Raimundos

Rio das Pedras

Quando eu andava no Riacho da Pedreira
Vendendo peixe na feira
Eu criei a molecada
Comendo peixe todo mundo ficou forte
Eu tive muita sorte com a minha mulher amada

Minha mulher um dia foi pescar
Mas no Riacho da Pedreira tinha pedra pra danar
Ela tinha medo de botar a mão na toca
E eu dizia: “Maricota é aí que o peixe está”
Entre as pedras não tem cobra só tem peixe
Se quiser pegar algum tem que fazer como eu mandar:

Abre as pedras meu amor
É aí que o peixe esconde quando vê o pescador
Abre as pedras meu amor
É aí que o peixe esconde quando vê o pescador

Quando eu andava no Puteiro da Peidera
Comendo puta na feira
Deixei uma apaixonada
Comendo merda todo mundo ficou forte
Eu tive muita sorte com a minha mulher amada
Minha mulher um dia foi peidar
Mas no Puteiro da Peidera
Já fedia pra danar
Ela tinha medo de pegar na minha piroca
E eu dizia “Maricota, pega aqui que eu vou gozar”
Entre as pernas tem um cu e uma buceta
Vou meter na tarraqueta
Só pra ver no que vai dar

Abre as pernas meu amor
E prepara esse roxo que cê vai sentir a dor
Abre as pernas meu amor
Quero ver ficar vermelha igualzinha a uma flor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>