Não Vou Me Adaptar

17 comentários

Nando Reis

Eu não caibo mais nas roupas que eu cabia
Eu não encho mais a casa de alegria
Os anos se passaram enquanto eu dormia
E quem eu queria bem me esquecia

Será que eu falei o que ninguém ouvia?
Será que eu escutei o que ninguém dizia?
Eu não vou me adaptar, me adaptar

Eu não tenho mais a cara que eu tinha
No espelho essa cara já não é minha
É que quando eu me toquei achei tão estranho
A minha barba estava deste tamanho

Será que eu falei o que ninguém dizia?
Será que eu escutei o que ninguém ouvia?
Eu não vou me adaptar, me adaptar


17 comments on “Não Vou Me Adaptar

  1. Moysés disse:

    No meu modo de ver essa música faz uma alusão ao poema do Drummond: E agora José

  2. rafael mello disse:

    a musica parece que mostra um adolescente ou um adulto mesmo que se recorda do tempo que era criança.
    “Eu não tenho mais a cara que eu tinha
    No espelho essa cara já não é minha
    É que quando eu me toquei achei tão estranho
    A minha barba estava deste tamanho

    Eu não caibo mais nas roupas que eu cabia
    Eu não encho mais a casa de alegria
    Os anos se passaram enquanto eu dormia
    E quem eu queria bem me esquecia”

    mas minha interpretação nao explica o refrão:
    Será que eu falei o que ninguém ouvia?
    Será que eu escutei o que ninguém dizia?
    Eu não vou me adaptar, me adaptar

  3. Robson disse:

    Esta música fala de um homem que esteve em coma por muito tempo (“os anos se passaram enquanto eu dormia”) e relata de forma melancólica poucos fatos que ocorreram nesse tempo como, a perda da esposa e a surpresa ao acordar deteriorado pelo tempo numa cama de hospital.
    Ao se ver sozinho quando acordou, ele se questiona se as conversas que tinham com ele quando ainda estava em coma, como geralmente fazem nas visitas por acreditar que as pessoas ouvem, eram reais ” será que eu falei o que ninguém ouvia, será que eu escutei o que ninguém dizia”.
    Por fim, ele não sabe se vai conseguir se adaptar a nova vida e fisionomia que tem após o período de coma.

  4. Débora disse:

    Procurei uma análise dessa letra na internet e acabei encontrando essa página por acaso…essa música me intriga pois, como disse o Rafael Mello, parece-me ser lembranças da infância…
    Mas eu encaro como se fosse um adulto falando como se ainda ontem fosse um bebê, ou uma criança que está crescendo e pensando na vida adulta – que será de difícil adaptação. A parte do “será que eu falei o que ninguém ouvia?” pode ser o choro da criança como uma forma de ela tentar falar – mas ninguém ouvia pois ninguém entende o que ela fala.
    Realmente não sei se a música é sobre isso mesmo, mas para mim, cada frase se aplica a uma criança: “não encho mais a casa de alegria”; “os anos se passaram enquanto eu dormia”; “eu não tenho mais a cara que eu tinha”

  5. Denise disse:

    Acredito que essa letra fale de um homem que usou drogas e acabou se afastando por um tempo (dormindo), alucinado em seu mundinho, ouvindo até o que os outros não diziam. Durante esse tempo as pessoas que ele conhecia acabaram esquecendo quem ele era de verdade, não escutavam mais o que ele dizia e nem se alegravam com ele. E quando ele acordou e se recuperou já não se reconhecia mais no espelho, não servia mais nas roupas que cabia e sua barba havia crescido.
    Para mim essa música fala disso, porque é difícil se adaptar novamente quando você andou afastado por um tempo (por qualquer motivo).
    Amo as músicas do Nando…

  6. Sulamita disse:

    Pra mim,essa música pode ser vista como alguém que tinha uma vida e então de repente essa vida muda por algum acontecimento,causado pela própria pessoa ou coisas da vida que sobrevem a todos e qualquer um, então não dá pra se adaptar a essa nova vida, por que a anterior lhe cabia muito bem, e será difícil encarar o espelho com as lembranças da antiga vivência.

  7. Jessica disse:

    Eu também acredito que seja uma pessoa que estava em coma, devido a algumas partes da música. E, de tanto tempo que ficou em coma acabou sendo esquecido pelas pessoas.

  8. Marcia Cristina disse:

    simplemente os ritos de passagem…da infância até a vida adulta…consequentemente as mudanças de opiniõs devido as experiências e adaptações as regras da sociedade, onde precisamos nos deixar “influenciar” para sermos aceitos…mesmo não acreditando nos conceitos prontos, é uma questão de “sobrevivência” se adaptar aos padrões sociais, ou então o caminho é ser excluído pela mesma…ou sofrer as críticas eternamente… conforto social X contestação…ou seja fingir-se alienado…será que vou me adaptar??

  9. mary disse:

    pra mim essa musica fala de uma pessoa que viveu em coma por muito tempo, foi abandonado por qm gostava e n consegue se adaptar a essa nova realidade.

  10. Sullivan disse:

    A musica fala de um cara que acorda, olha no espelho e começa a ver que envelheveu, o tempo passou e ele não percebeu. Seus amigos de infância acabaram se distanciando, formando suas famílias. No fundo ele ainda se acha uma garotão mas sua cara, seu corpo, já mostram os sinais da idade.
    Fala também das diferenças entre as gerações, Eu não vou me adaptar. Como ele se vê jovem, possivelmente conviva com pessoas mais novas, culturalmente diferentes. Aí o esforço dele em adaptar-se a essa nova geração e seus valores.

  11. Anny disse:

    Pfvr gente vamos ler um pouquinho mais. Essa música não é do Nando, é do Arnaldo Antunes.

  12. Pedro Gomes disse:

    A explicação sobre o “coma” faz tanto sentido quanto o cara ter sido “abduzido”…

    A letra, na minha visão, mostra alguém que não viu o tempo passar. Possivelmente porque se ocupou por anos com seu trabalho, ou suas ideologias.

    Nesse tempo focado em uma atividade (enquanto ele “dormia”), ele negligenciou as pessoas que gostava (não enche a casa de alegria / quem queria bem me esquecia), a saúde (engordou. não cabe mais nas roupas). e a própria aparência (não se reconhece no espelho).

    A parte “Será que eu falei o que ninguém ouvia” parece um questionamento se o que ele fez no tempo que “dormia” teve alguma relevância. Assim como a parte “será que escutei o que ninguém dizia” é um questionamento se ele não fez a coisa errada.

    A parte “Não vou me adaptar” tem duas interpretações. Uma é ele se negando a aceitar o fato que o tempo passado, ele ficou velho e perdeu parte da vida. A outra é ele negando que tenha perdido parte da vida, e que o que ele fez foi em vão. Eu acredito mais na primeira.

  13. Gabriel disse:

    Esta musica fala sobre alguém que percebeu que o tempo passou e ele não percebeu. Ele havia mudado, crescido e já não era, mas o motivo de alegria da casa.
    A infância havia passado em um instante, e ele ja era adolescente, quase já era um adulto, e se pondo em reflexão, começa a se lançar questões, que claramente demonstram que ele não esta conseguindo se aceitar (se adaptar).

  14. Bruna disse:

    Para mim, essa música relata uma pessoa em depressão, os sentimentos misturados, a vontade de sair daquele estado. Quem já teve, sabe.

  15. Edson A. Filho disse:

    Pra mim relata o momento de mudança da adolescência pra vida adulta. Até então ele tinha tudo de mão beijada, porém era constantemente avisado do que teria de enfrentar na fase adulta mas não levava a sério. Falava de seus sonhos mas ninguém deu atenção aos sonhos do adolescente. (Será que eu falei o que ninguém ouvia? Será que eu escutei o que ninguém dizia?)
    Agora despertou, não é mais um adolescente e não se sente preparado para assumir responsabilidades adultas, mesmo percebendo a mudança física acha que não vai se adaptar como seus amigos ou amores já se adaptaram e vivem em um mundo onde ele acha que não vai se adaptar.

  16. Tomas disse:

    Que letra incríve,to apaixonada tl! Simplesmente amei.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *