Categorias
Leila Pinheiro

Luas de Subúrbio

Nos sonhos do ilhéu
Onde acaba o mar e começa o chão do céu. 
Toda tristeza é coisa vã
e não vai durar
pois morrer no mar é regressar à mãe.
Quando meu barco naufragou,
fui ao paraísomas o que eu preciso lá não tinha não
e então eu peguei do remoe pedi ao demo uma explicação.Ele me fez jurar um segredo eterno:me contou que o inferno é a recordação. 
De um vulcão feito de Vesúvio, 
luas de subúrbios explodiram com gladíolos no portão. 
Num vão de escada um pobre velho 
com um realejo 
me soprou um beijo na palma da mão 
mas quando olhei pro demônio 
seu jeito tristonho me fez compreender. 
Eu li nos olhos dele:esse é você…