0 comentário sobre “Requiém para uma Flor

  • Nessa música, Raul usou a métafora a qual fala de que somos influencia do meio em que vivemos e que muitas vezes somos incapazes de questionar os valores, a sociedade… etc

    3
    1
  • Todos buscamos um sol que apontamos nossa cara, que nos erradia.. mas como são enormes as montanhas que não dizem nada, nossos desenganos e ilusões onde o nosso sol se esconde e então passamos a buscar uma outra “luz”

  • Almeida disse:

    Somos fruto do mundo assim como os girassóis. “Que mostram a cara”, pode ser uma alusão à “consciência” que nos diferencia dentre o que é vivo na Terra.
    As montanhas não dizem nada. São enormes inconscientes de sua existência e justamente nisso cumprem sua participação.
    “incapaces los hombres”… falamos de tudo e sofremos calados! Porque, apesar de tudo o que a linguagem nos proporciona, no fundo ainda sofremos a angústia da consciência de si. A consciência nos afeta de tal forma que talvez melhor seria estarmos calados como as montanhas, sem dizer nada.

  • Fruto do mundo , somos os homes
    Pequenos girassóis os que mostram a cara (poucas pessoas são as que veem a verdade, que pensam , que tentam encontrar repostas.
    Enormes as montanhas que não dizem nada (as muitas pessoas inertes que vivem alienadas)

    10
    1
  • Fruto do mundo somos os homens
    – o humano não é criação de divindades e sim resultado da biologia.
    Enorme as montanhas que não dizem nada
    – a natureza e os fenômenos naturais não tem significado

    1
    1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>