Entre A Serpente E A Estrela

21 comentários

Zé Ramalho

Há um brilho de faca
onde o amor vier
e ninguém tem o mapa
da alma da mulher
ninguém sai com o coração sem sangrar
ao tentar revê-la
um ser maravilhoso
entre a serpente e a estrela
um grande amor do passado se transforma em aversão
e os dois lado a lado
corroem o coração
não existe saudade mais cortante
que a de um grande amor ausente
dura feito um diamante
corta a ilusão da gente
toco a vida pra frente
fingindo não sofrer
mas no peito dormente
espero um bem querer
e sei que não será surpresa
se o futuro me trouxer
o passado de volta
no semblante de mulher


21 comments on “Entre A Serpente E A Estrela

  1. Elizabeth Eifert disse:

    Bom, posso interpretar essa música de acordo com o que já passei na vida, muitas desilusões e decepções amorosas.

    ” há um brilho de faca onde o amor vier”, quer dizer, em minha opinião, que, quem se submete a um novo amor, está se arriscando a se ferir, pois geralmente um amor não é recíproco, sempre há um lado que ama demasiadamente e não é correspondido. Em minha interpretação, amar geralmente é sinônimo de sofrimento.

    ” ninguém tem o mapa da alma da mulher “, quer dizer que realmente os sentimentos das mulheres são muito inconstantes e misteriosos, impossíveis de serem mapeados ou codificados para melhor serem compreendidos.

    ” ninguém sai com o coração sem sangrar ao tentar revê-la. Um ser maravilhoso, entre a serpente e a estrela ”

    Serpente: traiçoeira, venenosa, misteriosa, que faz sofrer, machuca e hipnotiza suas vítimas, chega sorrateiramente, mas deixa um belo estrago caso provocada.

    Estrela: tem brilho próprio, sedutora, perfeita em seus detalhes, um ser maravilhoso

    Geralmente as mulheres sempre estão entre a serpente e a estrela, dependendo da ocasião.

    “um grande amor do passado se transforma em aversão
    e os dois lado a lado
    corroem o coração
    não existe saudade mais cortante
    que a de um grande amor ausente
    dura feito um diamante
    corta a ilusão da gente”

    Só quem ama, amou ou vai amar um dia, compreende a dor de um amor não correspondido. A pessoa que vive essa situação, sente aversão a si mesma e a essa situação. A dor é tão grande que se compara a dureza de um diamante. O que é pior, estar iludido ou ter a ilusão cortada?

    “toco a vida pra frente
    fingindo não sofrer
    mas no peito dormente
    espero um bem querer
    e sei que não será surpresa
    se o futuro me trouxer
    o passado de volta
    no semblante de mulher”

    Seria ótimo se todos pudessem superar a dor de um amor não correspondido, mas isso é realmente muito complicado. Por mais que seguimos vivendo nosso cotidiano, fingimos não sofrer, realmente o sofrimento sempre volta em algum momento, as lembranças não se apagam. Procuramos urgentemente um novo amor, que dificilmente vem, e quando aparece, ficamos procurando nele as características da outra pessoa que amamos, o que trás muitas decepções.

    • Evaldo Mendes disse:

      Gostei do olhar sobre a letra da música. Sem discordar, acrescento uma possibilidade: Na frase “Entre a serpente a estrela”, penso que o Zé foi inspirado pelo ocultista Aleister Crowley, que escreveu em seu “Livro da Lei”: ” O Sol, Força & Visão, Luz; estes são para os servos da Estrela & da Serpente”, p. 14.

    • gilmar disse:

      eu achei fantástico sua interpretação , parabéns , e achei minha cara e minha vida a musica fera ferida , aquele abraco.

  2. Sérgio Soeiro disse:

    Elizabeth,
    Muito lúcida sua interpretação. Parabéns!

  3. EBA disse:

    Perfeitooooooo!Eu penso exatamente assim. Traduziu tudo o q eu senti e ainda sinto.

  4. Paula disse:

    Elizabeth Parabéns pela interpretação! Muito sensivel!
    Bem parecida com a minha!

