A maçã

77 comentários

Raul Seixas

Se esse amor
Ficar entre nós dois
Vai ser tão pobre amor
Vai se gastar…

Se eu te amo e tu me amas
Um amor a dois profana
O amor de todos os mortais
Porque quem gosta de maçã
Irá gostar de todas
Porque todas são iguais…

Se eu te amo e tu me amas
E outro vem quando tu chamas
Como poderei te condenar
Infinita tua beleza
Como podes ficar presa
Que nem santa no altar…

Quando eu te escolhi
Para morar junto de mim
Eu quis ser tua alma
Ter seu corpo, tudo enfim
Mas compreendi
Que além de dois existem mais…

Amor só dura em liberdade
O ciúme é só vaidade
Sofro mas eu vou te libertar
O que é que eu quero
Se eu te privo
Do que eu mais venero
Que é a beleza de deitar…

Quando eu te escolhi
Para morar junto de mim
Eu quis ser tua alma
Ter seu corpo, tudo enfim
Mas compreendi
Que além de dois existem mais…

Amor só dura em liberdade
O ciúme é só vaidade
Sofro mas eu vou te libertar
O que é que eu quero
Se eu te privo
Do que eu mais venero
Que é a beleza de deitar…


77 comments on “A maçã

  1. Jefferson Tobias disse:

    Essa musica fala de um certo egoismo relacionado ao amor, tentando mostrar que nao devemos ficar limitado a uma so pessoa, temos que da espaço pra as outras (nossos filhos,irmãos, pais,amigos,…)
    e não somente a nossa esposa ou parceira.

  2. Elis disse:

    Uma das interpretações possíveis desta música é de que o amor não pode ser egoísta. Outra a destacar é a questão da infidelidade, evidente nestes versos “Se eu te amo e tu me amas
    E outro vem quando tu chamas Como poderei te condenar
    Infinita tua beleza
    Como podes ficar presa
    Que nem santa no altar…”
    Essas interpretações são enriquecidas com a simbologia da maçâ, título da música, biblicamente ligada ao desejo e ao pecado.

    • Nario disse:

      Ele diz ” por que quem gosta de maçãs irá gostar de todas por que todas são iguais” neste trecho ele é machista por que a frase em sentido nítido diz que quem gosta de mulher irá gostar de todas, por todas são iguais. A palavra “maçã é utilizada como metáfora para referir-se ao órgão genital feminino.

      • Edgar disse:

        Na verdade a Maçã é referência ao pecado, ao fruto proíbido, o que remete a mim mais uma questão carnal, sexo, prazer. Do que propriamente a genitália feminina. Na verdade ao meu ponto de vista essa música é quase um brado do Poliamor.

  3. vauires disse:

    Fala do amor livre. do relacionamento aberto. para o autor, o amor não pode haver ciúmes e nem pode ser possessivo.

  4. Fábio disse:

    Viva o amor livre!!

  5. Washington disse:

    Raul Seixas e Paulo Coelho tinham a intenção de fazer uma revisão geral nos valores da nossa sociedade através de suas músicas, a partir da idéia da chegada do Novo Aeon (Nova Era). Várias canções, então, ou questionavam hábitos conservadores ou propunham novas formas de comportamento. “A Maçã” é um exemplo, bem como “Ouro de Tolo”, “Novo Aeon”, “Quando Você Crescer”, “Tá Na Hora”, entre outras criativas obras.

  6. juliano l. disse:

    concordo com o Washington, é a era de aquário chegando, como sempre fala nosso amigo apresentador do cqc, marcelo t., porem naum acredito que isso seja algum bom, muito pelo contrario!

  7. toninho disse:

    Nesta musica ele faz uma apologia ao sexo livre e sem culpa não só com uma pessoa, Apesar dele sempre dizer em entrevistas que sexo só com a esposa

  8. soviale disse:

    Está claro que Raul Canta com relação ao que ele mesmo vive na pele:

    ..”Se eu te privo
    Do que eu mais venero
    Que é a beleza de deitar…”

    A música com certeza não fala de um amor em geral( família, pai e filhos como citado acima) e sim de um tipo de amor que ao mesmo tempo é bom pode ser podre!Ele fala claramente de liberdade em um relacionamentop a dois , exaltando um tipo de amor carnal! Com isso leva a entender que ele compreende que é hipocrisia querer ser a alma de alguem , ser um só, sendo que ao mesmo tempo deseja outras “maças”.Raul chega a conlusão que , para esse tipo de amor, é necessário ser transparente e livre (tentando dizer não ao egoismo, ao ciume,e amar (no ponto de vista dele, um amor carnal)

  9. digodasilva disse:

    Também discordo da algumas opiniões como a primeira sobre ser sobre “amor em geral” e sobre esse tipo de comportamento ser liberdade. Raul quer passar a idéia de que ter um relacionamento aberto é a melhor opção moralmente e em essência, o que discordo completamente, pois quem acredita nisso esta tentando camuflar um sentimento que por si só se condena. A própria pessoa tem a sensação escondida de que não está correto. Como por exemplo o Fábio que posto acima. Concordo com o juliano l. E, fazendo uso dos comentários, como alguém contraditório em atitudes e em opniões (vide metamorfose ambulante e comentário acima sobre entrevistas que contradizem a letra da mpusica) como Raul pode ser crível. Por fim a parte da letra que acho mais contraditória e que discordo duramente: “Porque quem gosta de maçã /Irá gostar de todas / Porque todas são iguais…” o próprio argumento é contraditório. O comportamento de ter parceiros diferente só se justifica se “as maças forem diferentes”. Se todas são iguais, me contento em comer a mesma sempre. Ou seja, por esse argumento concluo que devo me casar e ficar apenas com a pessoa que tenho afinidade pq analisando apenas a questão sexual (a maça), todas são iguais.

  10. Misael disse:

    A canção aborda a questão do dogmatismo moral e religioso que conduz o ser humano a reprimir sua verdadeira natureza. A fidelidade simboliza o próprio desejo natural reprimido por questões morais que, notadamente, são valores impostos socialmente e que variam historicamente. Ao meu ver, os compositores não conclamam à infidelidade. Apenas marcam a dualidade entre moral e natureza. Ainda que apontem negativamente para a artificialidade da primeira subsumindo a segunda.

  11. Jéssika Alves disse:

    Por volta de 1973/1974, Raul era casado com a americana Edith Wiesner e já tinha uma filha pequena com ela por nome Simone Wiesner. Nesta época, Raul, ainda despreparado, atinge o auge do seu sucesso com o álbum Krig Há Bandolo no qual foi inserida esta música. Com muitos convites para fazer shows em todo o Brasil, Raul passa a conhecer o lado de glória do sucesso com muitas mulheres se oferecendo, sexo, drogas e bebidas.
    Raul tinha um guitarrista americano na banda chamado Jay Vaquer. Jay morava nos EUA e veio para o Brasil e trouxe sua irmã americana Gloria Vaquer, que apresentada por Jay a Raul Seixas, conquistou rapidamente seu coração.
    Gloria passou a acompanhar Raul em todos os shows e Edith começou a ficar em segundo plano. Edith então separou-se de Raul e retornou aos Estados Unidos.Com Gloria, Raul teve uma filha chamada Scarlet. Gloria também não suportou a vida desregrada de Raul e acabou por retornar aos Estados Unidos posteriormente com a filha Scarlet de uma maneira amigável .

    Então, aí vai a interpretação da música levando em consideração o contexto:

    “Se esse amor
    Ficar entre nós dois
    Vai ser tão pobre amor
    Vai se gastar…”

    1. Na primeira estrofe Raul diz que não há motivos para continuar o amor entre os dois.

    “Se eu te amo e tu me amas
    Um amor a dois profana
    O amor de todos os mortais
    Porque quem gosta de maçã
    Irá gostar de todas
    Porque todas são iguais…”

    2. Na segunda estrofe, Raul se refere a ele mesmo, dizendo que um casal por si mesmo faz uma profanação por que, se o sexo está envolvido e cada um deles gosta de sexo, qualquer um pode procurar um outro parceiro para sexo (aqui representado por maçã). Isto porque todas as maçãs (sexo) são iguais, ou seja, já existe um apelo no mundo externo ao casal pelo sexo. No contexto, Raul aqui tenta se justificar perante Edith da opção sexual naquela fase de sua vida por Gloria.

    “Se eu te amo e tu me amas
    E outro vem quando tu chamas
    Como poderei te condenar
    Infinita tua beleza
    Como podes ficar presa
    Que nem santa no altar…”
    3. Nesta terceira estrofe eu acho que Raul utiliza Edith como pano de fundo, mas a estrofe se refere a ele mesmo Raul que, tenta se justificar de ter escolhido Gloria.

    “Quando eu te escolhi
    Para morar junto de mim
    Eu quis ser tua alma
    Ter seu corpo, tudo enfim
    Mas compreendi
    Que além de dois existem mais…

    4. Nesta quarta estrofe, sem dúvidas Raul fala de seu amor real para com Edith.

    “Amor só dura em liberdade
    O ciúme é só vaidade
    Sofro mas eu vou te libertar
    O que é que eu quero
    Se eu te privo
    Do que eu mais venero
    Que é a beleza de deitar…”

    5. Nesta quinta estrofe, Raul desiste de tentar reaver Edith, até por que, ele acha que, mesmo que consiga, o ódio e as relações entre os dois ficou tão estremecida que eles não iriam mas para a cama como antes e que o amor carnal representa o verdadeiro amor…

    Esta música sempre representou um tabu para Raul que certa vez disse sobre ela:
    “- Onde eu estava com a cabeça quando compus esta letra? É muito difícil libertar o amor…”

  12. Jefferson Tobias disse:

    Pessaol, eu nao quis generalizar o amor como “amor em geral” + sim passar umas das possiveis interpretaçoes da musica: maça. Pois, nesta musica Raul utiliza muitas metaforas , o que nos da a possibilidade de enchergarmos a musica de varios angulos sem fugir do seu real sentido.juntando todos os comentarios postados aqui, da para fazer um só, no memso sentido!

  13. Jefferson Tobias disse:

    Pessoal, eu nao quis generalizar o amor como “amor em geral” + sim passar umas das possiveis interpretaçoes da musica: a maça. Pois, nesta musica Raul utiliza muitas metaforas , o que nos da a possibilidade de enchergarmos a musica de varios angulos sem fugir do seu real sentido.
    Juntando todos os comentarios postados aqui, da para fazer um só, de forma bastante coerente, acho q tds estao relacionados a que a musica quer passar.

  14. Cátia disse:

    Do meu ponto de vista essa música quer dizer que numa relação o ciúme é desgastante.Ela nos diz que se deve ficar preso a alguém,sentir ciúmes,pois por mais que se queira não podemos ser donos de quem amamos.Qualquer um está sujeito a se apaixonar por outro e seguir esse amor e a pessoa abandonada nada pode fazer pra impedir por mais que sofra.Essa música fala de uma relação madura que preza pela liberdade do outro.

  15. Cátia disse:

    Do meu ponto de vista essa música quer dizer que numa relação o ciúme é desgastante.Ela nos diz que não se deve ficar preso a alguém,sentir ciúmes,pois por mais que se queira não podemos ser donos de quem amamos.Qualquer um está sujeito a se apaixonar por outro e seguir esse amor e a pessoa abandonada nada pode fazer pra impedir por mais que sofra.Essa música fala de uma relação madura que preza pela liberdade do outro,ainda que isso custe se separar de um amor.

  16. Sérgio disse:

    Sempre tive que esta música fala do amor por sua esposa que está grávida.
    Se privando do amor carnal respeitando os limites da mulher em sua gestação.
    Me parece uma grande declaração de amor para a esposa e o filho(a) que chegará em breve.

  17. Duas frases parecem carregar a essência da ideia dessa letra…

    “O ciúme é só vaidade”: incomodar-se com a infidelidade do parceiro amoroso é resultado do ego ferido pela constatação de que se está sendo preterido por outrem.

    O “amor só dura em liberdade”: o ‘verdadeiro amor’, aquele resultante da admiração e desejo espontâneos pelo ser amado, deve estar sujeito a ser suplantado por outro maior, a qualquer momento – isso seria absolutamente natural entre pessoas quaisquer (maçãs são todas iguais na medida em que tem qualidades capazes de despertar admiração e desejo). Não observada essa condição, a relação pode até ser mantida, mas baseada apenas na vontade das partes (não no amor espontâneo, o verdadeiro, que só é natural enquanto livre).

    Quem ama e sabe que é amado, se garante. Se houver troca, o amor (de todos os mortais) acabou. Impedir esse fluxo natural seria desgastar o amor inicial… torná-lo pobre.

  18. Bia disse:

    Pode ser que eu esteja errada, mas acredito que esta musica fala de impotencia sexual, sei que parece pejorativo, mas tenta ler novamente a letra pensando que ele liberta a amada porque não consegue mais satisfazê-la apesar de ama-la. Acredito neste sentido.

    Se este amor ficar entre nós dois vai ser tão pobre amor, vai se gastar. (ou seja se eles ficarem juntos sem sexo o amor vai acabar).
    Se eu te amo e tu me amas, um amor a dois profana o amor de todos os mortais, porque quem gosta de maçã irá gostar de todas, porque todas são iguais. (Todo mundo ama fazendo sexo e quem gosta de homem, vai gostar de qualquer um).
    E outro vem quando tu chamas
    Como poderei te condenar
    Infinita tua beleza
    Como podes ficar presa
    Que nem santa no altar (pode ter outro parceiro por ser bonita então não pode pra que se abster do sexo como uma santa).
    Quando eu te escolhi
    Para morar junto de mim
    Eu quis ser tua alma
    Ter seu corpo, tudo enfim
    Mas compreendi
    Que além de dois existem mais… (Mais o sexo)

    Amor só dura em liberdade
    O ciúme é só vaidade
    Sofro mas eu vou te libertar
    O que é que eu quero
    Se eu te privo
    Do que eu mais venero
    Que é a beleza de deitar (ele a ama, mas a priva da beleza de deitar)

    Acredito qe não há duvidas, apesar de parecer meio estranho.

  19. Juliana disse:

    A música (assim como medo da chuva) fala sobre a posição do Raul Seixa sibre ficar com uma só pessoa, pra ele não deveriamos nos prender há uma pessoa só
    Que o ciumes é apenas vaidade do ser humano, egoismo

    Porque quem gosta de maçã
    Irá gostar de todas
    Porque todas são iguais…
    (aqui ele como uma coisa banal, que se vc gosta de uma pessoa poderá gostar de outras, já que são todas pessoas)

    Se eu te amo e tu me amas
    E outro vem quando tu chamas
    Como poderei te condenar
    Infinita tua beleza
    Como podes ficar presa
    Que nem santa no altar…

    ( a mulher tbm não precisa ser fiel, não seria justo ela tem outros pretendentes, ela é bonita, não pode ficar sendo só admirada)

    Mas compreendi
    Que além de dois existem mais…

    (nunca em um relacionamento um será apenas do outro, a infidelidade sempre vai estar junto)

    Amor só dura em liberdade (se ama liberta)
    O ciúme é só vaidade
    Sofro mas eu vou te libertar
    O que é que eu quero
    Se eu te privo
    Do que eu mais venero
    Que é a beleza de deitar…

    (ele fala que o ciume é só vaidade, porque ele tem uma mulher bonita e queria ela só pra ele, mais ele não consegue ser só dela e isso o faz sofrer porque ele quer privar ele da coisa que ele mais gosta sexo)

  20. Leo disse:

    inicialmente, começando pelo título da música, “a maçã”, faz uma apologia bíblica ao sexo. maçã=sexo.
    o autor ama, fato! (“se eu te amo e tu me amas”). ele prega na verdade o fato de uma pessoa amar outra e ser amado, ter sempre um porto seguro, mas ter a liberdade de fazer sexo com quem quiser. aqui, temos que separar o amor-sexo do amor-sentimento (“como podes ficar presa como santa no altar”). Pra mim,o que resume toda a letra é “amor só dura em liberdade”; esse verso diz tudo: amar, mas com liberdade pra se fazer sexo com outras pessoas. outro foco da música, com relação à amada do interlocutor, obviamente, ela não aceita tal situação, de pregar sexo livre, ela ainda quer aquele modelo de amor-sentimento, de fidelidade cristã, de monogamia. a música seria um apelo pra que a amada reveja sua posição e se abra para o sexo livre.

  21. Fabão disse:

    A música é a exaltação do sexo livre, ideal tão buscado na década de 70 e principal causa da disseminação indiscriminada de doenças sexualmente transmissíveis. A Raul fica a resposta com Vinícius: “pois quem trai o seu amor por vanidade é desconhecedor da liberdade, dessa incrível, indizível liberdade que traz um só amor”. A fidelidade é vista como um empecilho somente por aqueles que não sabem o que é amar.

  22. Beto Lima disse:

    Essa musica fala exatamente de amor e ciume, que não adianta que não adinta tentar prender ou segurar alguem, porque sempre pode-se apaixonar por outra pessoa, no amor não cabe egoismo

  23. José Armando disse:

    Na realidade a musica faz referencias a dúvidas de um homem traido, lidando com as controversias do prazer real e do amor de verdade. . . Como pode-se verificar no trecho abaixo:
    Amor só dura em liberdade
    O ciúme é só vaidade
    Sofro mas eu vou te libertar
    O que é que eu quero
    Se eu te privo
    Do que eu mais venero
    Que é a beleza de deitar
    Claro, como não poderia faltar, no inicio de sua carreira, em suas composições, Raul sempre coloca um sentido mistico, que desta vez verifica-se no próprio nome da música “A maçã”, onde raul reporta-se ao simbolo bíblico do pecado orginal, que tem como vertente de interpretação de alguns teologos, que o tal pecado de adão, foi ter obtido relação sexual com eva . . .

  24. Ana disse:

    Raul no fundo era careta, fazia esse tipo de música só pra contradizer o que era imposto pela sociedade.Era um fofo, qualquer um perceberia que ele era carente de um amor verdadeiro e forte.

  25. Djavan Santana disse:

    Na minha visão Raul fala primeiro como adão ou Eva e depois como se fosse Deus; parece estranho mais explico.

    O amor de Adão e Eva só ficou conhecido porque ?

    Observem o trecho :

    Se esse amor
    Ficar entre nós dois
    Vai ser tão pobre amor
    Vai se gastar…
    (parece a conversa de um casal correto ? )

    Se eu te amo e tu me amas
    Um amor a dois profana ( profanado após o pecado original )
    O amor de todos os mortais ( mortais só após o pecado )

    Outro trecho ( falando como adão ):

    Se eu te amo e tu me amas
    E outro vem quando tu chamas
    Como poderei te condenar
    Infinita tua beleza
    Como podes ficar presa
    Que nem santa no altar… ( Santa no altar é intocável, algo proibido )

    outra parte :

    Quando eu te escolhi
    Para morar junto de mim
    Eu quis ser tua alma
    Ter seu corpo, tudo enfim
    Mas compreendi
    Que além de dois existem mais… (eva foi quem levou adão ao pecado e após cometido, lembraram-se de Deus e ensinamentos )

    Outro :

    Amor só dura em liberdade ( liberdade de poderem pecar sem medo, pois não estavam mais no édem )
    O ciúme é só vaidade
    Sofro mas eu vou te libertar
    O que é que eu quero
    Se eu te privo
    Do que eu mais venero
    Que é a beleza de deitar… ( quem os privaram da chamada “beleza de deitar”? Deus quando proibiu “a maçã”)

    Talvez não seja essa a ideia mas é como interpreto a letra dessa música.

  26. Fábio disse:

    Essa musica foi composta pelo Raul e pelo Paulo Coelho. Para aqueles que já leram algum livro do Paulo Coelho que fala sobre o “amor” irão entender com muito facilidade o significado desta música. Em suma, a música diz que o amor não pode ser limitado entre 2 pessoas, que ele é livre e que não se deve seguir a regra de apenas 2 pessoas numa relação.

    Se esse amor
    Ficar entre nós dois
    Vai ser tão pobre amor
    Vai se gastar… (este trecho é claro e objetivo, a palavre “entre” é confundida pela maioria, neste trecho ele quiz dizer que o “se o amor que eles sentem ficar apenas entre os dois, ele será um amor pobre e desgastante – limitado”.

    Se eu te amo e tu me amas
    Um amor a dois profana
    O amor de todos os mortais (aqui deve-se juntar a frase para ter sentido: “Um amor a dois profana o amor de todos os mortais” (quer dizer que o amor entre apenas 2 pessoas ‘profana’ o amor dos demais)

    Porque quem gosta de maçã
    Irá gostar de todas
    Porque todas são iguais… (é uma metafora simples,é o mesmo que dizer: se eu gosto de amar uma pessoa, vou gostar de amar todas, pois o amor é igual, é amor) (ou entao: se eu gosto de mulher, logo, gosto de todas as mulheres, pois é mulher).

    Se eu te amo e tu me amas
    E outro vem quando tu chamas
    Como poderei te condenar
    Infinita tua beleza
    Como podes ficar presa
    Que nem santa no altar… (aqui é bem simples tambem, diz que: o amor entre eles é reciproco, entao, se surge uma outra pessoa que disperte o interesse na sua namorada, ele n poderá conde-la, pois ela é linda infinitamente, e nao pode ficar presa num ‘altar’, – aqui podemos entender altar como casamento ou entao imaginar o q ele mesmo disse, uma estatua parada, intocavel, santa.)

    Quando eu te escolhi
    Para morar junto de mim
    Eu quis ser tua alma
    Ter seu corpo, tudo enfim
    Mas compreendi
    Que além de dois existem mais… (aqui ele começa dizendo que tinha um desejo possessivo de amor, como td mundo tem, tipo: qr vc so pra mim, td o q é seu é so meu, etc… mais ai ele descobre que o amor pode existir entre mais de duas pessoas – além de dois existem mais-)

    Amor só dura em liberdade
    O ciúme é só vaidade
    Sofro mas eu vou te libertar (ele acredita que o amor só existe se for livre, ciumes é vaidade, ego, e ele sofre por saber disso, sofre por ter q libertar sua paixao ( a mulher neste caso) mas mesmo assis ele ira deixa-la livre)

    O que é que eu quero
    Se eu te privo
    Do que eu mais venero
    Que é a beleza de deitar… ( seria o mesmo q dizer: caramba! o que estou fazendo contigo? estou te privando de algo q tanto gosto, sexo)

  27. Fábio disse:

    Não é uma musica sobre traição, em nenhum momento ele cita isso. E tb ele nao tem a intenção de abandonar a pessoa amada.

  28. Henrique santana disse:

    , o que somos?
    Homens,o que é o amor?
    Nada mais do que uma atracao sexual agussada.
    A musica ao meu ver fala sobre a impo,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,

  29. Eduardo disse:

    Muitos esquecem que esta é uma canção de Raul Seixas e Paulo Coelho e não só de Raul. Não adianta apenas avaliar a personalidade de Raul na época…

  30. francisco c. da silva disse:

    Não sei para qual de suas mulheres raul fez essa canção, mas ela explica um investimento em uma relação amorosa em que uma das partes (aqui, raul)pensava viver algo diferente, especial; então descobriu que aquilo não era diferente do comum: traições “…se outro vem quando tu chamas…” dai a idéia de maçã, pois todas as maçãs são iguais,então, um relacionamento também comum, vulgar.

  31. junior disse:

    acho que vai do que cada pessoa tira da musica!!!
    eu acho que ele quis dizer que amor nao pode existir so entre duas pessoas,que temos que libertalo!!
    mais tambem vai do momento que vc escuta a musica!no momento apropiado ela vai dizer muitas coisas!!ate na traiçao

  32. Carolina disse:

    Acredito que cada um tem a interpretação, baseada em seu momento crítico e pessoal, na sua educação, crenças, princípios e afins!
    Eu vejo da forma “paz e amor”, mensagem dos anos 70. Nada de amor egoísta, nada de “prisões”. O amor é bem maior que tudo isso, sexo é uma parte dele.
    Sexo é atração, desejo, e quem deseja “maçã”, vai desejar qualquer “maçã”.
    Por fim, a música me diz: “Não seja insegura e nem hipócrita, quando o assunto for sexo e amor”

  33. Por volta de 1973/1974, Raul era casado com a americana Edith Wiesner e já tinha uma filha pequena com ela por nome Simone Wiesner. Nesta época, Raul, ainda despreparado, atinge o auge do seu sucesso com o álbum Krig Há Bandolo no qual foi inserida esta música. Com muitos convites para fazer shows em todo o Brasil, Raul passa a conhecer o lado de glória do sucesso com muitas mulheres se oferecendo, sexo, drogas e bebidas.
    Raul tinha um guitarrista americano na banda chamado Jay Vaquer. Jay morava nos EUA e veio para o Brasil e trouxe sua irmã americana Gloria Vaquer, que apresentada por Jay a Raul Seixas, conquistou rapidamente seu coração.
    Gloria passou a acompanhar Raul em todos os shows e Edith começou a ficar em segundo plano. Edith então separou-se de Raul e retornou aos Estados Unidos.Com Gloria, Raul teve uma filha chamada Scarlet. Gloria também não suportou a vida desregrada de Raul e acabou por retornar aos Estados Unidos posteriormente com a filha Scarlet de uma maneira amigável .

    Então, aí vai a interpretação da música levando em consideração o contexto:

    “Se esse amor
    Ficar entre nós dois
    Vai ser tão pobre amor
    Vai se gastar…”

    1. Na primeira estrofe Raul diz que não há motivos para continuar o amor entre os dois.

    “Se eu te amo e tu me amas
    Um amor a dois profana
    O amor de todos os mortais
    Porque quem gosta de maçã
    Irá gostar de todas
    Porque todas são iguais…”

    2. Na segunda estrofe, Raul se refere a ele mesmo, dizendo que um casal por si mesmo faz uma profanação por que, se o sexo está envolvido e cada um deles gosta de sexo, qualquer um pode procurar um outro parceiro para sexo (aqui representado por maçã). Isto porque todas as maçãs (sexo) são iguais, ou seja, já existe um apelo no mundo externo ao casal pelo sexo. No contexto, Raul aqui tenta se justificar perante Edith da opção sexual naquela fase de sua vida por Gloria.

    “Se eu te amo e tu me amas
    E outro vem quando tu chamas
    Como poderei te condenar
    Infinita tua beleza
    Como podes ficar presa
    Que nem santa no altar…”
    3. Nesta terceira estrofe eu acho que Raul utiliza Edith como pano de fundo, mas a estrofe se refere a ele mesmo Raul que, tenta se justificar de ter escolhido Gloria.

    “Quando eu te escolhi
    Para morar junto de mim
    Eu quis ser tua alma
    Ter seu corpo, tudo enfim
    Mas compreendi
    Que além de dois existem mais…

    4. Nesta quarta estrofe, sem dúvidas Raul fala de seu amor real para com Edith.

    “Amor só dura em liberdade
    O ciúme é só vaidade
    Sofro mas eu vou te libertar
    O que é que eu quero
    Se eu te privo
    Do que eu mais venero
    Que é a beleza de deitar…”

    5. Nesta quinta estrofe, Raul desiste de tentar reaver Edith, até por que, ele acha que, mesmo que consiga, o ódio e as relações entre os dois ficou tão estremecida que eles não iriam mas para a cama como antes e que o amor carnal representa o verdadeiro amor…

    Esta música sempre representou um tabu para Raul que certa vez disse sobre ela:
    “- Onde eu estava com a cabeça quando compus esta letra? É muito difícil libertar o amor…”

  34. Mais uma belíssima canção do gênio Raul Seixas. Existe um vídeo amador, feito em um hotel de Salvador, por estudantes, onde Raul Seixas comenta a dificuldade de aceitação por parte do homem de liberar uma mulher que ele ama e a qual ele sonha ser mãe de seus filhos, no caso da mesma ter conhecido e gostado de outro homem. A letra é auto-explicativa. Tudo indica que esta letra reflete um caso real na vida de Raul Seixas. O que aconteceu foi o seguinte: Raul Seixas, quando ainda não tinha experimentado o sucesso, tinha como esposa a americana Edith Wiesner, com quem teve a filha Simone. Quando o sucesso veio, com “Gita”, “Ouro de Tolo”, etc. Raul Seixas enamorou-se de Gloria Vaquer. Gloria Vaquer era irmã de um americano Jay Vaquer guitarrista do conjunto de Raul Seixas e que tinha retornado aos Estados Unidos. Sua irmã Gloria, queria vir conhecer o Brasil. Jay Vaquer então indicou Raul Seixas como suporte para ela no Brasil. Edith Wiesner, então, com uma filha pequena foi amparada pela família de Raul Seixas e retornou aos Estados Unidos. A raiva de Edith Wiesner foi tão grande, que, além de proibir Raul Seixas de rever a filha, ela mandou retirar o sobrenome Seixas da filha. “A Maçã” era, de toda sua obra, a música favorita de Raul Seixas. Toda a letra é muito bonita, mas, particularmente, ressalto os seguintes trechos:
    Se eu te amo e tu me amas
    Um amor a dois profana
    O amor de todos os mortais
    Porque, quem gosta de maçã,
    Irá gostar de todas
    Porque todas são iguais.
    Com estas frases Raul quer dizer que, embora ele a amasse e um outro amor (com Gloria) vem profanar este amor, no fundo um amor de todos os mortais, ele tenta se justificar que para o homem é muito difícil, por que para ele o sexo é prioritário, e se o homem que gosta de uma mulher apenas pelo sexo (aqui representado por maçã) irá gostar de todas as mulheres porque neste aspecto, todas são iguais…
    Amor só dura em liberdade
    O ciúme é só vaidade
    Sofro, mas, eu vou te libertar
    O que é que eu quero
    Se eu te privo do que eu mais venero
    Que é a beleza de deitar
    Aqui Raul diz que não vai mais pensar nela, em Edith por que não adianta ele tentar retê-la por que para ele o amor se completa na relação a dois na cama…
    Bem, é assim que eu vejo esta música, embora ela possa ser vista também da mesma forma sem o envolvimento pessoal de Raul e Edith Wiesner.

  35. Cláudia disse:

    eu acho

  36. Cláudia disse:

    Eu acho q esse cara estava há anos luz à frente de seu tempo em todas as letras de suas músicas. Nessa música em especial, me parece ser ele o traído e não ela. Embora ele sofra com a traição e ame a mulher, ele tenta justificar a atitude dela e entendê-la, por mais q ele sofra. Pois, como ele diz “o amor só dura em liberdade”, e “se esse amor ficar somente entre os dois vai se gastar, pois a estará privando de um sentimento natural, da natureza humana, q é o de desejar “outras maçãs” ainda q goste de uma (ainda q ame uma pessoa).A maçã representa a tentação, o interesse, o desejo por outra pessoa a que todos estamos expostos mesmo quando amamos alguém. Pois isto seria algo natural, da natureza humana. Por isso creio q aqui ele usa o trecho da letra para representar isso: “pq quem gosta de maçã irá gostar de todas, pq todas são iguais” (a tentação de provar outras, quando já se conhece o sabor de uma, se quer provar outras.) Então a meu ver, aqui nessa parte, ele fala desse desejo, dessa atração por outra pessoa q é algo natural de acontecer, ainda que amemos alguém. Então, por isso ele diz q “um amor a dois profana o amor de todos os mortais”, quer dizer, um amor monogâmico vai contra a natureza humana.Embora os dois se amem,ele entende q se esse amor ficar somente entre os dois vai se desgastar, ou seja, se ele não a libertar, ele vai perdê-la. O ciúme, seria só o ego ferido(a “vaidade”),esse sentimento de posse,de querer ter a pessoa amada só p si, como “uma santa no altar”, ou seja, intocada, só p a veneração dele. Eu entendo essa música como um momento de reflexão de raul seixas, passado p o papel em forma de poema, uma racionalização do fato, justificando p ele mesmo q como poderá condená-la qdo ela “chama outro”, se ele a estará privando do q ele mesmo mais venera q é a beleza de deitar (fazer sexo)que seria um desejo natural, da natureza humana e não somente limitado a um parceiro, ainda q se ame. Qdo ele escolheu ela p ser sua mulher ele imaginou, fantasiou, sonhou com um amor sublime, tipo paixão, desejo q nunca acabaria, como os dois sendo tudo um p o outro e q isso bastaria, mas agora ele compreendeu q isso não é o bastante. As coisas mudam.
    Lindo!!!!
    Queria esse cara p mim.
    A maçã, nesse contexto, seria a tentação.

  37. Cláudia disse:

    Ah! Outro comentário: levando em consideração a época em q foi escrita a música, ele se mostra despido de conceitos machistas, por isso está muito além de seu tempo.

  38. Diego leite disse:

    TRATA DE ADÃO E EVA.É VERDADE QUE UM AMOR NÃO É AMOR SEM SEXO, ISSO EXPLICA EXPLICA O “POBRE AMOR”

    NO SEGUNDO ESTROFE ELE FALA QUE O AMOR PROFANA,OU SEJA, AMOR TERRENO QUE É DE TODOS OS MORTAIS É UM DESEJO DO PECADO E QUE TODO PECADO LEVA OUTRO.

    NO TERCEIRO ESTROFE ELE FALA QUE NÃO PODEMOS TER CULPA DE PECAR E QUE NINGUME É PODE SE PRENDER, QUE NÃO TEMOS CONDIÇOES DE ENFRETAR O PECADO A QUAL É EXPRESADA PELA BELEZA QUE É O MESMO QUE DESEJO.

    NO QUARTO ESTROFE ELE FALA QUE ADÃO ERA O CONSERVADOR E TINHA EVA COMO UM SÓ ESPIRITO. QUANDO ELE FALA QUE ALÍ EXISTIA OUTRO ,OU SEJA, LUCIFER, QUE POSTERIORMENTE INFLUENCIARIA EVA A SE TRAIR, TRAIR ADÃO E O PROPRIO DEUS. NO ÚLTIMO ESTROFE JA ESTÃO FORA DO EDEM,E QUE ESTAVÃO LIVRE DE FAZER O QUE QUISER PRINCIPALMENTE A LIBEDADE DO SEXO.
    ——————RAUL E A ARTE DE PENSAR.

  39. Ivan disse:

    Gente, todo mundo fala de uma filosofia muito linda a respeito dessa música, mas basicamente é: A mulher quer transar com outros caras, ele com ciúme não queria, mas decidiu deixar e adotar um relacionamento liberal. Ela é oficial dele, mas pode sair e transar com outros caras. Pode não parecer, mas é EXATAMENTE isso.

  40. Sylvia disse:

    Cláudia, 09/11/2011 foi perfeita, já disse tudo.

  41. Thiago Cedraz disse:

    Bando de pessoas burras, rsrsrsrsrsrsrs
    Essa musica é um grito da Sociedade Alternativa ” Faz o que tu queres, há de ser tudo da lei ”

    Ta faltando é cultura pra cuspir na escultura.

