Desembolada

0 comentários

Chico Buarque

Lindalva:
Eu sou uma grande menina
Sou uma mulher e tanto
Eu não vou cair em pranto
Por coisa tão pequenina

Beto:
Disfarça no dedilhado
Que esse verso tão maroto

Lindalva:
Olha só a cara do roto
Falando do esfarrapado

Beto:
Pra quem quer tirar um côco
Você começou errado
Éé o estrangeiro engasgado
Com a pamonha do cabloco
Éé o destro atrapalhado
Com a viola do canhoto
Olha só a cara do roto
Falando do esfarrapado

Os dois: Olha só a cara do roto
Falando do esfarrapado

Lindalva: Pode ser que noutro porto
Você seja cortejado
Mas aqui no meu reinado
Você é um peixe morto
Vai arrebanhar seu gado
Se organize meu garoto
Olha só a cara do roto
Falando do esfarrapado

Os dois: Olha só a cara do roto
Falando do esfarrapado

Beto: Você tá falando torto
Porque anda despeitado
Tá com uma inveja danada
De me ver nesse conforto
Passe bem, muito obrigado
Que eu já tenho outro broto
Olha só a cara do roto
Falando do esfarrapado

Os dois: Olha só a cara do roto
Falando do esfarrapado

Lindalva: Você está ficando moco
Presunçoso e perturbado
Eu lhe conto o meu ditado
Se quiser fique com o troco
Pras ladeiras do meu lado
Eu escolho o meu piloto
Olha só a cara do roto
Falando do esfarrapado

Os dois: Olha só a cara do roto
Falando do esfarrapado

Beto: Você fala mas seu rosto
Tá ditando outro ditado
Vê se chega pro outro lado
Se não quer ter um desgosto
Se ocê não tomar cuidado
Vai ter um filho de Bôto

Lindalva: Olha só a cara do roto
Falando do esfarrapado

Os dois: Olha só a cara do roto
Falando do esfarrapado

Beto: Já amei que nem um louco
Também sofri um bocado

Lindalva: Quem esteve apaixonado
Já provou de tudo um pouco

Os dois: Olha só a cara do roto
Falando do esfarrapado

Beto: Já mandei o meu recado
Quem quiser que mande outro

Os dois: Olha só a cara do roto
Falando do esfarrapado


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *