Ana Carolina

Oito Estórias

Depois de oito estórias assim
Poderia estar tranqüila
Mas sinto que alguma coisa em mim se transforma

Giovanna me liga ainda,
Laura nem pode me ver
Pra Cláudia eu dançava sozinha
Até que na pista conheci a Sophia

Pra Luma só disse mentiras
Pra Juana mentia em espanhol
Pra Carmem inventei tanta estória,
Nem sei se era Carmem,
Me foge a memória

Todas as moças são partes que encontrei em mim
Riem e sonham e querem um grande amor totalmente pra si
Pense em mim, em tudo aquilo que ainda sou eu
Use a coragem não só para dizer adeus
Pense em mim, em tudo aquilo que ainda sou eu
Mentiras, sonhos e perdões que a vida me deu

Com você me sentia sozinha
Com você não sabia esperar
Em todas procurava o futuro
Que nenhuma poderia me dar

Mas todo amor que aqui dentro de mim pode haver
Rouba, acende, ilumina e usa só pra você

Pensa em mim, em tudo aquilo que ainda sou eu
Usa a coragem não só para dizer adeus
Pense em mim, em tudo aquilo que ainda sou eu
Mentiras, sonhos e perdões que a vida me deu

Um comentário sobre “Oito Estórias

  • Gabriela disse:

    Essa música lembra de várias mulheres que a pessoa ficou em uma fase conturbada da vida. Conta sobre mentiras, traições e várias formas de enganação feita a estas outras mulheres.

    Mas no fundo a pessoa cai em si e percebe que estava enganando a si mesma e que seu grande amor era aquela outra pessoa pacata que estava ao seu lado e que ela nunca deu valor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>