.. algo assim..

Deus sabe o que quis foi te proteger

do perigo maior que é você
E eu sei que parece o que não se diz.” È ele em estado de “arrependimento” se dando a razão.. e tentando convencer q era o melhor a se fazer.

“o seu caso é o tempo passar
Quem fala é o doutor”.. o caraera certamente bem mais velho.. e ela era uma mulher jovem bunita, que perderia isso com o tempo.. ele se coloca na posição de doutor, pq já passou por isso.

“Parece que foi ontem, eu fiz
aquele chá de habu
pra te curar da tosse do chulé,
pra te botar de pé” aqui é ela doente.. sobre os cuidados dele, ele relembrando como ele havia cuiado dela enquanto mateve ela em “cativeiro”.

“E foi dificil ter que te levar
àquele lugar.
Como é que hoje se diz?
Você não quis ficar” Foi dificil leva lá pro apartamento, no caso o cativeiro,.. ela não queria ficar, por isso foi ficando doente.

“Os poucos que viram você aqui
me disseram que mal você nao faz
E se eu numa esquina qualquer te vir
será que voce vai fugir?
Se você for, eu vou correr!
Se for eu vou.” .. certamente pessoas proximas dele a viram presa, pessoas tipo mãe, irmão ou amigo próximo.. esses tentam convencer ele a deixar a moça ir embora dizendo q ela não ia se fazer mal, nem mal a ninguém.. ai ele solta ela.. e fica imaginando encontra-la pela rua, pela vida.. sem saber se ela vai fugir.. mais se ela fugir.. ele vai correrr.. ou em direção a ela.. ou em direção contrária..

Bem.. conclusão final. oO O cara ficou neurótico acreditando q ela era uma mulher muito bonita q poderia fazer mal a sí mesmo, daí ele sequestra ela acreditando q assim faria um bem pra ela já q ele cuidaria dela sempre, muito tempo se passou ela ficou doente e alguem convenceu ele a deixa-la ir embora, ela foi.. e ele passa o tempo pensando em como será reencontra-la.
=D

Essa música fala de uma mãe que sabe que seu filho foi embora. Nessa música a mãe é que fala. Na musica PRIMEIRO ANDAR é o filho quem fala.

“Deus sabe o que quis foi te proteger
do perigo maior que é você
E eu sei que parece o que não se diz
o seu caso é o tempo passar
Quem fala é o doutor”

Sempre achei que a música se tratava de uma pessoa que é depressiva, e que tentou suicídio. Por isso o perigo que a pessoa causava a si.

Mas com a idéia da mãe de um mendigo.. fica bem melhor e diferente a interpretação.
“E foi dificil ter que te levar
àquele lugar.
Como é que hoje se diz?
Você não quis ficar”

Quando levaram a pessoa ao sanatório, o fato de ela não querer ficar.

ta vendo como se v q o amarante e o camelo sao grandes compositores;;a musica axo q seja de um cara drogado sabe,,e sua mae falando ;;ou pai..mais so q as infinidades de propostas q o amarante deu nessa letra sao imensas;;;volta los hermanos

Eu sempre achei que era um cachorro, depois pensei tbm que era um bichinho no sítio, mas o comentário de 19 de agosto me elucidou completamente

Essa música fala de uma mãe que quando descobriu que seu filho era drogado tentou interna-lo numa clinica e ele não quis. Ela internou ele a força e ele fugiu e nunca mais voltou. O “primeiro andar” é a resposta do filho pra mãe. Sétimo anda porque ela tá em casa e primeiro andar porque ele tá na rua.

Penso simplesmente que essa música se refere a uma garota que surta e vai parar em um hospício. “Seu caso é o tempo passar” tipo ela pode ficar boa com o passar do tempo (o surto pode cessar). “Aquele lugar, como é que hoje se diz” tipo Hoje hospital psiquiátrico não é mais chamado de HOSPÍCIO, e sim de “CAPS”. Quem a procura é o namorado dela ou coisa do tipo. Imagino assim.

Pra matar a curiosidade:

HABU

Nome científico: Cassia torosa Cav.

Família: Fabaceae.

Propriedades medicinais: depurativo, diurético, estimulante geral do metabolismo, hipotensor.

Indicações: gases, histeria, anemia, fraqueza, resfriado, purificar e desintoxicar o sangue, desinfeccionar o aparelho digestivo, controlar a fermentação dos intestinos, prisão de ventre, aumentar o movimento peristáltico intestinal.

Parte utilizada: sementes.

Modo de usar:

– chá bem forte e amargo, tostado e cru: flatulência;
– decocção: ferver 2 copos de água e então adicionar uma colher das de sopa de sementes. Deixe no fogo até que a água estiver pela metade. desligue o fogo e deixe esfriar para beber: intestino preso;
– decocção normal: ferver 2 copos de água e então adicionar uma colher das de chá de sementes. Deixe em fogo brando por mais 3 minutos. Desligue o fogo e deixe esfriar para beber 1 xícara nas principais refeições.

Fonte: http://www.plantamed.com.br/plantaservas/especies/Cassia_torosa.htm

“Como é que hoje se diz”
Está relacionado ao nome daquele lugar, da clínica de tratamento, e não ao “Você não quis ficar”;

no meu ver é uma mãe que perde seu filho para as drogas, ela fez cartazes para encontra-lo pelas ruas,fez chá(abu) para curalo, o levou a clinicas de reabilitação, ela sabe que fez de tudo para ajudalo mas so o tempo agora terá o remédio e se ela o encontrar pelas esquinas da vida vai correr(atras dele) não desistira dele, mesmo que ele o tenha feito.

Bom até agora concordo, mais com a mãe do mendigo, mas também faz sentido a do cachorro.
Só q em entrevista perguntaram a Amarante pq chá de habu, o q tinha haver com chulé, vejam aí, o que ele disse:

Bate-Papo_MTV1 pergunta: Amarante, o que tem haver ‘Chá de Habu’ (acho q é assim q se escreve), com ‘chulé’ em “Do sétimo andar”?
Amarante diz: Não acho muito saudável mastigar as letras mas vá lá, essa ficou mesmo difícil. Chá de habú não serve pra xulé nem tosse, coloquei alí pra causar a impressão de ser o “remédio” errado. Alguém que quer cuidar de outro mas acaba fazendo a coisa errada.

Eu sempre achei que essa música fosse sobre o esposo falando sobre a esposa que enlouqueceu, pois o trecho que fala sobre “a luz desperdiçada de manhã” (louco pode esquecer luz ligada e deixar comida pela metade) e “quis te protejer do perigo maior que é você” (louco não tem noção do perigo. Bom, pode até não ser este sentido real, mas pode se imaginar desta maneira tb. Por isso eu adoro Los Hermanos.

a música fala da mãe de um ladrão,e ela denuncía ele:”E foi dificil ter que te levar àquele lugar. Como é que hoje se diz? Você não quis ficar”, e o mesmo vai preso, por isso ela diz:”Deus sabe o que quis foi te proteger do perigo maior que é você”

bom. É isso que eu acho!

Essa musica é muito legall
Mas complexa…
E deixa em aberto para varias interpretações..
ma eu particularmente acredito.. que seja uma mãe que perde seus filhos para as drogas
E ela faz de tudo para ajuda-lo…

Sinceramente essa musica fala sobre um cachoro, tanto que ele diz na musica, “parece ser o que nao se diz” eu acho tao claro ser um cachorro que nao consigo mais interpretar de outra forma.

Eu ouvi falar que essa musica foi feita pra uma louca..
Essa parte se encaixa bem: “deus sabe o que eu quis foi te proteger, do perigo maior que é voce”
e essa parte também: ”
E foi dificil ter que te levar
àquele lugar.
Como é que hoje se diz?
Você não quis ficar”
parece um cara levando a menina louca num hospício..

Hum… a interpretação envolvendo o mendigo faz sentido…
Porém eu via como se fosse alguém falando de um amigo, parente, ou seja quem for, que se envolveu com drogas…
Mas, enfim… isso que é Los Hermanos… é esse jeito diferente de falar que faz cada um ver o próprio mundo na música… que nos faz pensar…
A propósito… essa é uma das melhores músicas, na minha opinião…

na verdade eu interpreto a música como algo espirita, não q eu seja,rsrrs!! mas o nome já diz
sétimo andar =ou seja a 7 palmos do chão. e ele conta a história de sua mulher q se matou!!antigamente as pessoas espiritas tinham costume de beber café em velórios. quando ele diz q —- o seu caso é tempo passar, quem fala é o doutor!! quer dizer q ele conversou com um medium e ele disse q ela ia reencarnar!!!
no 4 parágrafp ele está tendo uma lembrança do relacionamento!!
e naquele parte q ele diz q foi dificil ter q leva-lá aquele lugar! ele está se referindo ao cimitério(ela não quis ficar nesse mundo)
os poucos q viram o espirito dela perto dele são outros mediuns tbm!!!
e então ele faz uma pergunta para saber se ele ve-lá,ela vai fugir dele novamente!!
ae a resposta está na música PRIMEIRO ANDAR q é uma carta psicografada dela q está no “primeiro andar” para responder tudo oq ele havia dito!!e ela pede no final da carta para ele guardar um sonho bom pra ela!!
e mais uma vez ele responde na música OS PÁSSAROS q é o sonho!!!
vlw galera!!passei muito tempo pesquisando isso!!espero q tenha ajudado!hahahahah

Minha interpretação é a de uma mãe que perdeu os filhos pras drogas. O lugar que ela quis levar é uma clínica de recuperação, e ele fugiu virando mendigo.

Bom… Assim como alguns internautas comentaram por aí, a questão do “cachorro” faz sentido sim!
Mas acredito que essa música seria um cara falando se sua ex namorada, na qual a mesma se encontrava num momento muito louco de paixão por ele e ele tentava protegê-la dela mesma. Quando ele fala “DEUS SABE O QUE EU QUIZ FOI TE PROTEGER,DOPERIGO MAIOR QUE É VC…”

E aí ela acaba se afastando dele mas depois ele passa a visualizar a situãção passada de alguma outra forma e pensa se quando reencontrá-la será da mesma formaou se dessa vez, ela quem irá fugir dele. Quando ele fala “E SE EU NUMA ESQUINA QUALQUER TE VIR, SERÁ QUE VC VAI FUGIR…” Na parte que ele diz “

Bom… Assim como alguns internautas comentaram por aí, a questão do “cachorro” faz sentido sim!
Mas acredito que essa música seria um cara falando se sua ex namorada, na qual a mesma se encontrava num momento muito louco de paixão por ele e ele tentava protegê-la dela mesma. Quando ele fala “DEUS SABE O QUE EU QUIZ FOI TE PROTEGER,DO PERIGO MAIOR QUE É VC…”

E aí ela acaba se afastando dele mas depois ele passa a visualizar a situãção passada de alguma outra forma e pensa se quando reencontrá-la será da mesma forma ou se dessa vez, ela quem irá fugir dele. Quando ele fala “E SE EU NUMA ESQUINA QUALQUER TE VIR, SERÁ QUE VC VAI FUGIR…”

Muito perfeita essa música.. e o grande encanto dos fãs de LOS pela banda é o fato de as músicas se encaixarem na vida de cada uma!

=D

Sempre que ouço a música me vem à cabeça tanto a idéia de uma pessoa viciada em drogas ou com alguma doença psquiátrica e, a outra pessoa tenta ajudar, proteger, cuidar, curar… pode ser mãe/pai e filho, um casal, irmãos…
Li a respeito do cachorro e pode fazer sentido sim. Mas um dia achei este vídeo – http://www.youtube.com/watch?v=Uzt3MRYtRas – e deu pra ver que pro cachorro não foi!!

A música é linda, independente da interpretação…

eu acho que a musica foi feita pra uma guria q o cara ama mas por sei la droga ou depressão,ta passando por um momento dow e ai ele faz de tudo pra ver ela se recuperar, isso porque ele a ama e tal, tipo fala os poucos amigos q te viu dizem q mal vc nao faz ou seja, os amigos dele não o incentiva mas fala tipo blz se tu ama msm ela vai la!!!! agora o cara ali falo q a musica foi feita pra um cachorro, isso deve ser mulecagem dele

caramba velho mas parece msm q a musica foi feita pra um cachorro, so a parte do chule q nao tem nada a ver, mas tipo olhando aqui do sétimo anda e o cachorro la embaixo e a foto mas bonita do cachorro olhando pra ele ai tipo fiquei em duvida se o cachorro sumiu e ele fez o anuncio ou se ele teve q sacrifica o cachorro naquele lugar q hoje se diz, ai o cachorro nao foi morto e ta por ai na rua, mas se ele encontra o cachorro ai ele vai correr e pega o cachorro de volta. mas prefiro acha q e pra ou uma paixao dele q ta dow doque q eum cachorro.

Tem um cara ai que comentou… e ta certo….o nome da musica original ja diz tudo…
a mãe do mendigo..o Amarante é genial ele tenta dizer tudo no titulo…

Fiz aquele anuncio e ninguem viu
Pus em quase todo lugar
a foto mais bonita que eu fiz,
você olhando pra mim

(ele ja estava perdido na rua, sei la…mendigo na rua)

Alto aqui do sétimo andar
longe, eu via você
e a luz desperdiçada de manhã
num copo de café

(ate que ela ve ele no seu AP do alto do 7º andar)
(vc e a luz se desentregrando, inuteis,,, a luz não vale nada no copo de café pq ele é preto saca?…o cara ta sendo um nada um ninguem..)

Deus sabe o que quis foi te proteger
do perigo maior que é você
E eu sei que parece o que não se diz
o seu caso é o tempo passar
Quem fala é o doutor

(Problemas psicologicos ou com uso de drogas…ela o internou em 1 clinica sanatorio/reabilitção. onde o tempo é a solução a isolação social.)

Parece que foi ontem, eu fiz
aquele chá de habu
pra te curar da tosse do chulé,
pra te botar de pé

(lembrande de uma mãe…dando chá para curar os diversos enfermos da sua infancia)

E foi dificil ter que te levar
àquele lugar.(manicomio)
Como é que hoje se diz?
Você não quis ficar

(INTERNADO EM UM MANICOMIO- ele até fala em um show aovivo.àquele lugar… Amarante: – manicomio e como todos a negação do problema)

Os poucos que viram você aqui
me disseram que mal você nao faz
E se eu numa esquina qualquer te vir
será que voce vai fugir?
Se você for, eu vou correr!
Se for eu vou.

(nesse momento ele fugiu do manicomio ou saiu normal e foi pra rua…o povo ja o vê como mendigo na rua e indicam onde procurar e falam q é inofencivo. A mãe se pergunta se ele ver a mãe se vai fugir por para não voltar pra isolação. e ela ira atras dele se ele fugir.)

eu acho q é isso sei la…

eu acredito também que dá mãe pra um mendigo!!!ou uma mulher que adota um menino de rua!!!ou uma mãe que tem um filho que é viciado em drogas!!!ou também de um homem pra uma prostituta!!!!!
várias formas de entender a músicas de amarante

É engraçado como às vezes as pessoas são acometidas por uma insanidade (ou burrice) coletiva, e uma idéia esdrúxula ganha ares de conhecimento, verdade e o que é pior: consenso. Cachorro???? Vão viver a vida fora de um quarto ou da frente do computador pra vivenciarem problemas da vida real e não confundirem com coisas ínfimas. A música nem é tão metafórica ou profunda e as pessoas só pensam em uma foto de cachorro perdido colada em um poste. Que limitação !!!!

Bom, independente da interpretação de cada um, acredito que todos devem respeitar a opnião alheia, afinal é muito pessoal, sem contar que a música ativa seu psicológico de acordo com seu estado de humor atual. Hoje voce pode ouvir essa música e interpretar de uma maneira, e daqui algum tempo voce pode ouvir a mesma musica, e interpretar de outra maneira. Isso é chamado na Psicologia como projeção. Você projeta sentimentos próprios, que pode estar relacionados com suas vivências ou não, em um objeto, coisa, ou no caso, a música. A verdade absoluta não existe, afinal é uma obra de arte. O Amarante tem sua idéia ao escrever, que jamais será sentida da mesma forma em alguem que escute ou toque essa música. Até que ele nos conte a verdade da interpretaçao dele, que não é o caso. Então o comentário feito pelo Nunes, com termos utilizados como “insanidade, burrice coletiva, idéia esdruxula” pode ter sido um tanto prepotente, preconceituoso, precipitado e hipócrita.

No meu caso essa música me marcou significativamente na minha tentativa de suicidio. Eu sou alcoolatra, depressiva bipolar e espírita. Acredito que espíritos tenham forças de comunicaçao através da mente, e foi através dessa música que eu consegui voltar em sã consciencia e não cometer uma auto-destruição fatal. Eu estava tomando um remédio usado por alcoolatras, que se misturado com bebida, pode causar o coma ou a falencia. E quando tentei me suicidar com remédios, e percebi que não havia obtido sucesso, me passou pela cabeça usar alcool, que havia parado ha mais de dois anos. Então uma força de outra dimensão, me fez parar, através da audiçào dessa musica mentalmente. E só esperei o tempo passar, que tudo voltou ao normal, meu surto passou. Hoje agradeço a Deus, ao Amarante, aos espíritos, e as pessoas que me amam, por ainda estar aqui.

Por favor, respeitem minha vivêmcia, meu desabafo e aprendam a aceitar os outros, para um mundo melhor =]

Concordo com o Humberto.
O interessante de analisar as letras são as diversas interpretações. Assim podemos compartilhar nossas idéias e abrir a mente para novas perspectivas. Podendo tentar entender o que ela pode significar pra você. ou pro Amarante.
Paz e amor galera… Los Hermanos é foda!

Olha, não li todos os comentários sobre a letra dessa música, mas percebi que o tal do “cachorro” está mesmo em primeiro lugar. Eu concordei com um amigo quando ele falou que Rodrigo Amarante falou que a música tinha sido feita pra um cachorro. Mas, a minha interpretação pessoal, antes de saber disso, ou concordar que seria um cachorro (até porque eu nem tenho certeza), era a seguinte: um cara teria se apaixonado por uma moça com problemas mentais. Eu não pensei em drogas, muito menos em cachorro. Pensei no amor entre um homem normal e uma moça com problemas mentais. Afinal, como é que um cara vai fazer um chá pra um cachorro??? Mas, como disseram que foi pra um cachorro, eu tenho mais é que acreditar.
Voltem, Los Hermanos!!!

Ela não aceitou um certo “problema mental do filho” quando diz “Deus sabe o que quis foi te proteger
do perigo maior que é você” depois se arrepende e tenta encontrar o filho de volta .

Minha interpretação tem algo parecido do que vi aqui, mas vou tentar especificar algumas outras idéias:

“Fiz aquele anuncio e ninguem viu
Pus em quase todo lugar
a foto mais bonita que eu fiz,
você olhando pra mim”

A música trata de uma mãe procurando um filho que nesse primeiro parágrafo entende-se como desaparecido. E de fato está, pois a história se desenrola…

“Alto aqui do sétimo andar
longe, eu via você
e a luz desperdiçada de manhã
num copo de café”

Nesse trecho que eu tenho algumas dúvidas.
Pode-se entender que a mãe vê o filho de fato, “perdido” na rua, nas drogas (assim a interpretação do mendigo faz sentido). Mas eu fico pensando se a mãe apenas não imagina que vê, de tanto que quer ver.
Ela diz para si mesma que vê por que é isso que ela quer.

“Deus sabe o que quis foi te proteger
do perigo maior que é você
E eu sei que parece o que não se diz
o seu caso é o tempo passar
Quem fala é o doutor”

Nesse trecho a mãe já encontrou o filho, e a história está se desenrolando. E entende-se que a mãe internou o filho numa clínica de reabilitação (onde a idéia é reforçada em outro trecho), ela não tem certeza de que o que fez foi certo, tenta se convencer de que quis o bem dizendo que “deus sabe” e que o “doutor falou”, mas parece que ela quer afirmar que não foi covarde, embora sinta que é.

“Parece que foi ontem, eu fiz
aquele chá de habu
pra te curar da tosse do chulé,
pra te botar de pé”

Nesse trecho a mãe talvez lembre da infância, em que qualquer remédio servia para os problemas (que não eram tão grandes como agora).

