Nuit

15 comentários

Raul Seixas

Eu, eu ando de passo leve pra não acordar o dia
Sou da noite a companheira mais fiel qu’ela queria!
Yeah, yeah,yeah, yeah!
Amo a guerra, adoro o fogo
Elemento natural do jogo, senhores:
Jamais me revelarei! Jamais me revelarei!
Eu, eu ando de passo leve pra não acordar o dia
Sou da noite a companheira mais fiel qu’ela queria!
Yeah, yeah,yeah, yeah!
E quão longa é a noite. A noite eterna do tempo
Se comparado ao curto sonho da vida
Chega enfeitando de azul a grande amante dos homens
Guardando do sol, seu beijo incomum….. ah!
Seja bom ou o que não presta
Acendo as luzes para nossa festa, senhores:
Eu sou o mistério do sol! Eu sou o mistério do sol!
Eu, eu ando de passo leve pra não acordar o dia
Sou da noite a companheira mais fiel qu’ela queria!
Yeah, yeah,yeah, yeah!
Mas é com o sol que eu divido toda a minha energia
Eu sou a noite do tempo. Ele é o dia da vida
Ele é a luz que não morre quando chego e anoiteço
O sol dos dois horizontes a mais perfeita harmonia…..
Eu, eu ando de passo leve pra não acordar o dia


15 comments on “Nuit

  1. Nava disse:

    A música refere-se a morte: “Eu, eu ando de passo leve pra não acordar o dia
    Sou da noite a companheira mais fiel que ela queria! ” O dia representa a vida, e a companheira mais fiel da noite é a morte, o horário mais comum da morte acontecer.
    Um exemplo de que a canção representa a morte está no trecho:
    “Amo a guerra, adoro o fogo elemento natural do jogo, senhores:
    Jamais me revelarei! Jamais me revelarei!”
    Amo a guerra, adoro o fogo, na guerra onde se tem muita morte, por isso a morte a adora a guerra e o fogo.Jamais me revelarei!,siguinifica que por mais que o homem tente ele nunca descobrirá os mistérios da morte.

    No trecho: “E quão longa é a noite. A noite eterna do tempo
    Se comparado ao curto sonho da vida”
    Nesse trecho Raul Seixas compara a eternidade da morte, ou seja quando uma pessoa morre ela estará morta por toda a eternidade, com o curto sonho da vida, vivemos muito pouco em relação a eternidade de nossa morte.
    “Chega enfeitando de azul a grande amante dos homens
    Guardando do sol, seu beijo incomum….. ah!
    Seja bom ou o que não presta
    Acendo as luzes para nossa festa, senhores:
    Eu sou o mistério do sol! Eu sou o mistério do sol! ”
    O beijo incomum é a hora da nossa morte, quando a morte nos da seu beijo que não é comum, que a gente nunca quer. “Seja bom ou que não presta” representa que a morte é algo democrático, não escolhe classe social ou cor, ou raça.
    Enfim, essa música é como se fosse a morte cantando e mostrando seu fascínio perante os homens e vice versa.

  2. Júnior Rochembeckh disse:

    “NUIT” A interpretação do NAVA é a melhor interpretaçãO que eu ja li sobre a música nuit, parabéns cara!

  3. Wendy disse:

    Apenas acrescentando ao comentário do colega Nava. NUIT ou NUT é o nome da deusa egípcia dos céus, ela acolhia os mortos em seu reino.

  4. Refere-se ao primeiro capítulo do Thelema, de Aleyster Crowley, pra mim, como se fosse um resumo do capítulo interpretado por ele mesmo.

    (Excelente espaço de discussão esse!)

  5. Marcos disse:

    Muito boa essa música e também a interpretação do Nava

  6. Deyved disse:

    A interpretação do Nava foi muito boa…gostei e concordo.

    é como se fosse a morte falando em 1ª pessoa

  7. gustavo disse:

    mt bom o comentario do amigo, mas e bom que vc leia um pouco o ”livro da lei” pode ajudar !

  8. jefferson disse:

    é, esse Nava bate a nave mesmo. Valeu disse tudo o que muuuuuuuuuuita gente nem imaginava e faz sentido.VLW msm

  9. Pam disse:

    Bom mesmo o comentario no NAVA. Mas antes de lê-lo , eu compreendi , apenas como > O mal e o bem.
    ”alguém” que é o mal , sempre estará presente, mas nunca será mais que o sol, que é o bem.

  10. Raphael disse:

    Realmente o Nava fez uma leitura perfeita.

    Só para completá-lo: o nome da música “Nuit” é retratando uma deusa egípcia de mesmo nome, que seria a ‘locutora’, digamos assim, do primeiro capitulo do Thelema.

    Nuit era a deusa da morte, e era comum colocarem uma imagem sua dentro dos sarcófagos. Era representada como uma mulher nua, envolta em um manto infinito de estrelas.

    Já o fato de em frânces “nuit’ significar ‘noite’ isso aparenta ser mera coincidência.

  11. Jonathan disse:

    Nava, na verdade Raul não se refere à morte, e sim a ele mesmo. Era canceriano, signo regido pela noite e pela lua.

  12. Terres Assunção disse:

    Nuit é o nome egípcio de uma Deusa, representa o infinito, a noite; É a mãe dos céus. É a Deusa primordial, ou seja, dela originam-se as outras energias (Deuses). Sendo todo homem e toda mulher uma estrela, Nuit simboliza a união de toda a humanidade. E a união de todas as energias do Universo. Na filosofia telêmica, eles acreditam que toda existência surge da interação de dois principios cósmicos: o Contínuo Espaço-Temporal, infinitamente extenso e perpétuo, e o Princípio da Vida e Sabedoria, atômico e individual. Desta interação surge o Princípio da Conciência, ele é quem governa a existência.
    No Livro da Lei (escrito por Aleister Crowley em 1904, “fundador” da filosofia telêmica) esses principios acima são representados por 3 divindades egípcias: Nuit, a deusa do espaço infinito, Hadit, a Serpente Alada da Luz, e Hórus, o deus solar com cabeça de falcão e senhor do Cosmo. Fica claro que a música é narrada em primeira pessoa, pela própria deusa Nuit. Durante todos os versos, a referência a “eu” significa Nuit, e a referência a “ele” representa o Deus Sol (entidade masculina).

  13. Mário Junior disse:

    “Quão longa é a noite eterna no tempo se comparada ao curto sonho da vida” (Schopenhauer)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *