Biscate

1 comentários

Chico Buarque

Vivo de biscate e queres que eu te sustente
Se eu ganhar algum vendendo mate
Dou-te uns badulaques de repente
Andas de pareô, eu sigo inadimplente

Chamo você pra sambar
Levo você pra benzer
Fui pegar uma cor na praia
E só faltou me bater, é
Basta ver um rabo de saia
Pro bobo se derreter

Vives na gandaia e esperas que eu te respeite
Quem que te mandou tomar conhaque
Com o tíquete que te dei pro leite
Quieta que eu quero ouvir Flamengo e River Plate

Faço lelê de fubá
Faço pitu no dendê
Sirvo seu pitéu na cama
E nada dele comer, ai
Telefone, é voz de dama
Se penteia pra atender

Vamos ao cinema, baby
Vamos nos mandar daqui
Vamos nos casar na igreja
Chega de barraco
Chega de piti

Vamos pra Bahia, dengo
Vamos ver o sol nascer
Vamos sair na bateria
Deixe de chilique
Deixe de siricotico


One comment on “Biscate

  1. Leonardo disse:

    A estrutura da narrativa é um diálogo entre marido e mulher, em que um cantor e uma cantora se alternam cantando cada estrofe.

    O diálogo, porém, não é entre os dois personagens, e sim com o interlocutor, que escuta uma espécie de desabafo dos dois lados da relação. As duas versões contrapostas criam uma fragilidade no entendimento da verdade e quem escuta tende a tomar partido cada hora de um dos lados.

    As rimas ajudam na tarefa de caracterizar os personagens. O homem tem a maioria dos versos terminados em paroxítonas e com alguma semelhança sonora com a palavra do titulo da música, enquanto que a mulher tem versos sempre em oxítonas, na maioria verbos.

    Apesar dos defeitos de ambos, o refrão é cantado em uníssono e em harmonia, justificando a parceria do casal que, afinal, divide planos e vontades além dos estresses do cotidiano. Os cantores nesta parte conduzem o diálogo apenas entre eles, como uma espécie de discussão de relação que termina com o acordo de viverem mais tranquilo.

    Mas acabando o refrão, os personagens retomam a toada de reclamações individuais, agora cantando ao mesmo tempo suas falas de forma quase ininteligível, representando a bagunça da relação dos dois.

    Além do enredo, tem detalhes muito interessantes na música. A ambientação é muito discreta, o biscate do marido é vender mate na praia – que é muito comum no Rio de Janeiro –, a lista de comidas que a esposa prepara é toda típica, dando um ar bem brasileiro para a coisa toda enquanto mostra que a esposa é bastante dedicada ao marido. Também, existe um fator cômico ao se escutar falar de Flamengo e Riverplate, primeiro por ser um tema inesperado, segundo por ser una partida incomum no futebol, que só aconteceria em um torneio internacional importante. Ou seja, por não ser um jogo banal talvez ele tenha alguma razão em querer prestar atenção no futebol desta vez.

    Por fim – ou, ao mesmo tempo -, a sonoridade das palavras na execução é muito bem pensada para enfatizar o samba da música. No trecho “Quem que te mandou comprar conhaque Com o tíquete que te dei pro leite” a voz faz uma percussão muito swingada, sem deixar de agregar conteúdo na construção o personagem da esposa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *