Faça o download do App do Análise de Letras para Android! É grátis!

Eu devia estar contente
Porque eu tenho um emprego
Sou um dito cidadão respeitável
E ganho quatro mil cruzeiros
Por mês…

Eu devia agradecer ao Senhor
Por ter tido sucesso
Na vida como artista
Eu devia estar feliz
Porque consegui comprar
Um Corcel 73…

Eu devia estar alegre
E satisfeito
Por morar em Ipanema
Depois de ter passado
Fome por dois anos
Aqui na Cidade Maravilhosa…

Ah!
Eu devia estar sorrindo
E orgulhoso
Por ter finalmente vencido na vida
Mas eu acho isso uma grande piada
E um tanto quanto perigosa…

Eu devia estar contente
Por ter conseguido
Tudo o que eu quis
Mas confesso abestalhado
Que eu estou decepcionado…

Porque foi tão fácil conseguir
E agora eu me pergunto "e daí?"
Eu tenho uma porção
De coisas grandes prá conquistar
E eu não posso ficar aí parado…

Eu devia estar feliz pelo Senhor
Ter me concedido o domingo
Prá ir com a família
No Jardim Zoológico
Dar pipoca aos macacos…

Ah!
Mas que sujeito chato sou eu
Que não acha nada engraçado
Macaco, praia, carro
Jornal, tobogã
Eu acho tudo isso um saco…

É você olhar no espelho
Se sentir
Um grandessíssimo idiota
Saber que é humano
Ridículo, limitado
Que só usa dez por cento
De sua cabeça animal…

E você ainda acredita
Que é um doutor
Padre ou policial
Que está contribuindo
Com sua parte
Para o nosso belo
Quadro social…

Eu que não me sento
No trono de um apartamento
Com a boca escancarada
Cheia de dentes
Esperando a morte chegar…

Porque longe das cercas
Embandeiradas
Que separam quintais
No cume calmo
Do meu olho que vê
Assenta a sombra sonora
De um disco voador…

Ah!
Eu que não me sento
No trono de um apartamento
Com a boca escancarada
Cheia de dentes
Esperando a morte chegar…

Porque longe das cercas
Embandeiradas
Que separam quintais
No cume calmo
Do meu olho que vê
Assenta a sombra sonora
De um disco voador…



Qual é a sua interpretação?





*



60 Comentários

Raul só quis fala que estas coisas são super fulas.
E o importante é conquista a inteligencia.

Voces perceberao ai exatamente a critica do raul ao modo de vida normal de todo mundo olha,poxa eu fiz sucesso consegui comprar um carro do ano um corcel 73 eu devia estar feliz comprei um apartamento a beira mar nos bairros mais carros e chiques do rio de janeiro mas confesso abestalhado que estou decepcionado,por nao ser feliz,nao encontrou a razao,ele fez sucesso como todo mundo almeja,todo cidadao comum na sociedade almeja comprar um carro do ano,comprar uma casa,morar num lugar maravilhoso,mais as pessoas que chegam la percebem que tudo isso e vazio,lutou a vida inteira que nem um doido,um doente mental para conquistar.E ai chega….e ai,nao tem nada e um vazio,ai começa a depressao,comeca vim a angustia,pq nao tem sentido as pessoas lutam,e lutam para viver uma vida sem sentido.
E muito claro quando ele fala…e vc ainda acredita que e um doutor,um padre,um policial que esta contribuindo com sua parte para esse belo quadro social,em todas a musicas do raul ele retrata as mesmas coisas,a repressao,a mesmice,a tolice vc vai ver que ele prefere fazer uma transformacao em sua vida,mudar parametros profundos,para ter uma nova busca,uma nova conciencia,ele começa ir atras,O Raul vai atras das filosofias indianas tambem,vai atras de grandes mestres,vai atras da magia,procurar solucoes pessoas que fizeram essas revolucoes no passado,quiseram sair da mesmice,buscarao uma nova trancendencia.
vc v nossa sociedade e tao idiota que quando se aposentao nao tem mais o que fazer da vida,fazer o que?ficar sentado jogando baralho no banco da praça?olhando um pra carra do outro?Nao sabem ler um livro,nao sabem estudar,buscar conhecimento,sabedoria,os carras tem tempo e nao sabem o que fazer com o tempo,foram tao androidizados a fazer so aquilo,que eles nao sabem mais viver,ser felizes e ai so dormem a base de remedios,pq sao depressivos,sao angustiados,vivem mais em casa,mal com a familia pq nao tem mais o que fazer na vida,parece que deixou de existir a vida,parece que acabou so estao esperando a morte chegar.Por isso que o raul fala…eu que nao me sento em um trono em um apartamento com a boca cheia de dentes esperando a morte chegar pq eu sei que de longe dessas cercas embandeiradas que separam os quintais,que sao as fronteiras dos paises,no meu culme e calmo do meu olho que ve a sombra sonora de um disco voador.
O disco voador sempre foi para o Raul sinal de uma coisa cosmica de uma coisa trancendente de uma mensaguem superior de algo que existe nose universo,e so vc olhar as estrelas e v um universo gigantesco ai,e se vc nao for buscar conhecimento vc fica trelado a esse mundo quadrado,esse mundo depressivo,onde a unica saida das pessoas e encher a cara na bebida,para tentar ser feliz.

e muito interpretativo as musicas do Raul espero ter ajudado!!

A musica fala sobre a ditadura militar, porque as pessoas “de bem conquistavam as coisas” como um carro ou apartamento mas não tinham direitos, tinham que se conformar com o que a ditadura lhes dava. O contexto da musica era esse, mas uma musica pode atemporal, e voce pode colocar o vilão que quiser (que seja o capitalismo) ou usar pra sua vida.

Esta musica é uma critica ao capitalismo, quem vive neste são os tolos com ouros. Depois de ter usufruído do bens materiais, o eu-lirico percebe que nada daquilo realmente importa, e que ele não vai se acomodar num quarto de apartamento esperando a morte chegar, sabe que a vida pode oferecer coisas melhores como ver o disco voador, que pode ser entendido como uma fuga da sociedade capitalista para uma sociedade alternativa, a qual ele acreditava e tentava criar.

É POR ISSO QUE O BRASIL NÃO VAI PRA FRENTE!

RAUL FOI UM CARA DIFERENTE, DO QUE NÓS AQUI NESTA TERRA CONSIDERAMOS O “NORMAL”. VOCÊ NASCE, CRESCE, TRABALHA, COMPRA UM CARRO,COMPRA UM IMÓVEL, TEM FILHOS , CRIA OS FILHOS, PASSA TODO NATAL E FIM DE ANO COM A FAMÍLIA, COME CHOCOLATE NA PASCOA, ENFIM, NÓS VIVEMOS UMA VIDA CHEIA DE TRADIÇÃO NA QUAL SE SAIRMOS DESTE CICLO SOMOS CONSIDERADOS LOUCOS E COISA E TAL, SENDO QUE NESTE MUNDO A TANTA COISA BOA E NOVA QUE SAI DA CABEÇA DE CADA, UM MAS NÃO SÃO COLOCADAS EM PRÁTICA POR CAUSA DO COMODISMO E VERGONHA. TEMOS QUE APROVEITAR O MELHOR QUE DENTRO DE CADA UM DE NÓS. E FAZER PLANOS DIFERENTES E LOUCOS PRA NOSSA VIDA.

RAUL CRITICA O COMODISMO . ELE QUIZ DIZER QUE O HOMEM TEM QUE SEMPRE TENTAR ALGO MAIS .

Ele quer ressaltar que carros são como lanchas,motos sao como jet-skis,e pedestres são como banhistas

Eu acredito que Raul destaca nessa letra a facilidade que ele teve para realizar tudo aquilo que ele queria Porque foi tão fácil conseguir
E agora eu me pergunto “e daí?”
Eu tenho uma porção
De coisas grandes prá conquistar
E eu não posso ficar aí parado…

Cada ser humano é tocado de alguma forma por determinada música.Pra mim essa busca infinita por bens materiais,destaque na sociedade tem sim muito a ver com a mensagem dessa letra.A felicidade está ligada ao interior de cada um e não em status.O amigo Anchieta parece bem frustrado, pois ataca a opinião alheia com ódio no coração. Paz a ele e que Deus o toque,pois devemos respeitar o próximo.

Vejo que Raul comenta que lutamos para conseguir riquezas, emprego de “classe”, enfim procuramos coisas pequenas sem nenhum intuito. Porém quando morrermos não levaremos nada da Terra. Mais também ele não é a favor das pessoas que espera a morte chegar. Simplesmente viva sua vida sem pensar no amanhã, conquiste suas ambições + sempre com os pés nos chãos.

Resposta a Ideota : Você vem em uma pagina aonde pessoas descutem, debatem, sobre a musica de Raul Seixas, ai você vem afirmando, que o cara era satanista que acreditava no deabo, que leu 2 livrinhos e começou a dizer merda que não tem nadas aver. Bom eu tenho uma pena do seu ser. Ouro de tolo, Eu devia estar feliz… Mais eu aposto que o “IDEOTA” Está feliz, só porque conseguiu comprar um CORCEL 73.

Sem mais.

Hum Rum Hum, concordo com o Denis, é sabido que Raul e Paulo Coei eram satanistas. Porra de intelectuais, todo mundo que lê uns dois ô tres livros e passa a escrever ideotas baseados em outros ideotas, não passam de um bado de frustrados que querem se diferenciar dos demais. Ora se o cara le doutrinas satanicas, pratica rituais e tali coisa, que bosta de intelectuais são esses!. Uma boa parte que se diz ser nem acredita em Deus, e esses acreditam no diabo!Ora a porra das cercas embadeiradas foi tambem citada por John lennon (joao das lenhas) que assim como raul e P coei era satanista. Agora vem um mané dizer: kkkk, é historia, ele nao era satanista, ele só queria que o homem resolvesse todos os problemas da humanidade, ele sabia que o homem podia. KKKKK digo eu, pois O “Bruxo” inglês Alester Crowley era fonte de inspiração desses otários, e esses bonitos ai vão ver o disco voador deles.

Nessa letra ele fala das pessoas de classe media que se contentam em conseguir bens(apartamento, carro) graças a prestação mas não correm atrás da realização pessoal.

Eu vejo assim, raul só queria mostrar para nóis, que oque adiantar termos conseguido, um carro, uma casinha, filhos, namoradas, um emprego sentado no cadeira dentro de um apartamente, ganhando 8 Mil Reais por mês, tudo aquilo que deixa as pessoas “felizes”, sendo que o que ele mais queria não pode conquistar, e oque era isso mesmo ? viver da forma da Sociedade Alternativa. Só assim seremos felizes. Fazer oque realmente nois quisermos, porque é tudo da lei. O homem tem o direito de falar, comer, beber, ir, aonde ele quiser. TOCA RAUL.

Olá, eu penso que na penultima estrofe “eu não me sento num…” ele disse que não estava conformado, que queria algo mais, mas pra ele porque ele ja venceu na vida, algo num sentido de humanidade.
Na ultima estrofe, “porque alem das cercas…” ele diz das fronteiras entre paises, e tambem fala das limitações humanas, fala do conservadorismo e materialismo que mandam no mundo, estabelecendo limites, tabus, vc pode ver isso na ciencia, na religião. E quando ele fala do disco voador ele se refere a um novo mundo em que velhos conceitos ja foram derrubados, ele fala “meu olho que vê” como se tivesse um deslumbre do futuro.

vbbvc

Os países ( cercas embadeiradas )assim como ele no início, também são motivados por conquistas materiais e entram em guerra por isso..( Petróleo , terras , rotas marítimas …)
Mas existe algo muito maior por ai…Que deve ser procurado e descoberto e que vai revolucionar a forma de se pensar e viver no mundo…Ele queria buscar isso…Nós brigamos internamente , e somos apenas um planetinha no meio do universo…Se as pessoas enxergassem dessa maneira , talvez nao existissem as cercas…O mundo teria uma só bandeira com a foto da TERRA …Imagine there no countries

Este Denis é mais um bosta que so usa 10% de sua cabeça como diz o Raul. que merda, quando todos estão filosofando aparece um cabeça de camarão.

Este Denis é mais um alienado incapaz de usar 10% de sua cabeça como mencionado em ouro de tolo este denis é um imbecil todos filosofando e ele fando merda. valeu seu denis de merda.

oi,como vi que todo mundo já falou de grande parte da música,prefiro falar da menssagem no final:
“Porque longe das cercas
Embandeiradas
Que separam quintais
No cume calmo
Do meu olho que vê
Assenta a sombra sonora
De um disco voador…”
Ele faz uma crítica ao países,que nada mais são do que um modo de separar os povos,e assim ocorrer todo tipo de disputa.”Porque longe das cercas Embandeiradas,Que separam quintais”
E depois fala:”No cume calmo,Do meu olho que vê Assenta a sombra sonora De um disco voador…”
Essa parte unida a outra,passa a menssagem clara de que não devemos nos importar com as “cercas embandeiradas que separam quintais”,mas nos unirmos e voltarmos as nossas atenções para o espaço.
É assim que eu interpreto essa parte.
Abraços.

Só o Raul mesmo para nos explicar com certeza!

Pra mim é a maior composição da música brasileira.

Começa com a negação dos interesses comuns as pessoas:

Eu devia estar contente
Porque eu tenho um emprego
Sou um dito cidadão respeitável
E ganho quatro mil cruzeiros
Por mês…

Eu devia agradecer ao Senhor
Por ter tido sucesso
Na vida como artista
Eu devia estar feliz
Porque consegui comprar
Um Corcel 73…

Eu devia estar alegre
E satisfeito
Por morar em Ipanema
Depois de ter passado
Fome por dois anos
Aqui na Cidade Maravilhosa…

Ah!
Eu devia estar sorrindo
E orgulhoso
Por ter finalmente vencido na vida

E depois esse detalhe :

Mas eu acho isso uma grande piada
E um tanto quanto perigosa…

O conceito de felicidade passou a ser ter algo. Até então é apenas uma crítica ao capitalismo.

Após essa parte fica voltado ao existencialismo, demonstrando que o homem está sempre entre o animal e o super-homem(ver filósofo nietzsche), e que é necessário almejar algo sempre para sobreviver :

Eu devia estar contente
Por ter conseguido
Tudo o que eu quis
Mas confesso abestalhado
Que eu estou decepcionado…

Porque foi tão fácil conseguir
E agora eu me pergunto “e daí?”
Eu tenho uma porção
De coisas grandes prá conquistar
E eu não posso ficar aí parado…

Eu devia estar feliz pelo Senhor
Ter me concedido o domingo
Prá ir com a família
No Jardim Zoológico
Dar pipoca aos macacos…

Ah!
Mas que sujeito chato sou eu
Que não acha nada engraçado
Macaco, praia, carro
Jornal, tobogã
Eu acho tudo isso um saco…

É você olhar no espelho
Se sentir
Um grandessíssimo idiota
Saber que é humano
Ridículo, limitado
Que só usa dez por cento
De sua cabeça animal…

Na última parte ele demonstra sua grandeza como quando diz que o mundo é tão pequeno pra ele que os países se resumem a quintais embandeirados e fala sobre sua visão privilegiada do mundo como ser esclarecido citando o cume calmo do meu olho que vê :

Eu que não me sento
No trono de um apartamento
Com a boca escancarada
Cheia de dentes
Esperando a morte chegar…

Porque longe das cercas
Embandeiradas
Que separam quintais
No cume calmo
Do meu olho que vê
Assenta a sombra sonora
De um disco voador…

Ah!
Eu que não me sento
No trono de um apartamento
Com a boca escancarada
Cheia de dentes
Esperando a morte chegar…

Porque longe das cercas
Embandeiradas
Que separam quintais
No cume calmo
Do meu olho que vê
Assenta a sombra sonora
De um disco voador…

Não viaja Orlando, essa música é um soco no cara do sistema capitalista, pois Raul simplismente diz que ele devia estar contente por ter várias coisa mas que não ísso que lhe faz feliz, ou seja, o Raul denuncia que esse modelo de vida vendido como ideal pelo sistema capitalista é uma grande furada, que a vida é muito mais que bens materiais e o escambal. Chupa que é de uva capitalistas de merda!

Como as pessoas conseguem ser täo tolas,fazendo estes tipos de analises,a musica se refere ao “milagre economico”q ocorreu no Brasil,onde o valor da moeda era muito baixo,e se refere a uma parte da ditadura,q quem mandava na populaçäo era o governo,e ele sabia q um dia cchegaria sua morte,pois quem criticava o governo era morto…atraves do AI-2

eu adoro a ditadura militar não faz mais isso

meu tem que ser gustavo lima e neymart esse raul seixasé um !@#$%@#$%

brow tem ki ser gustavo lima…kkkkkkkkk

!@#$#@!@#$%FSRDHJGFDE!@#$%

!@#$%%%$#@!!!!@#$%&%$#!@#$

eu acredito que essa musica foi muito legal e eu adorei #@#$$%#$%#%$$#%¨#$%&%#$@

fgeyfgyedvydfuyg!@#$#@%$%

Olá! Interessante esta oportunidade de analise, ainda mais se tratando do Raul. Interpreto desta forma: Raul sabia que o mundo não se resume ao que vemos. “No cume alto do olho que vê” acima de nossos olhos está o terceiro olho,que possui a percepção da verdade,que vem do alto. “disco voador”
Abraços!

Nobre senhores,

Não conhecia o site apenas hoje, excelente!

Essa música rendeu para Raul o título de “Poeta do Apocalípse” e não foi a toa.
Minha leitura sobre o trecho final da música é o seguinte:

Ah!
Eu que não me sento
No trono de um apartamento
[ou seja, ele está de longe vendo o ocorrido]

Com a boca escancarada
Cheia de dentes
Esperando a morte chegar…
[o espanto, pavor e a certeza da morte]

Porque longe das cercas
Embandeiradas
Que separam quintais
[ocorre entre países, entre fronteiras]

No cume calmo
Do meu olho que vê
[onde se reflete]

Assenta a sombra sonora
[o som e o reflexo da explosão]

De um disco voador…
[disco voador é a forma da explosão de uma bomba atômica, como um cogumelo e a parte superior o "disco voador"]

Forte abraço
Carlo

Essa música é uma crítica à sociedade em que vivemos. Fica bem claro que Raul, apesar de ter todos os bens materias e outras coisas mais, não está contente com a vida que leva. Raul quer nos mostrar que a vida é muito mais que esse modelo de sociedade que nos oferecem cheio de banalidades e hipocrisias. Enfim, é uma crítica ao sistema. A música é bem clara, só a última parte dá margem a interpretações quando ele fala:

Porque longe das cercas
Embandeiradas
Que separam quintais
No cume calmo
Do meu olho que vê
Assenta a sombra sonora
De um disco voador…

Nesta parte ele faz referência à um outro modelo de sociedade que é invisível para as pessoas, de um modo geral, mas que para ele, Raul, é perfeitamente possível!

Na verdade, jamais pensei que um dia iria parar para ouvir uma música de Raul Seixas,só que um belo dia eu estava dentro do ônibus e ouvir na rádio a música Ouro de Tolo,logo comecei interpreta-la e descobrir que Raul tem toda razão, ou seja, acredito que essa música é uma realidade que acontece a todo momento ao nosso redor,mas não damos importância, simplesmete pelo fato de sermos egoistas e não agradecer as coisas que acontecem na nossa vida.

“Porque longe das cercas
Embandeiradas
Que separam quintais
No cume calmo
Do meu olho que vê
Assenta a sombra sonora
De um disco voador… ”
Raul era um visionário, seu objetivo não era apenas ganhar dinheiro, mas mostrar ao mundo o que via e previa.
É uma pena que algumas pessoas o interprete, como um anti Cristo.

Tudo isso é uma tremenda de uma babaquice…Raul não é para ser interpretado… é para curtir…ouça a musica sem querer cantar junto que você se encontrará com elas… É isso!
O resto é resto.

O ponto mais codificado da letra, devido à repressão da ditadura, é o desfecho na última estrofe onde ele diz:
Porque longe das cercas embandeiradas que separam quintais.
Pode-se entender fronteiras brasileiras e os quintais ou curral políticos que era o Brasil da época.

No cume calmo do meu olho que vê.
Onde pode ser entendida a visão de Raul mais estável para os fatos, ou seja, livre e sem amarras de tradição social, cultural e religiosa.

Assenta a sombra sonora de um disco voador.
Assenta é escrever, passar mensagem;
sombra sonora é a música;
disco voador – Era o disco de vinil dá época, pois levavam mensagens feitas por artistas que não eram facilmente identificadas.
A graça da época era esse jogo de esconde e códigos que pelo menos dá para se entreter tentando decifrar as profundas mensagens.

Só sei que na parte:

“Porque longe das cercas
Embandeiradas
Que separam quintais
No cume calmo
Do meu olho que vê
Assenta a sombra sonora
De um disco voador…”

ele fala sobre viajar sem passa-porte, ele mesmo diz em uma das suas entrevistas, inclusive diz que os “quintais” são os país que vão além das fronteiras brasileiras e da tamanha dificuldade e falta de liberdade de sair do Brasil, conhecer outras culturas e sair da mesmice. Acho que vontade dele mesmo era sair por aí num disco voador, descrito claramente na música SOS.

Vocês fantasiam demais. ele só quis dizer que o real objetivo na vida, as coisas que realmente traz a felicidade não são materiais e sim no campo do desenvolvimento do ser humano:

Ah!
Mas que sujeito chato sou eu
Que não acha nada engraçado
Macaco, praia, carro
Jornal, tobogã
Eu acho tudo isso um saco…

É você olhar no espelho
Se sentir
Um grandessíssimo idiota
Saber que é humano
Ridículo, limitado
Que só usa dez por cento
De sua cabeça animal…

E você ainda acredita
Que é um doutor
Padre ou policial
Que está contribuindo
Com sua parte
Para o nosso belo
Quadro social…

Aí quando ele fala de disco voador ele quer passar a ideia de coisa abstrata que não se prova, seria uma coisa maior, e mesmo o carro, o apartamento em Ipanema ou 4 mil cruzeiros por mes são coisas grandes apesar de muitas pessoas vê-las como tal, tanto que ele diz:

“Eu TENHO uma porção de coisas grandes para conquistar e não posso ficar aqui parado”

Na minha opinião, essa música, com grande ironia, mostra o perigo que corremos quando tentamos conquistar bens materiais acima de tudo. Ao chegar ao objetivo, que é conquistar bens, a pessoa humana percebe um esvaziamento total. Então, nota que sua luta perdeu sentido. Afirmo isso, pois já conheci gente muito bem financeiramente, mas perdeu o sabor da vida. Raul, grande profeta, alerta-nos sobre o consumismo. Ele não repreende o consumo como mum meio, mas como um fim. Dessa forma, somos felizes ou não, à medida em que amamos as pessoas e usamos as coisas. Noutra letra, ele diz: “que é de batalhas que se vive a vida”, então, se restringirmos nossa vida apenas aos bens, corremos risco de nos tornarmos vazios… Só mais uma coisa, ele faz uma crítica muito forte aos que se acham, pois, no fundo, no fundo, somos todos limitados.

