Volta

Lupicínio Rodrigues

0 comentários

Quantas noites não durmo
A rolar-me na cama,
A sentir tantas coisas
Que a gente não pode explicar
Quando ama?
O calor das cobertas
Não me aquece direito…
Não há nada no mundo
Que possa afastar
Esse frio do meu peito.
Volta!
Vem viver outra vez ao meu lado!
Não consigo dormir sem teu braço,
Pois meu corpo está acostumado…




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *