Nariz de Doze

7 comentários

Raimundos

Calamidade, tu viu que diabo foi aquilo que passou
cumpade, caiu pra lá do outro lado do rio
Minhas vacas entraram tudo no cio

E a fumaça das abelhas de noite queimando a tchara

A água do poço tá salobra os peixe agora “fala”
O meu cavalo come e caga tanto que enche uma vala.
Parece que o mundo todo ficou doido
E eu fiquei de cara pede pra parar só que não para não

Um bicho verde me assustou quase tive um enfarte
Quando olhei para o pasto estavam por toda a parte
Minha espingarda carregada disse: eu tô preparada,
vamo simbora receber o povo de Marte

Nariz de doze
Fala boca de tucunaré, boca de bote
Levanta, narizinho de morotó.
Tiro bufado pegue a de cano serrado que é melhor.
Venta de jibóia
Boca de gigante, vá chamar beiço de bóia
Que tromba de elefante tá chegando.
Tá na hora de cozinhar vamo comer de dois canos

Foi só na lata beiçudo cuspindo fogo na mata
Devagar, cuidado com o gado pra não errar.
Chegou a pouco de fora e não sabe nem as horas,
Boca de abóbora, chame o caboclo que rouba o ar.

Com um nariz desse tamanho tu erra o tiro
E o terremoto se a pólvora entrar e tu der um espirro
mas se você boceja agora engole a Terra,
É bem melhor que acaba a guerra
E os marcianos vão falar mais fino.

Ei, de onde vieram esses muleque feio.
Cabeça de abacate com os olhinhos de japonês e essas pistola.
Isso é artefato de boiola, Acho que eu vou comer a bala
Ao mesmo tempo que o Digão sola


7 comments on “Nariz de Doze

  1. Eliz disse:

    Bom, essa música parece realmente muito estranha, mas basta ler o refrão que o entendimento logo vem, ou seja, ele fala do(s) indivíduo(s) que cheira(m) cocaína e a “viagem” causada pela droga, euforia e alucinação.

  2. ivan disse:

    a musica fala em partes de um jogo q os caras da banda jogavam.. “Ei, de onde vieram esses muleque feio. Cabeça de abacate com os olhinhos de japonês e essas pistola.” era um jogo q tinha uns ET’s q atiravam e por aí vai.. e o refrão era como rodolfo e um amigo da banda se tratavam, colocando apelidos uns nos outros “Nariz de doze, fala boca de tucunaré..”

  3. John, The Revelator disse:

    o eu-lírico parece descrever alucinações decorrentes do uso de entorpecentes, provavelmente ocorridas numa fazenda ou área rural. Mistura elementos da vida rural com imagens distorcidas das pessoas ali presentes.

  4. V. Jr disse:

    A música fala da cocaina (um dos modos de se referir a inalação da droga é conhecido com tiro)
    “Tiro bufado pegue a de cano serrado que é melhor.”

    Nariz de Doze = tiro de dose, tiro grande. narina grande

  5. alexandre disse:

    porra, nada de cocaína e nada de jogo! é uma gastação baseada nas historias da vida rural, interiorana, o Raimundos ama fazer isso! e o rodolfo faz como ninguem, isso é uma satira de lendas de roça feits por alguem que ja ouviu muitas!

  6. Tadeu disse:

    Se vc escutar o balada MTV, vai perceber no final que a plateia pede a musica nariz de 12 e o Canisso faz uma brincadeira interna olhando para o Rodolfo dizendo algo sobre “Nariz de 10 já que o nariz de 12 não vai ter então o de 10 pelo menos”… não sei se teve algo a ver com o enredo da música mas claramente senti eles falando sobre cocaína !!

  7. LéRúLéRú disse:

    hm…. acho qe a musica fala sorbe um fazendeiro e sua companheira espingarda, e ele se refere a espingarda como nariz de doze “calibre doze” e o nariz referese ao cano da espingarda, daia espingarda referese a rodolfinho como nariz de morotó, que é uma espessie de verme, ja qe a espingarda tem um nariz muito maior em relassão a rodolfinho “Com um nariz desse tamanho tu erra o tiro”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *