Chico Science & Nação Zumbi

Maracatu Atômico

O bico do beija-flor
Beija a flor, beija a flor
E toda fauna-flora grita de amor
Quem segura o porta-estandarte
Tem a arte, tem a arte
E aqui passa com raça eletrônico o maracatu atômico

Anamauê, auêia, aê
Anamauê, auêia, aê
Anamauê, auêia, aê
Anamauê

Atrás do arranha-céu tem o céu tem o céu
E depois tem outro céu sem estrelas
Em cima do guarda-chuva, tem a chuva tem a chuva,
Que tem gotas tão lindas que até dá vontade de comê-las

Anamauê, auêia, aê
Anamauê, auêia, aê
Anamauê, auêia, aê
Anamauê, auêia, aê

No meio da couve-flor tem a flor, tem a flor,
Que além de ser uma flor tem sabor
Dentro do porta-luva tem a luva, tem a luva
Que alguém de unhas negras e tão afiadas esqueceu de pôr

Anamauê, auêia, aê
Anamauê, auêia, aê
Anamauê, auêia, aê
Anamauê, auêia, aê

No fundo do para-raio tem o raio, tem o raio,
Que caiu da nuvem negra do temporal
Todo quadro negro é todo negro é todo negro
Que eu escrevo seu nome nele só pra demonstrar o meu apego

Anamauê, auêia, aê
Anamauê, auêia, aê
Anamauê, auêia, aê
Anamauê, auêia, aê

O bico do beija-flor
Beija a flor, beija a flor,
E toda fauna flora grita de amor
Quem segura o porta-estandarte
Tem a arte, tem a arte
E aqui passa com raça eletrônico o maracatu atômico

Anamauê, auêia, aê
Anamauê, auêia, aê
Anamauê, auêia, aê
Anamauê, auêia, aê…

0 comentário sobre “Maracatu Atômico

  • O bico do beija-flor
    Beija a flor, beija a flor
    E toda fauna-flora grita de amor
    Quem segura o porta-estandarte
    Tem a arte, tem a arte
    E aqui passa com raça eletrônico o maracatu atômico

    Anamauê, auêia, aê
    Anamauê, auêia, aê
    Anamauê, auêia, aê
    Anamauê

    Atrás do arranha-céu tem o céu tem o céu
    E depois tem outro céu sem estrelas
    Em cima do guarda-chuva, tem a chuva tem a chuva,
    Que tem gotas tão lindas que até dá vontade de comê-las

    Anamauê, auêia, aê
    Anamauê, auêia, aê
    Anamauê, auêia, aê
    Anamauê, auêia, aê

    No meio da couve-flor tem a flor, tem a flor,
    Que além de ser uma flor tem sabor
    Dentro do porta-luva tem a luva, tem a luva
    Que alguém de unhas negras e tão afiadas esqueceu de pôr

    Anamauê, auêia, aê
    Anamauê, auêia, aê
    Anamauê, auêia, aê
    Anamauê, auêia, aê

    No fundo do para-raio tem o raio, tem o raio,
    Que caiu da nuvem negra do temporal
    Todo quadro negro é todo negro é todo negro
    Que eu escrevo seu nome nele só pra demonstrar o meu apego

    Anamauê, auêia, aê
    Anamauê, auêia, aê
    Anamauê, auêia, aê
    Anamauê, auêia, aê

    O bico do beija-flor
    Beija a flor, beija a flor,
    E toda fauna flora grita de amor
    Quem segura o porta-estandarte
    Tem a arte, tem a arte
    E aqui passa com raça eletrônico o maracatu atômico

    Anamauê, auêia, aê
    Anamauê, auêia, aê
    Anamauê, auêia, aê
    Anamauê, auêia, aê…

  • O que significa “Atrás do arranha-céu tem o céu tem o céu
    E depois tem outro céu sem estrelas”??
    Que céu é esse sem estrelas?

    • Não tenho propriedade pra falar, mas acho que é sobre o céu dos pretos nesse mundo dominado por uma minoria branca e prepotente ao se julgar superior, subjugando o preto, não permitindo as estrelas, o sol ou os sonhos… Felizmente isso está começando a acabar e há de acabar o mais rápido possível, não se tem mais tempo ou espaço pra qualquer tipo de segregação!!!! 😉

  • Gustavo Rattmann disse:

    Alguém sabe o que Jorge Matner quer dizer com “Dentro do porta-luvas tem a luva que alguém de unhas negras e tão afiadas esqueceu de pôr”. Seria uma pessoa gatuna?

  • Alguém sabe o que ele quis dizer com: “no fundo do pára-raio tem um raio, tem um raio que caiu na nuvem negra do temporal.”?

    • Marcio Amoedo disse:

      ‘Maracatu Atômico’ é uma canção composta por Nelson Jacobina e Jorge Mautner, lançada em 1974 por Jorge no álbum homônimo ‘Jorge Mautner’. No mesmo ano, Gilberto Gil regravou para o álbum ‘Cidade do Salvador’. A música, entretanto, estourou na voz de Chico Science e Nação Zumbi no disco ‘Afrociberdelia’, de 1996

  • Marcio Amoedo disse:

    ‘Maracatu Atômico’ é uma canção composta por Nelson Jacobina e Jorge Mautner, lançada em 1974 por Jorge no álbum homônimo ‘Jorge Mautner’. No mesmo ano, Gilberto Gil regravou para o álbum ‘Cidade do Salvador’. A música, entretanto, estourou na voz de Chico Science e Nação Zumbi no disco ‘Afrociberdelia’, de 1996

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>