Raul Seixas

Um Som para Laio

Na minha cabeça
Uma guitarra toca sem parar
Trago um par de fones nos ouvidos
Pra não lhe escutar

O que você tem pra dizer
Ouvi a cem anos atrás

O que eu faço agora
Você não sabe mais

Na minha cabeça
Uma guitarra toca sem parar
Trago um par de fones nos ouvidos
Pra não lhe escutar

O que você tem pra dizer
Ouvi a cem anos atrás

O que eu faço agora
Você não sabe mais

Hey man! hey man!
Uou man! uoo man!
Crazy man! crazy man!
Yeah!

I’m all right !

Yeah! yeah!
Listen to the music

Yeah! yeah! man
Listen to the music! yeah!

0 comentário sobre “Um Som para Laio

  • Torquato disse:

    Li uma matéria em que uma pessoa da sua interpretaçõa abaixo ( site é METRO LINHA 743).

    Comecei a cantar sozinho, sem interpretar nem pensar no título. Me pareceu uma música tao simples, do tipo daquelas que você apenas canta bem alto para poder desestressar. Título?!? Bah, o bom mesmo dessa música é cantar…

    Acontece que comecei um curso de psicanálise e na segunda aula o professor contou a história de Édipo, filho de Laio… Laio? “Peraí, já ouvi esse nome em algum lugar… Ah, é naquela música de Raul!”.

    Não demorou muito até que eu me tocasse do sentido da música: Édipo é o símbolo do inconsciente para Freud, logo seu pai , Laio, representa o superego ( juntamente com o ego e o id-inconsciente- formam a estrutura psicológica, responsável por castrar o ego).

    Com essas informações, pude interpretar a música de tal maneira: A música possui duas formas de Eu lírico, uma representada pelo homem (ou ego) e a outra pelo inconsciente, respectivamente azul e vermelho. O trecho em azul mostra ele (Raul) percebendo que seu inconsciente tem atitude própria e o trecho em vermelho demonstra que o inconsciente já sabe tudo que o ego faz, mas nunca o ego irá saber o que ele faz agora. Os demais trechos em inglês mostraria o conflito entre essas duas entidades.

    Talvez alguém tenha outra interpretação, mas duvido muito que ela se distancie da minha.

    Os fãs de Raul podem até gostar do estilo de sua música, de sua ironia ou de sua excentricidade, mas cada vez que me aprofundo nas ciências humanas sinto melhor cada música de Raul, como essa que eu achava que nada tinha a ver…É como se ele quisesse passar seu conhecimento de modo que só alguns poucos entendidos a oompreedessem… Talvez uma estratégia de Marketing… Por ex, a partir do momento em que só uma pessoa que soubesse quem foi Laio e seu significado ouvisse essa música, ela se sentiria bem por ser um dos poucos a compreender o real sentido e passaria a ouvir Raul com mais afinco. Seria a conquista definitiva da elite intelectual.

    Numa certa conversa com Raulbuquerque (um amigo meu que vez por outra falarei aqui) ele me falou que muitas coisas de Raul possuem duplas interpretações, mas que existiu uma fase em que tudo que ele falava era o que estava escrito literalmente. Agora eu me pergunto: “Será, será?”. Será que toda música de Raul, 99% que não ultrapassam 3 minutos, não possui um significado escondido? Uma charada, um enigma? Será que em cada nota ou canção ele não grita em nossos ouvidos um “decifra-me ou te devoro!”?

    Bom, cabe a cada um de vocês desenvolverem uma opinião.

    “Enquanto Freud explica as coisas, o Diabo fica dando toques!”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>