A Banda

Estava ? toa na vida O meu amor me chamou Pra ver a banda passar Cantando coisas de amor A minha gente sofrida Despediu-se da dor Pra ver a banda passar Cantando coisas de amor O homem s?rio que contava dinheiro parou O faroleiro que contava vantagem parou A namorada que contava as estrelas parou… Read More A Banda

A Bela e a Fera

Ouve a declara??o, oh bela De um sonhador tit? Um que d? n? em paralela E almo?a rolim? O homem mais forte do planeta T?rax de Superman T?rax de Superman E cora??o de poeta N?o brilharia a estrela, oh bela Sem noite por detr?s Tua beleza de gazela Sob o meu corpo ? mais Uma… Read More A Bela e a Fera

A Cidade dos Artistas

Na cidade Ser artista É posar sorridente É ver se de repente Sai numa revista É esperar que o orelhão Complete a ligação Confirmando a excursão Que te leva ao Japão Com o teu pianista E antes que O sol desponte Contemplando O horizonte Conceder entrevistas Aos outros artistas Debaixo da ponte Na cidade Ser… Read More A Cidade dos Artistas

A Cidade Ideal

[introdução] Jumento: Àquela altura da estrada já éramos quatro amigos. Queríamos fazer um conjunto, bem. Queríamos ir juntos à cidade, muito bem. Só que, à medida que agente ía caminhando, quando começamos a falar dessa cidade, fui percebendo que os meus amigos tinham umas idéias bem esquisitas sobre o que é uma cidade. Umas idéias… Read More A Cidade Ideal

A Foto da Capa

O retrato do artista quando moço Não é promissora, cândida pintura É a figura do larápio rastaqüera Numa foto que não era para capa Uma pose para câmera tão dura Cujo foco toda lírica solapa Era rala a luz naquele calabouço Do talento a clarabóia se tampara E o poeta que ele sempre se soubera… Read More A Foto da Capa

A Galinha

[introdução] Jumento: Acabou? Calma companheiro, eu não sou teu patrão. Cachorro: Como senhor? Vossa excelência não quer ser meu patrão? Jumento: hê, deixa disso, eu sou um pobre coitado igual a você sou um pau-de-arara. Cachorro: Sim, senhor pau-de-arara, Às ordens. Em que posso servi-lo? Aonde quer que o leve? Jumento: Não me leva a… Read More A Galinha

A Mais Bonita

Não, solidão, hoje não quero me retocar Nesse salão de tristeza onde as outras penteiam mágoas Deixo que as águas invadam meu rosto Gosto de me ver chorar Finjo que estão me vendo Eu preciso me mostrar Bonita Pra que os olhos do meu bem Não olhem mais ninguém Quando eu me revelar Da forma… Read More A Mais Bonita

A Mão da Limpeza

O branco inventou que o negro Quando não suja na entrada Vai sujar na saída, ê Imagina só Vai sujar na saída, ê Imagina só Que mentira danada, ê Na verdade a mão escrava Passava a vida limpando O que o branco sujava, ê Imagina só O que o branco sujava, ê Imagina só O… Read More A Mão da Limpeza

A Moca Do Sonho

Súbito me encantou A moça em contraluz Arrisquei perguntar: quem és? Mas fraquejou a voz Sem jeito eu lhe pegava as mãos Como quem desatasse um nó Soprei seu rosto sem pensar E o rosto se desfez em pó Por encanto voltou Cantando a meia voz Súbito perguntei: quem és? Mas oscilou a luz Fugia… Read More A Moca Do Sonho

A Noiva da Cidade

Tutu-Marambá não venha mais cá Que a mãe da criança te manda matar” Tutu-Marambá não venha mais cá Que a mãe da criança te manda matar” Ai, como essa moça é descuidada Com a janela escancarada Quer dormir impunemente Ou será que a moça lá no alto Não escuta o sobressalto Do coração da gente… Read More A Noiva da Cidade

A Ostra e o Vento

Vai a onda Vem a nuvem Cai a folha Quem sopra meu nome? Raia o dia Tem sereno O pai ralha Meu bem trouxe um perfume? O meu amigo secreto Põe meu coração a balançar Pai, o tempo está virando Pai, me deixa respirar o vento Vento Nem um barco Nem um peixe Cai a… Read More A Ostra e o Vento

A Permuta dos Santos

[…]Outro recurso muito eficaz, o mais eficaz de todos eles, consiste em “contrariar” os santos. […] levava-se para ali o S. Sebastião da igreja local, trazendo-se, em troca, […] a imagem do Senhor do Bonfim, tudo processionalmente, com rezas e cânticos. Enquanto não chovia os santos não voltavam para seus lugares. (Dicionário do Folclore Brasileiro,… Read More A Permuta dos Santos

A Pousada do Bom Barão

TODOS Vamos tratar uma hospedagem Pra descansar e seguir viagem GATA Olha que linda aquela pensão Se chama “Pousada do bom barão” JUMENTO Para mim, esse nome, não sei não GALINHA Já tou por aqui de tanto barão GATA Mas vamos, mas vamos, não custa tentar É só pruma noite e depois se mandar CACHORRO… Read More A Pousada do Bom Barão

A Rita

A Rita levou meu sorriso No sorriso dela Meu assunto Levou junto com ela O que me é de direito E Arrancou-me do peito E tem mais Levou seu retrato, seu trapo, seu prato Que papel! Uma imagem de são Francisco E um bom disco de Noel A Rita matou nosso amor De vingança Nem… Read More A Rita

A Rosa

Arrasa! O meu projeto de vida Querida! Estrêla do meu caminho Espinho! Cravado em minha garganta Garganta! A santa! Às vezes troca meu nome E some! E some! Nas altas da madrugada… Coitada! Trabalha de plantonista Artista! É doida pela portela Ói ela! Ói ela! Vestida de verde e rosa A Rosa! A Rosa! Garante… Read More A Rosa

A Televisão

O homem da rua Fica só por teimosia Não encontra companhia Mas prá casa não vai não Em casa a roda já mudou Que a moda muda A roda é triste A roda é muda Em volta lá da televisão… No céu a lua Surge grande e muito prosa Dá uma volta graciosa Pra chamar… Read More A Televisão

A Violeira

Desde menina Caprichosa e nordestina Que eu sabia, a minha sina Era no Rio vir morar Em Araripe Topei como chofer dum jipe Que descia pra Sergipe Pro Serviço Militar Esse maluco Me largou em Pernambuco Quando um cara de trabuco Me pediu pra namorar Mais adiante Num estado interessante Um caixeiro viajante Me levou… Read More A Violeira

A Volta do Malandro

Eis o malandro na praça outra vez Caminhando na ponta dos pés Como quem pisa nos corações Que rolaram nos cabarés Entre deusas e bofetões Entre dados e coronéis Entre parangolés e patrões O malandro anda assim de viés Deixa balançar a maré E a poeira assentar no chão Deixa a praça virar um salão… Read More A Volta do Malandro

A Volta do Malandro

Eis o malandro na praça outra vez Caminhando na ponta dos pés Como quem pisa nos corações Que rolaram nos cabarés Entre deusas e bofetões Entre dados e coronéis Entre parangolés e patrões O malandro anda assim de viés Deixa balançar a maré E a poeira assentar no chão Deixa a praça virar um salão… Read More A Volta do Malandro

Abandono

O que será ser só Quando outro dia amanhecer Será recomeçar Será ser livre sem querer O que será ser moça E ter vergonha de viver Ter corpo pra dançar E não ter onde me esconder Tentar cobrir meus olhos Pra minh’alma ninguém ver Eu toda a minha vida Soube só lhe pertencer O que… Read More Abandono

Acorda Amor

Acorda amor Eu tive um pesadelo agora Sonhei que tinha gente lá fora Batendo no portão, que aflição Era a dura, numa muito escura viatura Minha nossa santa criatura Chame, chame, chame lá Chame, chame o ladrão, chame o ladrão Acorda amor Não é mais pesadelo nada Tem gente já no vão de escada Fazendo… Read More Acorda Amor