“E foi dificil ter que te levar
àquele lugar.
Como é que hoje se diz?
Você não quis ficar”

Esse é o trecho que reforça a idéia de que a mãe internou o filho numa clínica de reabilitação. Expressões como “aquele lugar” e “como é que hoje se diz?” mostram que a mãe não sabe de certo o que é uma clínica, o que também reforça a idéia de ela estar com remorso por ter sido covarde, port não saber lidar com os problemas.

“Os poucos que viram você aqui
me disseram que mal você nao faz
E se eu numa esquina qualquer te vir
será que voce vai fugir?
Se você for, eu vou correr!
Se for eu vou.”

O final eu penso que tem duas interpretações.
Pode-se entender que ele fugiu da clínica e voltou para as ruas, pois no trecho anterior o final é “você não quis ficar” e o outro começa com “os poucos que viram você aqui”. Aqui parece ser “rua”.

E então ela se pergunta sobre a reação do filho ao vê-la. Ela reconhece a hipótese dele fugir, o que é mais uma prova de que ela sente-se culpada. Como em vários trechos podemos perceber.

Por fim ela acaba dizendo que vai atrás do filho, mesmo se esse fugir- E essa afirmação faz todo o sentido para a história já que ela passa se lamentando pelo sentimento de culpa e por fim diz que não vai atrás dele (para talvez fazer diferente?).

O outro final que eu consigo imaginar é que o filho não fugiu da clínica. Mas que a mãe não vai visitá-lo por que ele a rejeita justamente por ela tê-lo mandado para lá. O que ela ouve dizer sobre ele é o que as pessoas da clínica dizem.

Quando ela diz que se ela o vir, ela vai atrás dele, quer dizer que se ela tiver coragem para ir visitá-lo ela vai tomar atitude diferente do que vem tomando.

Essa música me faz lembrar o filme Bicho de sete cabeças.

Só pra ter uma idéia, essa musica era pra se chamar “A MAE DO MENDIGO” de acordo com o making of do DVD deles, entao concordo plenamente com Camila!

Bem, no meu ponto de vista a musica nao teria nada de parecido com mãe de mendigo ou com cachorro perdido e sim com a mulher dele que teria cometido um ato suicida, na parte da musica “E foi dificil ter que te levar
àquele lugar.
Como é que hoje se diz?
Você não quis ficar.
Foi dificil levar ate o enterro. e nao quis ficar com ele. Quanto ao cha percebe-se que ele estava cuidando dela. tambem quanto a foto pode ser referindo aos santinhos. No final quando ele fala “Os poucos que viram voce aqui me disseram que mal voce nao faz”. pode ser que quando a pessoa se mata o espirito continua vagando no local. No meu ponto de vista faz muito sentido.

Essa música conta a história do cachorro dele que comia os sapatos dele e ficou doente, nesse trecho: “Parece que foi ontem, eu fiz
aquele chá de habu
pra te curar da tosse do chulé,
pra te botar de pé” é relatado isso;

No meu ponto de vista.A música foi feita pra uma mulher que tinha problemas mentais. Ela é levada para um manicômio e foge de lá e é colocado anuncio no jornal.

Óbvio que a música fala de um usuário de drogas, cuja mãe o internou numa clínica de reabilitação. Vários são os trechos que demonstram isso, como, por exemplo, “Deus sabe o que quis foi te proteger do perigo maior que é você
E eu sei que parece o que não se diz o seu caso é o tempo passar Quem fala é o doutor”, ou então “E foi dificil ter que te levar àquele lugar. Como é que hoje se diz? Você não quis ficar”

Nos extras de um dos DVDs do Los hermanos (esqueci qual,acho q é o aoo vivo no cine iris) mostra como foram feitas as musicas do Ventura. Durante a escolha do nome das músicas era cogitado o nome “A mae do mendigo” pra musica sétimo andar. Fica a dica, acho que se encaixa muito bem a letra pra a historia da mae de um mendigo que tem problemas com vicios.

Seguinte…

Cada um interpreta de uma maneira, fala o que entendeu, ou sei lá o que.

Eu, entendo ela do meu jeito, na minha vida e nos meus sentimentos….

Tenho certeza que cada um faz isso também..

então…

Curta LosHermanos.

Se te faz bem.

Cante LosHermanos.

Eu acho que essa música fala sobre a perda de alguém que ele tentou ajudar e não conseguiu.
Ela é toda no passado e mistura um pouco de loucura e desepero de ver alguém que você ama se destruindo e recusando ajuda.

1º – “Ele fez um anúncio que ninguém viu mesmo colocando em quase todo lugar”; – Quer dizer q a pessoa só era importante pra ele.
2º – “Alto aqui do sétimo andar, longe, eu via você, e a luz desperdiçada de manhã,num copo de café”; – a luz desperdiçada,é quando você não consegue dormir esperando alguém voltar, acho q ele fica na janela lembrando da pessoa, das coisas que tentou fazer pra ajudar mas o relacionamento acabou pq a pessoa não queria ajuda.
o resto da música são lembranças e esperança de um dia reencontrar.

putz.. sempre pensei em um cara apaixonado por uma mulher que acabou ficando louca, nunca tinha pensado em uma mãe de um usuário de drogas. faz todo sentido.. tinham umas partes que pra mim não se encaixavam bem, agora tudo fez sentido. Concordo com a teoria do filho viciado.

putz.. sempre pensei em um cara apaixonado por uma mulher que ficou louca, nunca tinha pensado em uma mãe de um usuário de drogas. faz todo sentido.. tinham umas partes que pra mim não se encaixavam bem, agora tudo fez sentido. rs Concordo com a teoria do filho viciado.

