Quem não quer sou eu

Vou ficar a noite em claro sem pegar no sono
Meditando sobre o que de fato aconteceu
Eu até pensei que fosse terminar na cama
Como era de costume entre você e eu

Eu fiz de tudo mas era tarde
Foi o que eu podia dar você não entendeu
Eu quis ir fundo e você com medo
Tirou onda pois agora quem não quer sou eu
É… Quem não quer sou eu

Quem não quer sou eu

Pois é…

E vai a noite, vem o dia
E eu aqui pensando
Um cigarro atrás do outro
E eu fumo sem parar
Da janela eu vejo o trânsito congestionado
No meu peito o coração parece buzinar

Eu fiz de tudo mas era tarde
Foi o que eu podia dar você não entendeu
Eu quis ir fundo e você com medo
Tirou onda pois agora quem não quer sou eu
É… Quem não quer sou eu

Quem não quer sou eu

Pois é..

Zé do Caroço

No serviço de auto-falante
Do morro do Pau da Bandeira
Quem avisa é o Zé do Caroço
Que amanhã vai fazer alvoroço
Alertando a favela inteira

Aí como eu queria que fosse em mangueira
Que existisse outro Zé do Caroço
Pra falar de uma vez pra esse moço
Carnaval não é esse colosso
Nossa escola é raiz, é madeira

Mas é o Morro do Pau da Bandeira
De uma Vila Isabel verdadeira
E o Zé do Caroço trabalha
E o Zé do Caroço batalha
E que malha o preço da feira

E na hora que a televisão brasileira
Distrai toda gente com a sua novela
É que o Zé bota a boca no mundo
Ele faz um discurso profundo
Ele quer ver o bem da favela

Está nascendo um novo líder
No morro do Pau da Bandeira
Está nascendo um novo líder
No morro do Pau da Bandeira
No morro do Pau da Bandeira
No morro do Pau da Bandeira

Lelelelê Lelelelelelelelelê
Lelelelê Lelelelelelelelelê

Problema social

Se eu pudesse eu dava um toque em meu destino
Não seria um peregrino nesse imenso mundo cão
Nem o bom menino que vendeu limão e
Trabalhou na feira pra comprar seu pão

Não aprendia as maldades que essa vida tem
Mataria a minha fome sem ter que roubar ninguém
Juro que nem conhecia a famosa funabem
Onde foi a minha morada desde os tempos de neném
É ruim acordar de madrugada pra vender bala no trem
Se eu pudesse eu tocava em meu destino
Hoje eu seria alguém

Seria eu um intelectual
Mas como não tive chance de ter estudado em colégio legal
Muitos me chamam pivete
Mas poucos me deram um apoio moral
Se eu pudesse eu não seria um problema social
Se eu pudesse eu não seria um problema social

Seu olhar

Temos rotas a seguir
Podemos ir daqui pro mundo
Mas quero ficar porque
Quero mergulhar mais fundo

Só de me encontrar no seu olhar
Já muda tudo
Posso respirar você
E posso te enxergar no escuro

Tem muito tempo na estrada
Muito tem
E como quem não quer nada
Você vem
Depois da onda pesada
A onda zen
É namorar na almofada
E dormir bem

Foi o seu olhar
O que me encantou
Quero um pouco mais
Desse seu amor
Foi o seu olhar
O que me encantou
Quero um pouco mais
Desse seu amor

Felicidade

Felicidade
É viver na sua companhia
Felicidade
É estar contigo todo dia
Felicidade
É sentir o cheiro dessa flor
Felicidade
É saber que eu tenho seu amor

Felicidade
É saber de verdade
Que a gente sente saudade
Quando não consegue se ver
Felicidade
É acordar ao seu lado
Tomar um café reforçado
Depois sair para correr com você

Felicidade
É poder jogar um pano
Colar no show do Caetano
Cantar odara até o dia raiar
Felicidade
É no fim de semana
Curtir uma praia bacana
E um pôr do sol de arrasar

