Gal Costa, Roupa Nova

Açaí

Solidão
De manhã
Poeira tomando o assento
Rajada de vento
Som de assombração
Coração…
Sangrando toda palavrã sã

A paixão
Puro afã
Místico clã de sereia
Castelo de areia
Ira de tubarão
Ilusão…
O sol brilha por si

Açaí guardiã
Zum de besouro…
Um imã
Branca é a tez da manhã