Sempre pensei nessa musica com um eu masculino e o outro personagem como sendo alguém que ficou louco. Na minha cabeça, era um casal de velhos, mas essa idéia de drogas ta me fazendo pensar…

Sempre imaginei que a muysica tratva de uma metafora sobre o conviviu de alguem com seu cachorro… em um apartamento onde era proibido entar com animais e tal… ohhh affs

Tambem sempre imaginei um cachorrinho…. em um apartamento onde não se podia viver com animais… mas a arte é justamente feita apara permitir reflexões multiplas… e quem disse que todos não estão certos?

Pessoal, sinto muito decepcioná-los e acredito que cada um enquadra a música da forma que achar mais conveniente em sua vida/cotidiano. A interpretação d música ser para uma mulher ou filho(a) nada tem a ver com o nome da música que poderia ter sido ‘a mãe do mendigo’. Um cachorro de rua, num contexto humanizados é como um filho…e na rua se torna um mendigo. Essa música foi feita justamente para causar esta ‘confusão de pensamento’ mas na realidade foi feita inspirada em um cachorro realmente.

‘Fiz aquele anuncio e ninguem viu
Pus em quase todo lugar
a foto mais bonita que eu fiz,
você olhando pra mim
Alto aqui do sétimo andar
longe, eu via você
e a luz desperdiçada de manhã
num copo de café’
—>(ELE, do alto do seu prédio observava um cachorro de rua (por isso ter pensado em colocar o nome da música de ‘A mãe do mendigo’) e resolve fotografar este cão como várias pessoas fazem comumente e procurar o verdadeiro dono (ou novamente ‘a mãe do mendigo’)).

‘Deus sabe o que quis foi te proteger
do perigo maior que é você
E eu sei que parece o que não se diz
o seu caso é o tempo passar
Quem fala é o doutor
Parece que foi ontem, eu fiz
aquele chá de habu
pra te curar da tosse do chulé,
pra te botar de pé’
—-> (Ele levou o cachorro para casa e percebeu que o cão era doente (como muitos cachorros de rua). Um cão dependendo da doença se torna um risco para si mesmo e se não for um cão acostumado a rua então…’do perigo maior que é você’. Quando ele diz ‘eu sei que parece o que não se diz’, quer dizer que levou o cachorro ao médico (veterinário) mas que o mesmo foi desenganado ‘o seu caso é o tempo passar, quem fala é o doutor’ (e encorajado a encaminhá-lo para adoção). Na MTV Amarante diz: ”Não acho muito saudável mastigar as letras mas vá lá, essa ficou mesmo difícil. Chá de habú não serve pra xulé nem tosse, coloquei alí pra causar a impressão de ser o “remédio” errado. Alguém que quer cuidar de outro mas acaba fazendo a coisa errada.” Logo, nada ele podia fazer pelo cachorro mas não queria simplesmente abandoná-lo novamente a própria sorte (e possivelmente já doente por não estar acostumado a viver nas ruas).

‘E foi dificil ter que te levar
àquele lugar.
Como é que hoje se diz?
Você não quis ficar’
———>(Ele levou o cachorro para o centro de adoção e controle de zoonoses)

Os poucos que viram você aqui
me disseram que mal você nao faz
E se eu numa esquina qualquer te vir
será que voce vai fugir?
Se você for, eu vou correr!
Se for eu vou.
——–>(Os poucos amigos dele que viram o cachorro no apartamento induziram ele a encaminhar o cão para a adoção por se tratar de um bom cachorro ‘me disseram que mal vc não faz’, e ‘se eu numa esquina qualquer eu te vir, será que você vai fugir’ (se caso o cachorro conseguir fugir será que ao se druzarem na rua ele lembrará do seu pseudo dono?! E caso eles se encontrem novamente ele correrá para ficarem juntos ))

Neste blog também a pessoa faz uma análise BEM parecida com a minha com sutis diferenças…

Infelizmente e sinto decepcioná-los, a interpretação da música é esta.

Eu posso até ter viajado e tal. Mas quando eu ouvi essa música eu pensei em uma mulher com transtornos, que é um perigo pra si mesma, mas não para os outros. Talvez uma suicída, ou algo assim. Talvez eu tenha levado pro intímo realmente, mas acho que a música se adéqua ao que pensei.

Bom, apesar de o making off revelar o outro possível nome, “A Mãe do Mendigo”, e de a história ter a ver com os cuidados de um cachorro (sei lá se é isso mesmo), a ideia central é justamente confundir quem escuta, gerar pensamentos e diversas interpretações engraçadas e talz.. aquele negócio de mastigar as palavras não ser lá muito saudável dá nó na cuca e margem pra interpretação pessoal, especialmente quando não se tem muita intimidade com elaboração e desenvolvimento textual, mas é esse o resultado esperado, cada um adiciona um filtro pra informação, e alguns chegam ao absurdo (até muito lógico, quando não se tem referência do autor) de achar que era sobre uma mulher com transtornos mentais, etc..