Burguesinha

Vai no cabeleireiro
No esteticista
Malha o dia inteiro
Pinta de artista

Saca dinheiro
Vai de motorista
Com seu carro esporte
Vai zoar na pista

Final de semana
Na casa de praia
Só gastando grana
Na maior gandaia

Vai pra balada
Dança bate estaca
Com a sua tribo
Até de madrugada

Burguesinha, burguesinha
Burguesinha, burguesinha
Burguesinha
Só no filé

Burguesinha, burguesinha
Burguesinha, burguesinha
Burguesinha
Tem o que quer

Burguesinha, burguesinha
Burguesinha, burguesinha
Burguesinha
Do croissant

Burguesinha, burguesinha
Burguesinha, burguesinha
Burguesinha
Suquinho de maçã

Burguesinha, burguesinha
Burguesinha, burguesinha
Burguesinha

São Gonça

Pretinha, Uuuu Uuuu faço tudo pelo nosso amor
Faço tudo pelo bem do nosso bem, meu bem
A saudade é minha dor, e anda arrasando com o meu coração
E não duvide que um dia eu te darei o céu
O meu amor junto com um anel, pra gente se casar
No cartório ou na igreja.
Se você quiser
Se não quiser tudo bem, meu bem
Mas tente compreender
Morando em São Gonçalo você sabe como é
Hoje a tarde a ponte engarrafou
E eu fiquei a pé.
Tentei ligar pra você
O orelhão da minha rua estava escangalhado
O meu cartão tava zerado, mas você crê se quiser.

(bis)

Mas tente compreender
Morando em São Paulo você sabe como é
Hoje a marginal engarrafou
E eu fiquei a pé.
Tentei ligar pra você
O orelhão da minha rua estava escangalhado
O meu cartão tava zerado, mas você crê se quiser.
mas você crê se quiser
mas você crê se quiser
mas você crê se quiser
mas você crê se quiser

Amiga de minha mulher

Ela é amiga da minha mulher
Pois é, pois é
Mas vive dando em cima de mim
Enfim, enfim
Ainda por cima é uma tremenda gata
Pra piorar minha situação.
Se fosse mulher feia tava tudo certo
Mulher bonita mexe com meu coração
Se fosse mulher feia tava tudo certo
Mulher bonita mexe com meu coração

Não pego, eu pego, não pego, eu pego, não pego não
Não pego, eu pego, não pego, eu pego, não pego não

Minha mulher me perguntou até
Qual é, qual é?
Eu respondi que não tô nem aí
Menti, menti
De vez em quando eu fico admirando
É muita areia pro meu caminhão
Se fosse mulher feia tava tudo certo
Mulher bonita mexe com meu coração
Se fosse mulher feia tava tudo certo
Mulher bonita mexe com meu coração

Não pego, eu pego, não pego, eu pego, não pego não
Não pego, eu pego, não pego, eu pego, não pego não

O meu cunhado já me avisou
Que se eu der mole ele vai me entregar
A minha sogra me orientou
Isso não tá certo é melhor parar
Falei, ela não quis ouvir
Pedi, ela não respeitou
Eu juro! A carne é fraca, mas nunca rolou

Falei, ela não quis ouvir (Não quis ouvir)
Pedi, ela não respeitou.
Eu juro! A carne é fraca, mas nunca rolou
Não pego, eu pego, não pego, eu pego, não pego não
Não pego, eu pego, não pego, eu pego, não pego não

Mina do condomínio

Tô namorando aquela mina
Mas não sei se ela me namora
Mina maneira do condomínio
Lá do bairro onde eu moro

Tô namorando aquela mina
Mas não sei se ela me namora
Mina maneira do condomínio
Lá do bairro onde eu moro

Seu cabelo me alucina
Sua boca me devora
Sua voz me ilumina
Seu olhar me apavora

Me perdi no seu sorriso
Nem preciso me encontrar
Não me mostre o paraíso
Que se eu for, não vou voltar
Pois eu vou
Eu vou

Eu digo “oi”, ela nem nada
Passa na minha calçada
Dou bom dia, ela nem liga
Se ela chega, eu paro tudo
Se ela passa, eu fico doido
Se vem vindo, eu faço figa

Eu mando um beijo, ela não pega
Pisco olho, ela se nega
Faço pose, ela não vê
Jogo charme, ela ignora
Chego junto, ela sai fora
Eu escrevo, ela não lê

Minha mina, minha amiga
Minha namorada
Minha gata, minha sina
Do meu condomínio
Minha musa, minha vida
Minha Monalisa
Minha Vênus, minha deusa
Quero seu fascínio

Minha mina, minha amiga
Minha namorada
Minha gata, minha sina
Do meu condomínio
Minha musa, minha vida
Minha Monalisa
Minha Vênus, minha deusa
Quero seu fascínio

Minha namorada
Do meu condomínio
Minha Monalisa
Quero seu fascínio

Minha namorada
Do meu condomínio
Minha Monalisa
Quero seu fascínio

Minha namorada
Do meu condomínio
Minha Monalisa
Quero seu fascínio

Brasis

Tem um Brasil que é próspero
Outro não muda
Um Brasil que investe
Outro que suga…

Um de sunga
Outro de gravata
Tem um que faz amor
E tem o outro que mata
Brasil do ouro
Brasil da prata
Brasil do balacochê
Da mulata…

Tem um Brasil que é lindo
Outro que fede
O Brasil que dá
É igualzinho ao que pede…

Pede paz, saúde
Trabalho e dinheiro
Pede pelas crianças
Do país inteiro
Lararará!…

Tem um Brasil que soca
Outro que apanha
Um Brasil que saca
Outro que chuta
Perde, ganha
Sobe, desce
Vai à luta bate bola
Porém não vai à escola…

Brasil de cobre
Brasil de lata
É negro, é branco, é nissei
É verde, é índio peladão
É mameluco, é cafuso
É confusão
É negro, é branco, é nissei
É verde, é índio peladão
É mameluco, é cafuso
É confusão…

Oh pindorama eu quero
Seu porto seguro
Suas palmeiras
Suas feiras, seu café
Suas riquezas
Praias, cachoeiras
Quero ver o seu povo
De cabeça em pé…(2x)

(Repetir a letra)

Quero ver o seu povo
De cabeça em pé…

Carolina

Carolina é uma menina bem difícil de esquecer
Andar bonito e um brilho no olhar
Tem um jeito adolescente que me faz enlouquecer
E um molejo que eu não vou te enganar

Maravilha feminina, meu docinho de pavê
Inteligente, ela é muito sensual
Te confesso que estou apaixonado por você
Ô, Carolina, isso é muito natural

Ô, Carolina, eu preciso de você
Ô, Carolina, eu não vou suportar não te ver
Carolina, eu preciso te falar
Ô, Carolina, eu vou amar você

De segunda a segunda, fico louco pra te ver
Quando eu te ligo, você quase nunca está
Isso era outra coisa que eu queria te dizer
Não temos tempo, então melhor deixar pra lá

A princípio, no domingo, o que você quer fazer?
Faça um pedido, que eu irei realizar
Olha aí, amigo, eu digo que ela só me dá prazer
Essa mina Carolina é de abalar, oi

Ô, Carolina, eu preciso de você
Ô, Carolina, eu não vou suportar não te ver
Carolina, eu preciso te falar
Ô, Carolina eu vou amar você
Carolina, Carolina

Carolina, preciso te encontrar
Carolina, me sinto muito só
Carolina, preciso te dizer
Ô, Carolina, eu só quero amar você

Carolina, preciso te encontrar
Ô, Carolina, me sinto muito só
Carolina, preciso te dizer
Ô, Carolina, eu só quero amar você

Carolina é uma menina bem difícil de esquecer
Andar bonito e um brilho no olhar
Tem um jeito adolescente que me faz enlouquecer
E um molejo que eu não vou te enganar

Maravilha feminina, meu docinho de pavê
Inteligente, ela é muito sensual
Te confesso que estou apaixonado por você
Ô, Carolina, isso é muito natural

Ô, Carolina, eu preciso de você
Ô, Carolina, não vou suportar não te ver
Carolina, eu preciso te falar
Ô, Carolina, eu vou amar você

Eu vou amar você
Pois eu vou te dar muito carinho
Vou te dar beijinho no cangote
Oi, Carolina
Menina bela, menina bela
Maravilha feminina

Carolina, preciso te encontrar
Carolina, me sinto muito só
Carolina, preciso te dizer
Ô, Carolina, eu só quero amar você

Carolina, preciso te encontrar
Ô, Carolina, me sinto muito só
Carolina, preciso te dizer
Ô, Carolina, eu só quero amar você

Ô, Carolina, preciso te encontrar
Ô, Carolina, me sinto muito só
Ô, Carolina, preciso te dizer
Ô, Carolina, eu só quero amar você

Ô, Carolina, ô, Carolina (ô, Carolina)
Ô, Carolina, ô, Carolina

Carol, Carol, Carol, Carol, Carol
Carol, Carol, Carol
Carol, Carol, Carol, Carol, Carol
Carol, Carol, Carol (ô, Carolina)

Carol, Carol, Carol, Carol, Carol
Carol, Carol, Carol
Carol, Carol, Carol, Carol, Carol
Carol, Carol, Carol

É Isso Aí (The Blower’s Daughter)

É isso aí
Como a gente achou que ia ser
A vida tão simples é boa
Quase sempre
É isso aí
Os passos vão pelas ruas
Ninguém reparou na lua
A vida sempre continua

Eu não sei parar de te olhar
Eu não sei parar de te olhar
Não vou parar de te olhar
Eu não me canso de olhar
Não sei parar
De te olhar

É isso aí
Há quem acredite em milagres
Há quem cometa maldades
Há quem não saiba dizer a verdade

É isso aí
Um vendedor de flores
Ensinar seus filhos a escolher seus amores

Eu não sei parar de te olhar
Eu não sei parar de te olhar
Não vou parar de te olhar
Eu não me canso de olhar
Não vou parar de te olhar