Rapante

3 comentários

Raimundos

“Eu falei que isso é uma porra”

Arrocho o jegue parto pra merma rotina
já são quatro da matina e eu tenho que me virar
Comendo a pedra eu desenvolvi a proteína
que nenhuma cocaína dá a força que ela dá
Lá onde eu moro é onde ninguém fica á toa
o rabo arranca e o peido avoa ninguém para de cagá
Menina linda na parada de baú
se pego meio tocada acho que vou te torar
ôôôuuu

A tal da pedra me faz virar noite e dia
vou a pé até a Bahia e não páro pra descansar
E não ofende o aparelho digestivo
é só um dispositivo que eu tenho pra falar
Sem ela eu não falo
Com ela eu não me calo
Menina de Brasília ou de qualquer lugar
ouça o que o paraíba filha da puta aqui tem pra dizer”

Arrocho o jegue parto pra merma rotina
já são quatro da matina e eu tenho que me virar
Comendo a pedra eu desenvolvi a proteína
que nenhuma cocaína dá a força que ela dá
Lá onde eu moro é onde ninguém fica á toa
o rabo arranca e o peido avoa ninguém para de cagá
Menina linda na parada de baú
se pego meio tocada acho que vou comer teu cu
simbora!!

Menina ô
Parada de baú

A tal da pedra me faz virar noite e dia
vou a pé até a Bahia e não páro pra descansar
E não ofende o aparelho digestivo
é só um dispositivo que eu tenho pra falar
Sem ela eu não falo
Com ela eu não me calo
Menina de Brasília ou de qualquer lugar
ouça o que o paraíba filha da puta aqui tem pra dizer

Menina ô


3 comments on “Rapante

  1. Zimolong disse:

    Num resumo breve ele fala claramente dos efeitos estimulantes do crack
    e do uso do crack por trabalhadores das classes inferiores
    Que precisam de um incentivo pra cumprir sua jornada de trabalho!

  2. ivan disse:

    Amigo, a pedra dessa musica eh a rapadura!

  3. A música fala sobre a rapadura, que era (e é) comumente consumida em regiões nordestinas, principalmente para dar energia aos trabalhadores (em especial aos do engenho do século XVI, época em que foi criada) devido a grande quantidade de açúcar nela contida.

    E claramente, o Rodolfo faz a alusão a cocaína, principalmente no trecho “e não ofende o aparelho digestivo”, que é uma característica comum da cocaína, a frequente vontade de “defecar”, devido ao desarranjo intestinal que ela causa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.