É engraçada a interpretação do cachorro. A teoria da mulher louca me pareceu um pouco fora da realidade. Parece se tratar de um viciado em drogas em vários trechos.
Ninguém nunca parece estar preparado para lidar com algum amigo ou parente viciado em drogas, aí quem tenta ajudar muitas vezes erra, embora a intenção seja boa:

“Deus sabe o que quis foi te proteger
do perigo maior que é você
E eu sei que parece o que não se diz
o seu caso é o tempo passar
Quem fala é o doutor”

Parece se referir a uma clinica de reabilitação, que pode ter vários nomes justamente para aliviar o peso da palavra:

“E foi dificil ter que te levar
àquele lugar.
Como é que hoje se diz?
Você não quis ficar”

E por não querer o tratamento, a pessoa fugiu, está morando na rua. Os poucos que viram tal pessoa entregue ao vício, morando na rua, sabem que aquela situação não traduz o que ele era antes do vício. Mas o viciado tem que querer o tratamento e nao ser pego a força. Entretanto, o sujeito que está tentando ajudar, vai fazer de tudo pra não perder ele de novo:

“Os poucos que viram você aqui
me disseram que mal você nao faz
E se eu numa esquina qualquer te vir
será que voce vai fugir?
Se você for, eu vou correr!
Se for eu vou.”

Engraçado… não foi só eu, muita gente também acha que se trata de uma mulher louca. Aliás, mesmo depois que vi dizerem que o nome era pra ser “A Mãe do Mendigo” ainda não desconsidero totalmente pois existem muitos que se tornam mendigos por serem loucos. Mas depois que vi falarem sobre problemas com drogas também passei a achar a interpretação razoável. A mesma coisa pro cachorro, mas aí creio que seja mais uma interpretação pessoal. Fico dividido entre a mulher louca e com problemas com drogas.

Eu acho que na verdade a musica trás características mais de um gato, do que de um cachorro. Um cachorro, por mais que passe pouco tempo com alguém, ele se apega e jamais correria de alguém que o alimentou, como é descrito na musica. =) é o que eu acho.

Muito interessante a interpretação do cachorro, cabe-se bem ao contexto se formos parar para analisar(Eu, particularmente nunca tinha notado).
Minha tese interpretativa é de a música é contada por uma mãe de um viciado em drogas.
Tive uma maior convicção quando vi um vídeo do amarante no youtube da musica interpretada por ele junto ao Cidadao Instigado (http://www.youtube.com/watch?v=1Cbeo4pFQLk)em que no momento 2:38 ele comenta o que seria “AQUELE LUGAR”.
Creio que não cabe a um cachorro depois do referido local.

Nem cachorro, nem gato, nem mendigo, nem viciado.

Simplesmente um psicótico. Provavelmente um esquizofrênico. Um alguém pouco compreendido pela sociedade, que precisa de cuidados, as vezes hospitalares. Não necessariamente viciado.

Fala da relação da mãe com o filho psicótico. Uma mãe dedicada, atenciosa, obstinada, mas pesarosa com a situação que é realmente muito complicada. Só quem convive ou trata desses pacientes (ou artistas sensíveis) podem entender o que se passa na cabeça de pais de doentes psicóticos.

A música fala de uma mãe, seu filho psicótico, talvez esquizofrênico e algumas situações peculiares dessa relação, como o internamento (na ala psiquiátrica de um hospital geral, no sétimo andar), o caráter crônico da doença e a dificuldade em lidar com um filho difícil de ser compreendido.

É uma música triste. Muito sensível. Ajuda a gente a entender o sofrimento de pais que tem filhos com transtorno mental.

Se trata de uma mãe que só queria cuidar do filho mas o filho cresceu traumatizado com a mãe e toda vez que ele via a mãe ele fugia

Esta música foi composta para uma cachorra, avistada pelo bem feitor do seu apartamento, vagando pelas redondezas do prédio. Após tentar encontrar o veerdadeiro dono dela, através de anúncio com foto e tudo, levá-la ao veterinário e “curar da tosse de chulé”, mesmo com o incentivos pela adoção, dos que a conheceram, durante sua breve convivência, ele a levou para um centro de zoonose (E foi difícil ter que te levar àquele lugar, Como é que hoje se diz?).

Adorei a interpretação que vocês fizeram falando que a música foi feita para um cachorro, mendigo, drogado! Só para deixar claro, hoje em dia, o autor não é o “dono da verdade”. Quem ouve música ou vê qualquer coisa ligada a arte pode interpretar como quiser, desde que haja algum cabimento 😉 . Agora, vou falar a minha interpretação. Desde que parei para analisar e discutir essa música com meus amigos fiquei encantada. Para mim (e meus amigos) é um homem falando que a sua mulher ficou com algum problema mental. Ela tinha enlouquecido, falava nada com nada, dizia que estava com doenças quando não estava: “Parece que foi ontem, eu fiz aquele chá de HABU pra te curar da TOSSE DO CHULÉ, pra te botar de pé”, então certo dia ele a viu quase pulando da janela do sétimo andar (esse fragmento da música que vou citar não prova o que falei :c ): “Alto aqui do sétimo andar longe, eu via você e a luz desperdiçada de manhã num copo de café”, desesperado, o homem a levou para o médico, este disse que ele deveria a botar numa casa de gente “louca” e, com medo que ela se matasse ou algo assim, a botou lá até que ela melhorasse: “o seu caso é o tempo passar, Quem fala é o doutor”, “Deus sabe o que quis foi te proteger do perigo maior que é você. E eu sei que parece o que não se diz” e “E foi difícil ter que te levar àquele lugar.”, ele ficou muito triste em ter que fazer uma coisa dessas com sua amada. Certo dia, ela fugiu de lá, ele fez de tudo para encontra- la: “Fiz aquele anuncio e ninguém viu, Pus em quase todo lugar a foto mais bonita que eu fiz, você olhando pra mim”, “Você não quis ficar” ele ficava com medo da sua mulher ter ficado com raiva dele, de ela não entender que ele fez aquilo com ela por muito a amar: “E eu sei que parece o que não se diz” e “E se eu numa esquina qualquer te vir, será que você vai fugir? Se você for eu vou correr! Se for eu vou.” Aiii, que musicão! Então, Isso é o que eu acho!

Me diverti em 2017 lendo quase todas essas analises da letra. O Amarante causa esse tipo de sentimento na galera e isso é genial. Mas ao longo dos anos ele foi esclarecendo muitas dessas letras.

No caso de “Do Sétimo Andar” ele já comentou na MTV, pouco depois do hiato da banda que sempre ria dessas história da musica ser pra um cão, e que depois de ouvir essa teoria até achou que poderia fazer algum sentido.

Mas ele já deixou meio claro que a musica se trata da história de uma mãe cujo o filho se envolveu com drogas ou sofria de alguma doença mental e apesar de todos os seus esforços, muitas vezes errados(como o erro de dar o Chá de Habú, uma tentativa inadequada pro problema em questão), o “perdeu” pras ruas.
No caso a musica é o lamento de uma mãe.

Essa interpretação fica clara pelo titulo provisório da musica “A Mãe Do Mendigo”, citado por ele mesmo durante a gravação do Ventura, que é mostrado no DVD do Cine Íris.

Fica mais claro no video que ele toca a musica com o Cidadão Instigado e no trecho:

“E foi difícil ter que te levar
Àquele lugar
Como é que hoje se diz?
Você não quis ficar”

Ele chama o lugar de “Manicômio”.

Mas o Amarante não gosta de explicar as letras, ele prefere que cada um fique com sua própria sensação, que entenda a musica da maneira que sentiu ela quando a ouviu pra primeira vez.

Uma observação: A teoria de que “Primeiro Andar” seja uma resposta a essa musica é improvável, já que o Amarante já explicou que o “Primeiro Andar” do título não se refere a um local, mas sim ao ATO de andar pela primeira vez… A musica fala sobre conhecer, descobrir…

Já a musica “Pássaros” pode sim ter alguma inspiração espírita, pois fala sobre descanso, como alguém que fala depois de morto… (Quem já viu as explicações dele sobre Ribbon e I’m Ready do disco Cavalo vai entender melhor porque isso é possivel!)

Li quase todos os comentários, gostei muito. Interessante isso de uma música despertar nosso interesse afim de buscar respostas. Eu achava que a música se referia a um casal em que um tinha problemas mentais. Mas a ideia de uma relação maternal me agrada mais. Inclusive, é sempre pai e mãe que reclama de desperdício de energia rs
O comentário de 26/05/2017 é esclarecedor. De qualquer modo, foi ótimo ler oa comentários. Adoro o Amarante, ele é com certeza um dos melhores da sua geração.

Conheço a interpretação da mãe do mendigo. Mas antes de saber dessa conotação eu interpretava como um cara apaixonado por uma menina que tinha problemas mentais.
O Cara tentou de toda forma mante-la por perto, mas a observava de longe. (longe, eu via você). O inicio da musica fala de uma foto que ele tirou dela olhando pra ele.
Interessante q apos falar com o doutor ele se dá conta de que nesse caso ele precisa esperar o tempo passar.[para ter de volta a sanidade mental da moça?]
É interessante que o eu-lírico vê toda a situação como um pequeno detalhe. “Os poucos que viram você aqui
me disseram que mal você não faz
E se eu numa esquina qualquer te vir
será que você vai fugir?”
Em relaçao ao chá de habu pra cura de qualquer mal (tosse e chulé) expressa que até o Amor é uma forma de loucura.
Acho válida essa interpretação. No fundo o Amor também é uma forma de loucura. A melhor delas!

Pra mim é sim a interpretação da mae de uma pessoa que se revoltou com a vida e virou mendigo.

Mas não entendo como o problema dessa pessoa possa ter a ver com droga, por no trecho “seu caso é o tempo passar, quem fala é o doutor”…

Pra nenhum dependente químico o caso é o tempo passar. O que fez esse filho(a) ir para as ruas e virar mendigo me parece ser um conflito psico-ideologico… Como se ele simplesmente fizesse questão de viver daquele jeito por conflitos mentais/morais/sociais… O que não é raro de se ver por ai… Pessoas q moram nas ruas por escolha própria SEM ter envolvimento com dependência química…

Daí então a solução pra isso, do ponto de vista de um medico seria o tempo passar. Pra um dia quem sabe ele ver as coisas diferentes e ter uma vida “normal”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *