Boy do Subterrâneo

Replicantes

1 comentários

Eu era um rato do esgoto cloacal
Eu era um verme e pensava que era o tal
Não tenho culpa isso até que é bem normal
Não via luz, só tinha cruz no mapa astral

A minha gangue era aquela do blusão
A minha casa era um canto no porão
O meu futuro era viver na escuridão
E o meu destino era morrer na contramão

Mas na virada de uma esquina eu encontrei
Uma menina toda linda que eu parei
Como uma cobra ela mordeu meu coração
E o veneno envenenou a escuridão

Mas nossos filhos serão mutantes
Queria tudo como era antes
O sol nunca mais vai brilhar
Aqui dentro do abrigo nuclear




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Um comentário para a letra “Boy do Subterrâneo

  1. Mario@gmail.com disse:

    Crìtica a usinas nucleares e bombas, que deixaram um efeito radioativo como do acidente em shenobiw