Gilberto Gil

A abóbada da vida


É a abóbada
Lá no alto da cabeça
De onde a alma brilha pendulada
Como um cristal num pingente
É a mente
É a mente atônita
Descendo e subindo a escada
Da coluna vertebral da gente
Tentando alcançar a abóbada
Da vida

É a vida abobalhada
Ilhada dentro do corpo
Notre Dame imaculada
Órgãos por todos os lados
Tocando música
E os olhos da vida em êxtase
Vendo a alma brilhar pendulada
Presa no alto da abóbada
Da vida

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>