Agora Falando Sério

Agora falando sério Eu queria não cantar A cantiga bonita Que se acredita Que o mal espanta Dou um chute no lirismo Um pega no cachorro E um tiro no sabiá Dou um fora no violino Faço a mala e corro Pra não ver a banda passar Agora falando sério Eu queria não mentir Não… Read More Agora Falando Sério

Almanaque

Ó menina vai ver nesse almanaque como é que isso tudo começou Diz quem é que marcava o tic-tac e a ampulheta do tempo disparou Se mamava se sabe lá em que teta o primeiro bezerro que berrou Me diz, me diz, me responde por favor Pra onde vai o meu amor Quando o amor… Read More Almanaque

Alô, Liberdade

Alô, liberdade Desculpa eu vir Assim sem avisar Mas já era tarde E os galos tão Cansados de cantar Bom dia, alegria A minha companhia Vai cantar Sutil melodia Pra te acordar Quem vai querer tocar trombeta Pem pererém pererém Pempem Quem vai querer tocar matraca Tracatracatraca Tracatraca Quem vai de flauta e clarineta Fi… Read More Alô, Liberdade

Alumbramento

Deve ser bem morna Deve ser maternal Sentar no colchão E sorrir, e zangar Tapear tua mão Isso sim, isso não Deve ser bem louca Deve ser animal Hálito de gim Vai fingir, vai gemer E dizer: Ai de mim! E de repente deve ter Um engenho, um poder Que é pro menino fraquejar Alucinar,… Read More Alumbramento

Amando Sobre os Jornais

Amando noites afora Fazendo a cama sobre os jornais Um pouco jogados fora Um pouco sábios demais Esparramados no mundo Molhamos o mundo com delícias As nossas peles retintas De notícias Amando noites a fio Tramando coisas sobre os jornais Fazendo entornar um rio E arder os canaviais Das páginas flageladas Sorrimos, mãos dadas e,… Read More Amando Sobre os Jornais

Amanhã, Ninguém Sabe

Hoje, eu quero Fazer o meu carnaval Se o tempo passou, espero Que ninguém me leve a mal Mas se o samba quer que eu prossiga Eu não contrario não Com o samba eu não compro briga Do samba eu não abro mão Amanhã, ninguém sabe Traga-me um violão Antes que o amor acabe Traga-me… Read More Amanhã, Ninguém Sabe

Amor Barato

Eu queria ser Um tipo de compositor Capaz de cantar nosso amor Modesto Um tipo de amor Que é de mendigar cafuné Que é pobre e às vezes nem é Honesto Pechincha de amor Mas que eu faço tanta questão Que se tiver precisão Eu furto Vem cá, meu amor Aguenta o teu cantador Me… Read More Amor Barato

Ana de Amsterdam

Sou Ana do dique e das docas Da compra, da venda, das trocas de pernas Dos braços, das bocas, do lixo, dos bichos, das fichas Sou Ana das loucas Até amanhã Sou Ana Da cama, da cana, fulana, sacana Sou Ana de Amsterdam Eu cruzei um oceano Na esperança de casar Fiz mil bocas pra… Read More Ana de Amsterdam

Angélica

Quem é essa mulher Que canta sempre esse estribilho? Só queria embalar meu filho Que mora na escuridão do mar Quem é essa mulher Que canta sempre esse lamento? Só queria lembrar o tormento Que fez o meu filho suspirar Quem é essa mulher Que canta sempre o mesmo arranjo? Só queria agasalhar meu anjo… Read More Angélica

Ano Novo

O rei chegou E já mandou tocar os sinos Na cidade inteira É pra cantar os hinos Hastear bandeiras E eu que sou menino Muito obediente Estava indiferente Logo me comovo Pra ficar contente Porque é Ano Novo Há muito tempo Que essa minha gente Vai vivendo a muque É o mesmo batente É o… Read More Ano Novo

Anos Dourados

Parece que dizes Te amo, Maria Na fotografia Estamos felizes Te ligo afobada E deixo confissões No gravador Vai ser engraçado Se tens um novo amor Me vejo a teu lado Te amo? Não lembro Parece dezembro De um ano dourado Parece bolero Te quero, te quero Dizer que não quero Teus beijos nunca mais… Read More Anos Dourados

