Triste Margarida (Samba do Metrô)

Adoniran Barbosa

0 comentários

Você está vendo aquela mulher que tá indo ali
Ela não quer saber de mim
Sabem por que?
Eu menti pra conquistar seu bem querer

Eu disse a ela que eu trabalhava de engenheiro
Que o metrô de São Paulo estava em minhas mãos
E que se desse tudo certo
Ela seria a primeira passageira na inauguração
Tudo ia indo muito bem até que um dia

Até que um dia
Ela passou de ônibus pela via 23 de maio
E da janela do coletivo me viu
Plantava grama no barranco da avenida
Hoje fiquei sabendo que ela é orgulhosa, convencida
Não passa de uma triste Maragaria
Orgulhosa, convencida
Não passa de uma triste Maragaria…




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *