Resultados da pesquisa por: Fruto e raiz

Poema simples – Adalgisa Nery

Deixa-me recolher as rosas que estão morrendo nos jardins da noite, Deixa-me recolher o fruto antes que este volva as raízes da terra, Deixa-me recolher a estrela úmida Antes que sua luz desapareça na madrugada, Deixa-me recolher a tristeza da alma Antes que a lágrima banhe a pálpebra Do órfão abandonado e faminto, Deixa-me recolher a ternura …

Poema simples – Adalgisa Nery Leia mais »

Ternura – Adalgisa Nery

Antes que eu me transforme em água E corra com os rios Cantando para as florestas escuras A canção sublime Deixa-me contemplar tua face amada Para que a canção se eternize. Antes que os meus olhos se transformem nos minúsculos vermes Que movimentam o solo Deixa-me receber a luz de tua boca Para que eu …

Ternura – Adalgisa Nery Leia mais »

Mulher – Adalgisa Nery

Na face, a geografia da angústia, Dos pânicos e das medrosas alegrias. Cada ruga é um presságio. E auréola da aflição constante O esplendor dos cabelos brancos. Uma só raiz para frutos diversos, Uma só vida para destinos tão complexos, Um só pranto para dores tão diversas. O útero que gera o herói, o sábio, …

Mulher – Adalgisa Nery Leia mais »

Autobiografia – Abdias do Nascimento

EITO que ressoa no meu sanguesangue do meu bisavô pinga de tua foicefoice da tua violação ainda corta o grito de minha avó LEITO de sangue negroemudecido no espanto clamor de tragédia não esquecida crime não punido nem perdoadoqueimam minhas entranhasPEITO pesado ao peso da madrugada de chumboorvalho de fel amargoorvalhando os passos de minha mãena oferta compulsória …

Autobiografia – Abdias do Nascimento Leia mais »

Autobiografia

EITO que ressoa no meu sanguesangue do meu bisavô pinga de tua foicefoice da tua violaçãoainda corta o grito de minha avó LEITO de sangue negroemudecido no espantoclamor de tragédia não esquecidacrime não punido nem perdoadoqueimam minhas entranhasPEITO pesado ao peso da madrugada de chumboorvalho de fel amargoorvalhando os passos de minha mãena oferta compulsória …

Autobiografia Leia mais »

Moleque

No tiro, estilingue, bodoque O teco, o toque, o coque No quengo, na cuca, cabeça De qualquer caraça avessa Qualquer carantonha fechada Azeda de feia zangada Que mexa, chateia, me bula Pra ver quanto alto sapo pula Pedra vai levar. Ah! Moleque, se um dia eu te pego Erva daninha, estrepe De ripa, marmelo te …

Moleque Leia mais »

Vai Vendo

Vocês tão pronto para um rolé Vocês tão pronto pronto mesmo Para rolé por qualquer banda Do Hip Hop ao Samba Versos à procura da batida perfeita Eu Sei que pau que nasce torto se endireita E eu exemplo vivo continuo na luta Graças ao Stephan, Lurdes e Luca. Eu Tô ligado na parada e …

Vai Vendo Leia mais »