Cidade Negra

Firmamento

o que é que eu vou fazer agora
se o teu sol não brilhar por mim
num céu de estrelas multicoloridas
existe uma que eu não colori

forte, sorte na vida, filhos feitos de amor
todo verbo que é forte
se conjuga no tempo
perto, longe o que for

você não sai da minha cabeça
e minha mente voa
você não sai, não sai, não sai, não sai…

entre o céu e o firmamento
não há ressentimento
cada um ocupando o seu lugar
não sai não, não sai, não sai, não sai, não sai…

o que é que eu vou fazer agora
se o teu sol não brilhar por mim
num céu de estrelas multicoloridas
existe uma que eu não colori

forte, sorte na vida, filhos feitos de amor
todo verbo que é forte
se conjuga no tempo
perto, longe o que for

você não sai da minha cabeça
e minha mente voa
você não sai, não sai, não sai, não sai…

entre o céu e o firmamento
existe mais coisas do que julga
o nosso próprio pensar
que vagam pelo tempo
e aquele sentimento de amor eterno

entre o céu e o firmamento
existem mais coisas do que julga
o nosso próprio entendimento
que vagam como o vento
com aquele juramento de amor eterno

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>