    Pra cuspir na escultura tem que entender a estrutura!!!!!
    RSRSRSRSRSRSRSRSRS

  42. Eliza Nunes disse:

    Esta musica diz tudo o que eu esperei minha vida inteira pra ouvir!!
    Eu te amo e tu me amas!!!Lindo!!!

  43. Lukinha disse:

    Deus não proibiu Adão e Eva de fazerem sexo,muito pelo contrário a ordem dada foi enchei a terra e multiplicai-a.A ordem tbém dada e que cada homem tenha sua própria esposa e lhe renda o que lhe é devido,não que saissem fazendo sexo c outros pois este direito é somente do casal.esta música é absurda de uma ideologia onde se propaga a poligamia e esquecem das doenças,filhos criaodslinge dos pais pois os mesmos tem de “dar atenção aos outros parceiros e satisfazer sua necessidade sexual”ao inves de manter uma estrutura familiar e saudável.Reavaliem esses conceitos de vida antes de dizer que essa música é perfeita pra vcs.se coloquem numa situãção onde “hoje com quem será que meu parceiro vai transar? ou mesmo eu?” revejam os pensamentos galerinha…acho que se Raul quizesse mesmo ter outras parceiras ou deixar a mulher ter tbem,prq ele sentiria ciume? ora,ciume vem de quando vc quer algo exclusivamente pra si e se é livre esse amor então ele fala de ciume prq???meio estranho isso ai.

  44. Cininha disse:

    Para mim o Raul e Paulo Coelho são dois servos de satanás, e essa letra sugere promiscuidade. Pronto falei!

  45. Andre Ferrero disse:

    Essa letra é uma ode à poligamia.

  46. Isaac disse:

    Lukinha tu é tão burro que não entendeu a letra do mestre! ele amava tanto sua parceira que a liberava para transar com outros Homens, por isso ele sentia ciúmes. “Ja compreendi que além de mim, existem mais”. já que não sabem interpretar, não saiam publicado babaquices do mestre Raul. viva o Rock, foda-se o resto. m/

  47. Henriqu Célio disse:

    Essa música fala de traição. Ele a traiu. Ela descobriu e deu o troco. Ele a concede então a liberdade de ir reconstruir sua vida num novo relacionamento. Ele justifica na composição que ainda a amava mas que sucumbiu à tentação representada aqui pela maçã. Como ainda ela era nova não poderia ser possessivo a ponto de não libertá-la. Essa liberdade pode ser espiritual e carnal também já que agora ela poderia se deitar livremente sem amarras.

  48. DANILLO RIBAS disse:

    GALERA RELIGIOSA, OU SEI LÁ O QUE…
    A LETRA MOSTRA UMA COISA MUITO COMUM NOS RELACIONAMENTOS…PORÉM PREGA A LIBERDADE DE CADA PESSOA EM FAZER SUAS ESCOLHAS…QUEM TRAI, FEZ UMA ESCOLHA. QUEM RETRIBUI A GENTILEZA TAMBÉM FEZ UMA ESCOLHA. NÃO FALA QUE É CERTO OU ERRADO, MAS NÃO CONDENA NINGUÉM POIS O SER HUMANO É FALHO,FALSO E DESONESTO. TRATA TAMBÉM A HIPOCRISIA DE MUITOS QUE “PAGAM” DE CERTINHOS, DE RELIGIOSOS E SÃO ADÚLTEROS POR BAIXO DOS PANOS. CLARO QUE O ADÚLTERIO É ERRADO, É PECADO. MAS CADA UM FAÇA O QUE QUISER E DEPOIS SE ACERTE COM O CARA LÁ EM CIMA. A LETRA TRATA DE UM TEMA MUITO COMUM E POLÊMICO. MAS COMO CRITICAR OU CRUCIFICAR ALGUÉM SE QUASE SEMPRE COMETEMOS OS MESMOS ERROS? (“O QUE QUE EU QUERO SE EU TE PRIVO DO QUE EU MAIS VENERO?”)OU SEJA, COMO VOU TE JULGAR SE ÁS VEZES FAÇO COISAS SEMELHANTES, IGUAIS OU TÃO ERRADAS QUANTO ISSO? SALVE RAUL

  49. Pam disse:

    ”Amor só dura em leberdade, o ciume é só vaidade” . Um relacionamento , tem que proporcionar apenas coisas boas , se o homen possui o livre arbitrio (que é a maior dádiva divina dada aos homens ) Porque nos prendemos á outros , e cultivamos coisas ruins ? Ciumes , posse … Não estou dizendo que o casamento é uma coisa ruim, e que tem que tranzar com varias pessoas. Mas .. ”fazes o que tu queres , pois há de ser tudo da lei” . E proporcione á quem tu amas o direito de fazer suas proprias escolhas. ”O amor só dura em liberdade”

  50. Danny disse:

    O nome “A maça” se refere a tentação de Eva no paraíso. A musica fala das tentações que os casais podem passar em relação ao sexo com outros sem ser seu parceiro. Não entendo a musica como uma traição, mas como um relacionamento aberto, em que eles tem a liberdade de se deitar com outros.

  51. Ruither disse:

    Discordo que essa linda melodia agrida o amor e seja uma alusão a poligamia. O “além de dois existem mais” refere-se às inúmeras opções que temos na vida. Simplesmente é citado o “ciúme” porque esse é o maior motivo de contendas. O autor tenta apenas atingir o ponto mais frágil do ser através da construção da letra deste tão bem construído poema. Mas pode-se dizer que é um trabalho realmente complexo pela questão que levanta em torno da fidelidade.

  52. renegado disse:

    Depois de ler tanta besteira cheguei a uma conclusão : pra quem nao curte Raul por curtir , e sabe de sua mensagem e qual o cunho metafisico dela , vai me entender … Pra se analisar esta obra temos de partir da dica que o Raul deixou … O vídeo clipe original. Mostra o Raul e sua esposa Jay numa cerimonia de casamento cósmico , onde todo um ritual acompanha o ato do enlace que ate parece um casamento religioso cristão !!! Mas que quebra os paradigmas quando no chão entra os dois existe um pentagrama de cabeça pra baixo (bahopmet) … Continua ——-)

  53. vinicius disse:

    vcs sao tudo burro

  54. vinicius disse:

    Essa musica foi composta pelo Raul e pelo Paulo Coelho. Para aqueles que já leram algum livro do Paulo Coelho que fala sobre o “amor” irão entender com muito facilidade o significado desta música. Em suma, a música diz que o amor não pode ser limitado entre 2 pessoas, que ele é livre e que não se deve seguir a regra de apenas 2 pessoas numa relação.

    Se esse amor
    Ficar entre nós dois
    Vai ser tão pobre amor
    Vai se gastar… (este trecho é claro e objetivo, a palavre “entre” é confundida pela maioria, neste trecho ele quiz dizer que o “se o amor que eles sentem ficar apenas entre os dois, ele será um amor pobre e desgastante – limitado”.

    Se eu te amo e tu me amas
    Um amor a dois profana
    O amor de todos os mortais (aqui deve-se juntar a frase para ter sentido: “Um amor a dois profana o amor de todos os mortais” (quer dizer que o amor entre apenas 2 pessoas ‘profana’ o amor dos demais)

    Porque quem gosta de maçã
    Irá gostar de todas
    Porque todas são iguais… (é uma metafora simples,é o mesmo que dizer: se eu gosto de amar uma pessoa, vou gostar de amar todas, pois o amor é igual, é amor) (ou entao: se eu gosto de mulher, logo, gosto de todas as mulheres, pois é mulher).

    Se eu te amo e tu me amas
    E outro vem quando tu chamas
    Como poderei te condenar
    Infinita tua beleza
    Como podes ficar presa
    Que nem santa no altar… (aqui é bem simples tambem, diz que: o amor entre eles é reciproco, entao, se surge uma outra pessoa que disperte o interesse na sua namorada, ele n poderá conde-la, pois ela é linda infinitamente, e nao pode ficar presa num ‘altar’, – aqui podemos entender altar como casamento ou entao imaginar o q ele mesmo disse, uma estatua parada, intocavel, santa.)

    Quando eu te escolhi
    Para morar junto de mim
    Eu quis ser tua alma
    Ter seu corpo, tudo enfim
    Mas compreendi
    Que além de dois existem mais… (aqui ele começa dizendo que tinha um desejo possessivo de amor, como td mundo tem, tipo: qr vc so pra mim, td o q é seu é so meu, etc… mais ai ele descobre que o amor pode existir entre mais de duas pessoas – além de dois existem mais-)

    Amor só dura em liberdade
    O ciúme é só vaidade
    Sofro mas eu vou te libertar (ele acredita que o amor só existe se for livre, ciumes é vaidade, ego, e ele sofre por saber disso, sofre por ter q libertar sua paixao ( a mulher neste caso) mas mesmo assis ele ira deixa-la livre)

    O que é que eu quero
    Se eu te privo
    Do que eu mais venero
    Que é a beleza de deitar… ( seria o mesmo q dizer: caramba! o que estou fazendo contigo? estou te privando de algo q tanto gosto, sexo)

  55. Jurandir Antonio de Araújo disse:

    A mensagem da letra da música “A Maçã” de Raul e Paulo Coelho induz ao leitor a uma reavaliação, e a uma reafirmação dos conceitos morais impostos, desde a antiguidade a toda humanidade. Essa nova ideia, abraçada na música pelos compositores, sobre amor e sexo,de caráter liberal, neo moderno,assusta algumas pessoas acostumadas ao antigo padrão. Independente, do posicionamento sobre a questão, procuraremos manter a fidelidade da Interpretação.

    Se esse amor
    Ficar entre nós dois
    Vai ser tão pobre amor
    Vai se gastar…(nesta estrofe o autor tenta convencer a sua amada que todo relacionamento afetivo, monogâmico, tornar-se-á, pelo tempo, algo sem graça, pobre. Que tal relacionamento estará fadado, pelo tempo a acabar, visto que não conseguimos amar a mesma pessoa sempre.

    Se eu te amo e tu me amas
    Um amor a dois profana
    O amor de todos os mortais
    Porque quem gosta de maçã
    Irá gostar de todas
    Porque todas são iguais…(Aqui, o autor reafirma a ideia que a fidelidade conjugal, a tal monogamia, profana, ou seja, contraria o amor impulsivo de todos os seres humanos, visto que, na óptica dele, todo homem é, pela própria natureza, polígamo. E quem gosta de mulher, gostará de todas. visto ser todas iguais. E isso se aplica ao sentimento de amor feminino também.

    Se eu te amo e tu me amas
    E outro vem quando tu chamas
    Como poderei te condenar
    Infinita tua beleza
    Como podes ficar presa
    Que nem santa no altar… (nesta, o autor apela à demonstração de modo prático do amor. Diz a ela que, se ele a ama, e outro vem, seduzido (chamado por ela) através da sua beleza, e ela ficar também desejosa deste novo amor, ele não a condenará por isso. Concorda, também, que ela se entregue a esta paixão. Por que se privar deste novo desejo? Ela não é uma estátua, que nada sente, aprisionada a um altar.

  56. Jurandir Antonio de Araújo disse:

    A mensagem da letra da música “A Maçã” induz ao leitor a uma reavaliação, e a uma reafirmação dos conceitos morais impostos, desde a antiguidade a toda humanidade. Essa nova ideia, abraçada na música pelos compositores, sobre amor e sexo,de caráter liberal, neo moderno,assusta algumas pessoas acostumadas ao antigo padrão. Independente, do posicionamento sobre a questão, procuraremos manter a fidelidade da Interpretação.

    Se esse amor
    Ficar entre nós dois
    Vai ser tão pobre amor
    Vai se gastar…(nesta estrofe o autor tenta convencer a sua amada que todo relacionamento afetivo, monogâmico, tornar-se-á, pelo tempo, algo sem graça, pobre. Que tal relacionamento estará fadado, pelo tempo a acabar, visto que não conseguimos amar a mesma pessoa sempre.

    Se eu te amo e tu me amas
    Um amor a dois profana
    O amor de todos os mortais
    Porque quem gosta de maçã
    Irá gostar de todas
    Porque todas são iguais…(Aqui, o autor reafirma a ideia que a fidelidade conjugal, a tal monogamia, profana, ou seja, contraria o amor impulsivo de todos os seres humanos, visto que, na óptica dele, todo homem é, pela própria natureza, polígamo. E quem gosta de mulher, gostará de todas. visto ser todas iguais. E isso se aplica ao sentimento de amor feminino também.

    Se eu te amo e tu me amas
    E outro vem quando tu chamas
    Como poderei te condenar
    Infinita tua beleza
    Como podes ficar presa
    Que nem santa no altar… (nesta, o autor apela à demonstração de modo prático do amor. Diz a ela que, se ele a ama, e outro vem, seduzido (chamado por ela) através da sua beleza, e ela ficar também desejosa deste novo amor, ele não a condenará por isso. Concorda, também, que ela se entregue a esta paixão. Por que se privar deste novo desejo? Ela não é uma estátua, que nada sente, aprisionada a um altar.

  57. Marcela disse:

    ”Lukinha tu é tão burro que não entendeu a letra do mestre! ele amava tanto sua parceira que a liberava para transar com outros Homens, por isso ele sentia ciúmes. “Ja compreendi que além de mim, existem mais”. já que não sabem interpretar, não saiam publicado babaquices do mestre Raul. viva o Rock, foda-se o resto. m/ ”

    Meu comentário vai para Isaak e para quem mais pensa de maneira insolente igual a ele.
    Esse site foi criado com o ímpeto de analises de letras. Ninguém é burro por assimilar para si o que entende da música. Sou fã de Raul como você e como muitos aqui, e infelizmente você esta agindo de maneira equívoca ao que o Raul queria ser e passar para seus seguidores. O próprio disse:
    “Óculos escuros guardam meus olhos que os ladrões querem roubar, PENSANDO TOTALMENTE QUE OLHANDO COM MEUS OLHOS VÃO VER O MESMO QUE EU.”

    Espero que você entenda o que eu quis lhe passar. =)
    VIVA A SOCIEDADE ALTERNATIVA

  58. Tonim disse:

    e viva o swing

  59. Rafaela santos disse:

    Eu penso assim, vivemos em um país Democrata,então cada um tem o livre Arbítrio de pensar ou achar oque quiser! Vamos lá.a musica ” a maçã no meu ponto de vista, ela fala de um amor de um personagem, que o ilustre Raul seixas fez a questão de transforma-lá,em musica.Bom eu entendi que o “Personagem” dessa musica amava muito a sua Companheira,que chegaram a morar juntos e com um tempo, descobriu uma traição,foi quando em uma da partes da musica fala.” Quando eu te escolhi
    Para morar junto de mim
    Eu quis ser tua alma
    Ter seu corpo, tudo enfim
    Mas compreendi
    Que além de dois existem mais…” ou seja para ele era só os dois, era um amor,muito verdadeiro. foi ai que ele fala.”Amor só dura em liberdade
    O ciúme é só vaidade
    Sofro mas eu vou te libertar,ele deixou ela livre para escolher o que é melhor para ela ou seja ninguém é dono de ninguém,o Amor no meu ponto de vista é isso você não tem o direito de querer obrigar a pessoa a fica do seu lado,o cantor é muito claro na sua musica quando ele fala infinita sua beleza como podes ficar presa como santa no altar…
    no meu pouco entendimento foi o que eu compreendi .é o ponto de vista de cada um

  60. lucyan disse:

    bem Raul deixa claro que é um amor liberal. conhecendo um pouco sobre ele arrisco dizer que eele Ta ressaltando a liberdade empregada por alister croulen (acho q se escreve assim) em que todo homem e toda mulher é uma estrela. ele vai contra os princípios cristão de que são uma só carne (eu quis ser tua alma. ter seu corpo tudo em fiz.) ele joga que o ciúme é coisa natural mas teM que set vencido. um amor a dois profwna como se isso fosse um desperdicil. quem gosta de maçã irá gostar de todas pois são iguais é uma metáfora as pessoas que também são iguais. portanto um homem pode ficar com qualquer mulher e vice e versa.ou seja poligamia para todos os sexos.

  61. Romeu Mallor disse:

    Acho linda essa música, mas não sou partidário da idéia desse amor em liberdade.

  62. Romeu Dias disse:

    Me parece que quando Ele coloca “um amor a dois profana/o amor de todos os mortais”, Ele se refere ao amor dos mortais; parece que a coisa é mais espiritual.

  63. Elvis Souza disse:

    Talvez “maçã” seja uma referencia a rostos…
    essa coisa de que as faces não contam…sei lá foi o que veio em minha mente…Viva Dom Raulzito

  64. Alejor disse:

    A simbologia da musica está na mitologia cristã. A maçã seria o fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal que Eva é tentada a comer e convence Adão.
    Ao comer o fruto, a inocência é perdida. Na musica, a voz do eu-lirico hora é de Deus, hora é de Adão e hora é de Eva.
    A Beleza de deitar é a criatividade do Criador que, no conhecimento místico, está atrelada a energia sexual da Kundalini.
    Implicitamente a musica critica os dogmas cristãos e sua arma mitologica de destruição de cérebros.

  65. Ednei xavier disse:

    a maçã trata-se de mulher..explica k a carne é fraca,tanto para ele kanto para ela,o k ele mais venera é a belesa de deitar,,tipo por mais k voç ame akela pessoa sempre vai ter alquem para lé fazer pecar,sentir desejo coisas assim,,.,.

  66. João Victor Lins disse:

    A letra que fala sobre o amor livre…

  67. Lukas disse:

    O amor livre, de prender a pessoa só para você, também pode ser o livre amor sendo a favor da bissexualidade quando diz “E outro vem quando tu chamas” ou a ”maça” e os tipos de maças que as humanos seriam as ração (preto,branco,amarelo).

  68. steve disse:

    bixo é algo bem simples vou resumir ao dias atuais a pessoa é livre bixo a outra não tem poder pra priva-la de nada pois tem livre arbitrio e se quiser ir vá pois não vou te segurar a maça seria tambem a tentação que implica neste ir ou não ir é bem simples… e olha que foi foda pro raul cantar isso!

  69. Henrique disse:

    Ao meu entender dessa linda letra de Raul, eu vejo como um pensamento liberal, no qual defende que nós devemos fazer oque bem entendermos, confiando único, e exclusivamente no coração. Raul era contra qualquer tipo de opressão, sendo assim, ele não achava errado que a pessoa que você ama, se relacionasse com outras pessoas, pois isso é um desejo carnal, instintivo. E que isso não fará com que os laços de amor se desprendam. Isso é deixado em evidencia nos versos: “Se eu te amo e tu me amas
    E outro vem quando tu chamas
    Como poderei te condenar
    Infinita tua beleza
    Como podes ficar presa
    Que nem santa no altar…” Neste trecho fica em evidencia que, se a pessoa que ele ama, esta em “chamas” e vem o outro, ele não poderá condena-la, pois é um desejo que provem do ser humano, todos tem desejos, e eles são oprimidos na sociedade em que vivemos,sendo elas, por razões culturais e religiosas.
    Muitos de nós, fazemos analogias dessa letra mesmo que não concordando 100% com essa ideologia, justamente pelos fatores culturais em que vivemos, Raul tinha um pensamento diferenciado, muitos dizem ser a frente de sua época, Vejamos dessa maneira que sua linha de pensamento é valida, afinal todos temos vontades, porém não aceitaremos bem essa ideologia, pois a maioria de nós, provém de uma cultura exercida pelo cristianismo, ou seja, pregam por um relacionamento mutuo entre duas pessoas. Já Raul tinha uma ideologia mais liberal. Exemplos como este, podem ser facilmente percebidos em vários trechos da música, e que com uma analogia mais cuidadosa, irá mostrar justamente isso, vejam também, na seguinte estrofe: “Quando eu te escolhi
    Para morar junto de mim
    Eu quis ser tua alma
    Ter seu corpo, tudo enfim
    Mas compreendi
    Que além de dois existem mais” Ele acha de certa forma um egoísmo, esse tipo de atitude, que se for pensada mais a fundo, todos temos essa postura, em nosso relacionamento. Pois diariamente, “queremos ser o outro”, “ser sua alma”, “ter seu corpo”, e isso nunca será possível, pois são pessoas diferentes, com corpos diferentes, almas, e possuem sim, desejos. Isso pode ser melhor observado por exemplo, na opressão do homem a mulher, e vice versa durante um relacionamento. Então quando ele diz, que compreendeu que “alem de dois, existem mais” foi justamente isso. Que o outro como um ser humano, também tem “vontades”, e que “quem gosta de maça irá gostar de todas porque todas são iguais” É isso, porque o outro não vai gostar de outra maça, se todas são iguais? Essa foi minha analogia, me desculpem se não ficou bem redigido, tentei explicar minha analogia. Achei muito interessante este site, Obrigado e tudo de bom a todos! 😉

  70. luan.leonardo disse:

    luan quer fude com vc

  71. João carlos disse:

    como somos falhos em nossa caminhada aqui na terra,o desejo carnal lutando contra o espiritual duas forças opostas,bastante reflexivo e cabe a nós tentar errar menos nessa nossa existência física.

  72. Guto disse:

    Cresci escuta musica desse grande homem, que as novas gerações saibam o que é musica boa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.