Somos iguais (Evaldo Gouveia e Jair Amorim)

0 comentários

Altemar Dutra

Acabei de saber
Que você riu de mim
E depois perguntou
Se eu vivi, se eu morri
Já que tudo acabou

Eu sei lá se você
Quis de fato saber
Pelo sim, pelo não
Abro o meu coração
É melhor lhe dizer

Eu sou o mesmo que você deixou
Eu vivo aqui onde você viveu
Existe em mim o mesmo amor
Aquele amor que nunca mais foi meu

Por que viver a me humilhar assim?
Por que matar esta ilusão em mim?
Você e eu somos iguais
Não mudamos jamais


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.