  5. P. BELTRÃO disse:

    “Entre a serpente e a Estrela”. Existe aqui uma relação antagônica, parafrástica com “entre a cruz e a espada”. Em metáfrase diríamos: entre anjos e demônios, entre o bem e o mal, entre o certo e o errado, entre o amor e a aversão.
    “Há um Brilho de Faca”, instalado onde o amor estiver, está explícito no discurso da linha melódica. O significado dentro desta estrutura semântica, nos remete ao sentido de haver sempre um risco iminente em se amar. Aqui há um conceito de amor: o amor faz doer, o amor fere como faca em lutas. A expressão “…brilho de faca, onde o amor vier”, semanticamente nos revela essa faceta macabra do amor, como se o estado de amor, fosse sempre uma predisposição para o sofrimento, um risco ou certeza para se “ferir”, já que a principal idéia que nos traz o signo “faca” e cortar.
    “E ninguém tem o mapa da alma da mulher”. Trata-se de uma enunciação também com uma grande carga metafórica, onde o sujeito autor cogita ser impossível encontrar o caminho para desvendar os segredos e mistérios contidos na alma, na índole da mulher. Pode-se depreender que este recôndito é por natureza, indecifrável, inalcançável, imensurável, quem sabe até etéreo e/ou soturno, conforme instiga a canção.
    Um grande amor do passado, se transforma em aversão e os dois lado a lado corroem o coração, que nos traz essa condição nostálgica de quem não consegue esquecer a pessoa amada e a consequência disso é a metamorfose do amor em uma aversão que não consegue suplantar esse mesmo amor. É a delonga desse embate que consome, corrói.
    Na construção: Não existe saudade mais cortante, o poeta simboliza a dor da saudade, através do uso deslocado do lexema “cortante” utilizado com relação à “saudade” e não a um objeto de corte. Temos no lexema “cortante” uma denotação por nos remeter a uma “relação de propriedade” já que se refere ao abstrato “saudade” e não, por exemplo, à “faca”, objeto de corte.
    A canção chega ao seu termo com a ação do sujeito poeta evidenciando tocar a vida pra frente, fingindo não sofrer, mas consciente de que mesmo quando o tempo lhe adormeça no peito o desventuroso amor, no futuro, todo o passado pode retornar num semblante feminino. O que denota conforme o contexto da música, esse poder inconteste do ser maravilhoso, situado entre a serpente e a estrela: a mulher.

  6. Abdul Aziz disse:

    Esta letra foi feita para os personagens de Pilar Batista (Renata Sorrah) e Murilo Pontes (Lima Duarte) da novela Pedra sobre pedra.
    Murilo Pontes ia se casar com a jovem Pilar Farias, por quem Jerônimo, o herdeiro dos Batista, também era apaixonado. No dia do casamento de Murilo e Pilar, a noiva diz não em pleno altar, por desconfiar de que o rapaz fosse o pai da criança que Eliane, sua melhor amiga, estava esperando. Desejando vingança, Pilar se casa com Jerônimo, inimigo de Murilo, enquanto este se casa com Hilda, uma jovem que sempre o amara. Dessa união nasce Leonardo, e Murilo vai seguir carreira política em Brasília, enquanto Pilar tem uma filha, Marina, e fica viúva. A filha de Eliane nasce, mas a mãe morre no parto e Pilar assume a educação da menina, dando-lhe o nome da mãe, Eliane. Vinte e cinco anos se passam, Murilo está de volta a Resplendor e reencontra Pilar querendo fazer de sua filha, Marina, a prefeita da cidade, destino que ele reservara para seu filho, Leonardo. Mas os dois não contam que seus filhos, ao se conhecerem, se apaixonam e têm que esconder esse amor por causa da rivalidade entre seus pais, rivalidade essa que oculta um amor mal resolvido.
    Basta ver a letra e se entende isso.

  7. Thiago disse:

    A letra é ótima. Mas sabe qual minha curiosidade? A de saber o que o autor estava pensando, sentindo na hora.

  8. Eduardo Hollanda disse:

    Excelente interpretação! A letra, que por si só, é maravilhosa, ganhou uma maior dimensão com a interpretação de P Beltrão.

    Parabéns

  9. Ivanilda disse:

    O segundo comentario e bastante inteligente e muito culto por sinal. Parabens pela a interpretacao,pois adoro essa musica.

  10. Saulo disse:

    Vale lembrar que essa é uma versão da música Amarillo by Morning, do George Strait, hino do rodeio nos Estados Unidos. A versão original é muito bonita, aliás.

