Ana Carolina

Que se Danem os Nós

Vim gastando meus sapatos
Me livrando de alguns pesos
Perdoando meus enganos
Desfazendo minhas malas
Talvez assim, chegar mais perto

Vim, achei que eu me acompanhava
E ficava confiante
Outra hora era o nada
A vida presa num barbante
E eu quem dava o nó

Eu lembrava de nós dois
Mas já cansava de esperar
E tão só eu me sentia
E segui a procurar
Esse algo, alguma coisa
Alguém, que fosse me acompanhar

Se há alguém no ar
Responda se eu chamar
Alguém gritou meu nome
Ou eu quis escutar

Vem, eu sei que tá tão perto
E por que não me responde
Se também tuas esperas
Te levaram pra bem longe
É longe esse lugar
Vem, nunca é tarde ou distante
Pra te contar os meus segredos
A vida solta num instante
Tenho coragem tenho medo sim
Que se danem os nós

Se há alguém no ar
Responda se eu chamar
Alguém gritou meu nome
Ou eu quis escutar

Vem, eu sei que tá tão perto
E por que não me responde
Se também tuas esperas
Te levaram pra bem longe
É longe esse lugar
Vem, nunca é tarde ou distante
Pra te contar os meus segredos
A vida solta num instante
Tenho coragem tenho medo sim
Que se danem os nós

Se há alguém no ar
Responda se eu chamar
Alguém gritou meu nome
Ou eu quis escutar

0 comentário sobre “Que se Danem os Nós

  • Lounrena disse:

    1 Uma pessoa que vai mudando ao longo da vida, perdoando seus próprios erros, superando suas dificuldades pessoais.
    Vim, achei que eu me acompanhava
    E ficava confiante
    Outra hora era o nada
    A vida presa num barbante
    E eu quem dava o nó .

    2 depois de resolver muitas coisas da vida, sofre com o amor não correspondido… E retrata sua solidão, sua busca por amor.. por ser amada..

  • Matheus disse:

    A canção começa abordando a questão do autoconhecimento “Talvez assim chegar mais perto / Vim, achei que eu me acompanhava”, de mudanças interiores “Me livrando de alguns pesos / Perdoando meus enganos” e do reconhecimento que o eu-lírico era a própria causa de seus problemas “E eu quem dava o nó”. Ele segue na 3ª estrofe e no refrão falando de um vazio, um alguém (provavelmente um amor) e pede por respostas ” Vem, eu sei que tá tão perto / E por que não me responde” usando como argumento o fato de ambos terem passado por esperas (dificuldades) e que tudo pode mudar num instante (como um barbante prestes a romper ou alguém numa corda bamba). A música conclui deixando um convite à pessoa amada e, novamente, com o refrão deixando um vazio no ar, um clima de expectativa..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>