Acho que nesta musica ele revela em si a insatisfaçao que todo ser humano sente devido a sua medilcredade em relaçao ao conhecimento,do unico capaz de preencher o vazio existencial,daquele que ele se refere,ao qual usa nada mais do que dez por cento da sua capacidade mental.

as vezes a felicidade não esta em bens materiais mais sim em coisas muito simples da vida,ou talvez a depressão tenha atingido raul devido ao uso das drogas

Comentário Perfeito, Talita. Só me vale acrescentar que quando Raul usa os versos: “Porque longe das cercas – Embandeiradas – Que separam quintais”, ele se refere às fronteiras, a censura riscava a palavra ‘fronteira’, devido à “conotação política”.

Radicalismos religiosos à parte, a música reflete antes de qualquer coisa uma insatisfação com o próprio egoísmo. Há muitas conquistas pessoais, mas o que ele fez pelos outros? Essas conquistas não têm como foco o bem comum ou o bem alheio, mas apenas a satisfação do próprio ego. São vazias, portanto, e o autor reconhece isso. Pena que ele simplesmente diz que tem coisas maiores para conquistar, em vez de dizer que precisa parar de olhar o próprio umbigo.

Raul era satânico assim como Paulo Coelho.
Ele faz uma crítica ao ser humano que é a imagem de Deus (Saber que é humano Ridículo, limitado Que só usa dez por cento De sua cabeça animal…). Em tudo que dizia ele era contra os princípios de Deus.

Penso que nesta música, Raul Seixas, tenta esboçar a inércia, a impassividade, a comodidade que nos acarretam durante nossa existência. Passamos a vida inteira lutando por objetivos, e na medida em que os alcançamos, a tendência é nos acomodarmos e aguardarmos o nosso fim. Está leitura da musica é realizada de maneira informal, sem preocupar-se com o contexto históricos ou dados bibliográficos.

“Ah!
Eu que não me sento
No trono de um apartamento
Com a boca escancarada
Cheia de dentes
Esperando a morte chegar”

Abraços
Atte…

Eu vi em uma biografia dele que essa música era a que mais descrevia sua personalidade
e o Marcelo nova ainda conta que uma vez o Raul fez um show pra uma plateia super hostil e ee deu o melhor de si, tanto que a plateia ficou animada e quando ele viu que conseguiu começou a errar as letras a tropeçar no palco e etc.

Axo que a musica passa uma impressão de que ele está se sentindo uma pessoa idolatrada, reconhecia, depois de ter passado por coisas dicifeis e conseguir vencer. Mas não aceitar o reconhecimento, como um final, tanto ele mesmo fala, “Porque foi tão fácil conseguir;
E agora eu me pergunto “e daí?”
Parecendo que as pessoas não esperam mais dele, mas ele propio espera, por que na realidade, é isso que acontece, pessoas chegam a um certo patamar e se estacionam por ser um lugar comodo, e nesta musica ele passa uma certa insatisfação de estar ali. Não sei se voces pensam igual, mais quando ele fala, “Eu que não me sento no trono de um apartamento com a boca escancarada CHEIA DE DENTES esperando a morte chegar” Ele qer dizer que está novo ainda “boca cheia de dentes” e não quer fazer como muitos que chega onde está e se acomodam sem objetivos. Falo isso por que fiz esse comentario com meu namorado ele não pensou a mesma coisa do que ele quis dizer com “boca cheia de dentes” eu vi isso como juventude. Oqe vcs acham??

Ele tem fama,dinheiro,família,tem seus momentos de lazer,mas nada disso o interessa,sente-se vazio.Percebe-se sua insatisfação com a sociedade em que vive e sua indignação por não conseguir fazer nada que revolucione o sistema em que está inserido :
“É você olhar no espelho
Se sentir
Um grandessíssimo idiota
Saber que é humano
Ridículo, limitado
Que só usa dez por cento
De sua cabeça animal…”

Esta música é claramente uma crítica, como já foi falado, a ideologia nacional que imperava neste momento no país do ‘milagre economico’. Raul não estava simplesmente falando de sua vida ou trajetória. Naquele momento da história a musica brasileira não fazia poesia simplismente por fazer, um milhão de coisas estavam acontecendo no mundo e os musicos falavam sobre isso. Principalmente nos momentos em que fala ‘Eu devia estar feliz pelo Senhor
Ter me concedido o domingo Prá ir com a família No Jardim Zoológico Dar pipoca aos macacos…’ Aí se percebe a base da ideologica da ditadura: Deus, familia e segurança. Mas ele está ironizando esta situação, pois ele exerga o outro lado da realidade social daquele período. Ainda em outra parte, ‘E você ainda acredita Que é um doutor Padre ou policial Que está contribuindo Com sua parte Para o nosso belo Quadro social’ mais uma vez ele toca na questão do falso bem estar social criado pela ditadura.

Pessoal, no meu ponto de vista, ele fala basicamente que ele se decepcionou com o resultado que ele teve passando os ideais dele.

Todos nós sabemos que Raul foi e continua sendo um ícone para muitos, mas parece que ele esperava uma revolução mundial ou nacional completa, coisa que ele não conseguiu.
Ele conseguiu dinheiro, fama, carros… Mas o que ele faria com tudo isso se seu objetivo era deixar o legado para nós e ver isso tudo se concretizar?

Fala essencialmente da felicidade ideológica que se busca através de bens materiais, quando na verdade um dia você percebe que nada daquilo te fez feliz de espírito.

A música acontece no contexto que o Thiago citou e faz uma crítica severa à sociedade hipócrita, capitalista, materialista e cheia de si,a qual Raul fazia questão de ridicularizar.
Há uma grande semelhança com o estilo folk de Bob Dylan.

na minha opinião, Ouro de Tolo se refere à situação econômica da década de 70, o “milagre econômico” como conhecemos.

Ola,

Essa musica fala sobre a vida de Raul Seixas, e sua segunda passagem pelo Rio De janeiro, a qual a 1ª foi um verdadeiro fracasso, inclusive chegando a passar fome, já agora estabelecido no RIO, com sucessos emplacados e melhor economicamente, Raul reflete que aquilo que ele procurava quando chegou ao Rio pela 1ª vez e que agora conseguiu (Sucesso) não seja realmente o que ele queria/gostaria/imaginaria.

Abraços a todos.

oi tdudo bem?
gosto da sua musia

Interpreto da seguinte maneira…
Esta musica me faz pensar naquele homem, típico, que ao passar dos anos, as dificuldades financeiras foram reduzindo aos poucos, no entanto ele dedicou-se para isso como um atributo essencial para sua vida, quando de repente, se dá conta que ainda tem tantas outras coisas pra conquistar… E essa sensação de novas conquistas, na qual eu interpreto como o verdadeiro amor, o verdadeiro sentido real de família que ele deseja faz com que ele sinta como se não tivesse feito nada além do superficial. Assim como cumprir o belo quadro social, apenas vivendo de aparências, porém o seu interior sente-se vazio e impossibilitado de sorrir em um dia de sol visitando o zoológico com a família.
A sensação de que falta alguma coisa. E o desejo de fazer novas consquistas, mas desta vez, tratando-se de conquistas que faça sentir-se mais rico interiormente, caso contrário a vida não tem graça nenhuma.

Quem tiver mais idéias coloquem aqui, também quero ouvir!!

Beijos

preciso comentar esta musica ou melhor a letra da muisica tem como alguém fazer esse comentário pra mim

Qual é a sua interpretação?

-->