  11. O que acontece aqui não é o caso de um amor não correspondido e sim o de um amor que por eventualidades da vida não pôde ser vivido.
    Mostra a tentativa em negar um sentimento e seguir adiante, com o peito adormecido e anestesiado.
    O amor se transforma em aversão porque normalmente é difícil demais admitir que se errou, que por escolhas feitas aquele relacionamento se tornou impossível de acontecer naquele momento e, mais difícil ainda de se desenvolver num futuro distante, mesmo que esse amor ainda prevaleça…
    Mas a gente sabe, que esse passado pode voltar… Mesmo com todas essas dificuldades e impossibilidades, ainda que o relacionamento seja impossível, a saudade corta.. porque o amor mesmo ausente, ainda existe…

  12. Henrique Kaju disse:

    Há um brilho de faca, significa separação ou uma forma de violência, cito, ninguém sai com o coração sem sangrar. Já a alusão: entre a serpente e a estrela, é a condição de satanás antes e depois de sua queda… você pode perceber que se trata dele conhecer o coração da mulher e através dela implantar o pecado no éden. O amor ausente é a separação do homem e Deus pelo pecado. Aceitem Cristo como Senhor e Salvador de suas vidas.

  13. Marly Martins disse:

    maravilhosas as interpretações, só acho fico com a segunda com a qual concordo e demaia a mais, curtamos a musica que é lindíssima.Parabéns

  14. Renato disse:

    Acredito que esta música tenha em seu contexto o mesmo drama amoroso que chão de giz, porém em tempo ulterior. Todos sabemos que chão de giz foi inspirada numa mulher que Zé conheceu num carnaval, porém era mais velha e casada com um cara da alta sociedade e apenas queria sexo com ele, um amor impossível para ele, até que ele não aguentou mais e teve que tentar esquece-la. A serpente foi inspirada na bíblia como a que instigou Adão e Eva a comer o fruto proibido, como que a serpente sedutora do Jardim do Éden fosse uma armadilha e a estrela, como uma coisa bela, dos céus. Exatamente como ele descreve nas entrelinhas de chão de giz. Uma mulher bela como uma estrela, que o seduzia apenas para fazer sexo.

  15. Marcelo disse:

    Não concordo com as interpretações acima.
    O que sinto é o seguinte:

    “Há um brilho de faca
    onde o amor vier
    e ninguém tem o mapa
    da alma da mulher”

    Em uma relação onde surge o amor, o casal emana este brilho mágico, sendo representado pela faça como objeto místico.
    E nenhum homem conhece completamente esta mulher, ser enigmático a qual não se decifra por completo.

    “ninguém sai com o coração sem sangrar
    ao tentar revelar
    um ser maravilhoso
    entre a serpente e a estrela”

    Nenhuma pessoa sai de um grande amor sem sofrimento ao tentar descobrir os segredos desta mulher, note que a letra original da música fala em revelar, e não revê-la.
    Entre a serpente e a estrela, entre a terra e o céu, o ser que esta acima da terra representada pela serpente(também dando conotação ao pecado) e abaixo do céu, representado pela estrela( também dando conotação ao divino).

    “um grande amor do passado se transforma em aversão
    e os dois lado a lado
    corroem o coração”

    Momento em que o grande amor vivido pelo casal acaba, e os dois que já não se amam, ao ficar juntos sofrem pela falta da paixão.

    “não existe saudade mais cortante
    que a de um grande amor ausente
    dura feito um diamante
    corta a ilusão da gente”

    Saudade do amor que não se tem mais. O diamante como substância dura corta a ilusão que se criou, de que este amor seria pra sempre.

    “toco a vida pra frente
    fingindo não sofrer
    mas no peito dormente
    espero um bem querer”

    Vai se levando a vida, prorrogando o termino desta relação, mas no fundo o coração deseja viver novamente um amor.

    “e sei que não será surpresa
    se o futuro me trouxer
    o passado de volta
    no semblante de mulher”

    E não será surpresa se no futuro, voltar a viver um grande amor por uma nova mulher.

  16. Anderson Cerqueira disse:

    A interpretação vocês já fizeram
    Só por curiosidade, essa música é uma versão de um clássico da country music lá do começo dos anos 70, chamada; “Amarilo by Mornnig” gravado originalmente por Terry Stafford, mas que fez muito sucesso no começo dos anos 80 com um cara que sou fanzaço, George Straits
    Depois ouçam 🎶

  17. GILMAR RIATO disse:

    essa música é uma verdadeira declaração,onde se traduz em palavras um turbilhão de sentimentos , que emergem lá do fundo da alma.
    é como se o coração resolvesse falar e dissesse tudo o que existe escondido em suas profundezas.
    essa música é o tema de muitas pessoas, de tão triste que é se torna impossível de não se levar em conta cada palavra.
    irresistivelmente bela esta canção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *