Corrente

6 comentários

Chico Buarque

Eu hoje fiz um samba bem pra frente
Dizendo realmente o que é que eu acho

Eu acho que o meu samba é uma corrente
E coerentemente assino embaixo

Hoje é preciso refletir um pouco
E ver que o samba está tomando jeito

Só mesmo embriagado ou muito louco
Pra contestar e pra botar defeito

Precisa ser muito sincero e claro
Pra confessar que andei sambando errado

Talvez precise até tomar na cara
Pra ver que o samba está bem melhorado

Tem mas é que ser bem cara de tacho
Não ver a multidão sambar contente

Isso me deixa triste e cabisbaixo
Por isso eu fiz um samba bem pra frente

Dizendo realmente o que é que eu acho
Eu acho que o meu samba é uma corrente

E coerentemente assino embaixo
Hoje é preciso refletir um pouco

E ver que o samba está tomando jeito
Só mesmo embriagado ou muito louco

Pra contestar e pra botar defeito
Precisa ser muito sincero e claro

Pra confessar que andei sambando errado
Talvez precise até tomar na cara

Pra ver que o samba está bem melhorado
Tem mais é que ser bem cara de tacho

Não ver a multidão sambar contente
Isso me deixa triste e cabisbaixo

Por isso eu fiz um samba bem pra frente
Dizendo realmente o que é que eu acho


6 comments on “Corrente

  1. viviane guimarães disse:

    os mesmos versos comparecem em dois momentos da musica , mas agrupados de forma diferente para deixar implícito o sentido de protesto, de indignação pela situação do país frente à ditadura militar.

  2. Malu disse:

    A letra tem de ser lida de baixo para cima.
    Foi uma crítica à situação do país durante a ditadura militar invertendo o que diziam os ditadores, mas de forma a passar pela censura.

  3. ANTÔNIO GUEDES FILHO disse:

    EU GOSTARIA DE SABER COMO É O NOME DESSA FORMA QUE CHICO USOU, TEM UM NOME, MAS EU NÃO LEMBRO.

  4. Luiz Antonio Mendes Botelho disse:

    De todos os profissionais que estudaram e analisaram as músicas de Chico Buarque, nenhum, pelo menos que eu tenha conhecimento, fez qualquer menção à canção “Corrente”. Como considero esta uma das mais criativas composições de Chico, atrevo-me a tecer alguns comentários sem a pretensão, evidentemente, de considerá-los uma análise propriamente dita.

    “Corrente” foi gravada no elepê “Meus Caros Amigos”, em 1976, junto com obras-primas como “O Que Será”, “Mulheres de Atenas”, “Olhos nos Olhos”, “Vai Trabalhar vagabundo”, “Passaredo” e “Meu Caro Amigo”. Talvez por essa razão tenha passado despercebida do público – não lembro de tê-la ouvido tocar nas estações de rádio uma vez sequer.

    A letra é composta por 16 versos, dispostos aos pares, onde Chico faz uma autocrítica do seu samba começando a cantá-la dessa forma:

    “Eu hoje fiz um samba bem pra frente
    Dizendo realmente o que é que eu acho

    Eu acho que o meu samba é uma corrente
    E coerentemente assino embaixo

    Hoje é preciso refletir um pouco
    E ver que o samba está tomando jeito

    Só mesmo embriagado ou muito louco
    Pra contestar e pra botar defeito

    Precisa ser muito sincero e claro
    Pra confessar que andei sambando errado

    Talvez precise até tomar na cara
    Pra ver que o samba está bem melhorado

    Tem mais é que ser bem cara de tacho
    Não ver a multidão sambar contente

    Isso me deixa triste e cabisbaixo
    Por isso eu fiz um samba bem pra frente”

    Percebe-se que Chico faz um elogio ao seu samba, que considera bem pra frente, e para contestar e botar defeito só mesmo embriagado ou muito louco ou ter a cara de tacho de não ver a multidão sambar contente, embora seja sincero e claro confessando que andou sambando errado.

    No entanto, ao repetir a música, Chico troca os pares, juntando o segundo verso do primeiro par com o primeiro verso do segundo, o segundo verso do segundo par com o primeiro verso do terceiro, e assim por diante. Veja o que acontece:

    “Dizendo realmente o que é que eu acho
    Eu acho que o meu samba é uma corrente

    E coerentemente assino embaixo
    Hoje é preciso refletir um pouco

    E ver que o samba está tomando jeito
    Só mesmo embriagado ou muito louco

    Pra contestar e pra botar defeito
    Precisa ser muito sincero e claro

    Pra confessar que andei sambando errado
    Talvez precise até tomar na cara

    Pra ver que o samba está bem melhorado
    Tem mais é que ser bem cara de tacho

    Não ver a multidão sambar contente
    Isso me deixa triste e cabisbaixo

    Por isso eu fiz um samba bem pra frente
    Dizendo realmente o que é que eu acho”

    Apesar dos versos serem os mesmos, o sentido muda completamente e o que antes era elogio passa agora a representar uma crítica ao seu samba que, embora Chico considere-o bem pra frente, só mesmo embriagado ou muito louco pra ver que ele está tomando jeito ou ser bem cara de tacho pra ver que o samba está bem melhorado. Talvez precise até tomar na cara pra confessar que andou sambando errado e se for muito sincero e claro irá contestar e botar defeito.

    Para finalizar, Chico canta a música de baixo para cima: “Isso me deixa triste e cabisbaixo / Não ver a multidão sambar contente / Tem mais é que ser bem cara de tacho / Pra ver que o samba está bem melhorado…”. Realmente uma corrente simplesmente genial.

    Luiz Botelho

    • Bob Mesquita disse:

      Luiz Botelho, parabéns pela impecável análise. Achei bem escrita e elucidativa.
      Acabei de escutar essa música na rádio pela primeira vez na vida, e vim pesquisar deralhes sobre a letra.
      Como músico e amante da obra do Chico, gostaria de contribuir com um detalhe de caráter hermenêutico/técnico: no primeiro verso “Hoje eu diz um samba bem pra frente”, o Chico ja denúncia o cerne sarcástico da canção, pois esse samba não é bem pra frente, ritmicamente falando, pelo contrário, é um samba lento. Entenda-se a expressão “pra frente” como uma linguagem utilizada entre músicos pra expressar um andamento rápido. Mais claramente, entenda-se um samba “bem pra frente” um samba enredo de escola de samba, que tem andamento bem acima de 120bpm, o que não é o caso da composição do Chico. Finalmente, se se ouvir o final da gravação, o ralentando final da música é nesse mesmo verso, comprovando, por definitivo, essa intenção do Mestre.
      Feliz por conhecer mais essa obra prima do Mestre Chico.

  5. Acauam disse:

    Wisnik analisou essa canção em um texto de 1979, quase no calor da hora: o minuto e o milênio.
    Abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *