A mulatinha

1

Me dizem que nesta vida

A Vênus eu sou morena

E tenho de uma açucena

Quer perfume, quer fulgor

E toda gente na lida,

De fazer se amar por mim,

Mostrando do peito o fim,

Diz jurando eterno amor…

Mulatinha sem tardança,

Rasgue este peito onde encerra

Todo amor, toda esperança,

Mulatinha, meu baraço

Me pisa, me mata

Oh! ferro!

Que eu nunca vi tanto aço!

2

E a cambada dominando

Eu passo serena e bela

Dando luz como uma estrela

Das gentes ao grande amor…

E fazer amar e amando

Eu passo quase impassível

Perante a paixão terrível

Que me diz cheia de dor:

Mulatinha, etc.

3

Como uma flor que se inflora

Eu vivo altiva e serena

Vênus altiva e morena

No meio da multidão…

E essa gente que me adora

Bem mais do que Deus os fez

Me diz curvado a meus pés

No delírio da paixão.

Mulatinha, etc.