Caminhante Noturno

4 comentários

Mutantes

No chão de asfalto
Ecos, um sapato
Pisa o silêncio caminhante noturno
Fúria de ter nas suas mãos dedos finos de alguém

A apertar, a beijar…
Vai caminhante
Antes do dia nascer
Vai caminhante
Antes da noite morrer
Vai
Luzes câmera
Canção que horas são
Sombra na esquina
Alguém, Maria

Sente a pulsar um amor muscoloso
Vai encontrar esta noite o amor
Sem pagar, sem falar, a sonhar

Vai caminhante…

No chão, vê folhas
Secas de jornal
Sombra na esquina
Alguém, Maria

Pisa o silêncio caminhante noturno
Foge do amor
Qua a noite lhe deu sem cobrar,
Sem falar, sem sonhar

Vai caminhante…


4 comments on “Caminhante Noturno

  1. boi disse:

    poh! eh a menina q tem um amante q vem na madrugada, entra pela janela sorrateiramente pra nao acordar os pais dela, fazem amor e depois ele vai embora antes do sol nascer.
    ela pede :
    me aperta, me beija
    depois:
    pisa em silencio caminante nourno
    antes do dia nascer

  2. Fantini.ios disse:

    Já eu imaginava um mendigo sonhando no chão frio. E aí chega a polícia e mostra o sonho a ele. E ele tem que fugir

  3. Lumarfir disse:

    Na canção, uma garota tem um amante que vem na madrugada, entra pela janela sorrateiramente (“Pisa o silêncio caminhante noturno”) para não acordar os pais dela, fazem amor, ela “Sente a pulsar um amor musculoso” Ele segura os dedos finos dela, aperta, beija. Ela recomenda que ele se vá “antes da noite morrer”. O caminhante esta noite, “sem falar, a sonhar” encontrou “o amor sem pagar”. Vai-se embora pisando em silêncio antes do dia nascer. A música termina com uma salada mista de referências épicas onde se inclui o trio cantando, em inglês, “Everybody’s got one, everybody’s got one”, uma última reverência aos Beatles no álbum, que canta este mesmo raga em “I Am The Walrus”; o famoso e futurístico robô de “Perdidos no Espaço” gritando “Perigo! Perigo! Estamos em rota de colisão!”; uma voz quase mecânica, homenageando outro ícone do Tropicalismo, Caetano Veloso, repetindo “…é proibido proibir”, e uma gravação do público na arquibancada do Maracanãzinho ao coro de “Bicha! Bicha!”, registrado em meio à cerrada disputa do II Festival Internacional da Canção do ano anterior.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.