Apesar de voce

(Crescendo) Amanhã vai ser outro día x 3 Hoje você é quem manda Falou, tá falado Não tem discussão, não. A minha gente hoje anda Falando de lado e olhando pro chão. Viu? Você que inventou esse Estado Inventou de inventar Toda escuridão Você que inventou o pecado Esqueceu-se de inventar o perdão. (Coro) Apesar… Read More Apesar de voce

Aquela Mulher

Se você quer mesmo saber Por que que ela ficou comigo Eu digo que não sei Se ela ainda tem seu endereço Ou se lembra de você Confesso que não perguntei As nossas noites são Feito oração na catedral Não cuidamos do mundo Um segundo sequer Que noites de alucinação Passo dentro daquela mulher Com… Read More Aquela Mulher

As Atrizes

Naturalmente ela sorria Mas não me dava trela Trocava a roupa Na minha frente E ia bailar sem mais aquela Escolhia qualquer um Lançava olhares Debaixo do meu nariz Dançava colada Em novos pares Com um pé atrás Com um pé a fim Surgiram outras Naturalmente Sem nem olhar a minha cara Tomavam banho Na… Read More As Atrizes

As Cartas

Ilusão Ilusão Veja as coisas como elas são A carroça A dama O louco O trunfo A mão O enforcado A dançarina Numa cortina O encarnado A dançarina, o encantado O encarnado numa cortina O enforcado Ilusão Ilusão Veja as coisas como elas são O curinga A noiva O noivo O sim O não O… Read More As Cartas

As Minhas Meninas

Olha as minhas meninas As minhas meninas Pra onde é que elas vão Se já saem sozinhas As notas da minha canção Vão as minhas meninas Levando destinos Tão iluminados de sim Passam por mim E embaraçam as linhas Da minha mão As meninas são minhas Só minhas na minha ilusão Na canção cristalina Da… Read More As Minhas Meninas

As Vitrines

Eu te vejo sair por aí Te avisei que a cidade era um vão – Dá tua mão – Olha pra mim – Não faz assim – Não vai lá não Os letreiros a te colorir Embaraçam a minha visão Eu te vi suspirar de aflição E sair da sessão, frouxa de rir Já te… Read More As Vitrines

Assentamento

Quando eu morrer, que me enterrem na beira do chapadão — contente com minha terra cansado de tanta guerra crescido de coração Tôo (apud Guimarães Rosa) Zanza daqui Zanza pra acolá Fim de feira, periferia afora A cidade não mora mais em mim Francisco, Serafim Vamos embora Ver o capim Ver o baobá Vamos ver… Read More Assentamento

Ate o Fim

Quando nasci veio um anjo safado O chato do querubim E decretou que eu estava predestinado A ser errado assim Já de saída a minha estrada entortou Mas vou até o fim "inda" garoto deixei de ir à escola Cassaram meu boletim Não sou ladrão , eu não sou bom de bola Nem posso ouvir… Read More Ate o Fim

Até Pensei

Junto à minha rua havia um bosque Que um muro alto proibia Lá todo balão caia, toda maçã nascia E o dono do bosque nem via Do lado de lá tanta aventura E eu a espreitar na noite escura A dedilhar essa modinha A felicidade morava tão vizinha Que, de tolo, até pensei que fosse… Read More Até Pensei

Até Segunda-Feira

Sei que a noite inteira eu vou cantar Até segunda feira Quando volto a trabalhar, morena Sei que não preciso me inquietar Até segundo aviso Você prometeu me amar Por isso eu conto a quem encontro pela rua Que meu samba é seu amigo Que a minha casa é sua Que meu peito é seu… Read More Até Segunda-Feira

Atrás da Porta

Quando olhaste bem nos olhos meus E o teu olhar era de adeus Juro que não acreditei, eu te estranhei Me debrucei sobre teu corpo e duvidei E me arrastei e te arranhei E me agarrei nos teus cabelos Nos teu peito, teu pijama Nos teus pés ao pé da cama Sem carinho, sem coberta… Read More Atrás da Porta

Baioque

Quando eu canto, que se cuide quem não for meu irmão O meu canto, punhalada, não conhece o perdão Quando eu rio Quando eu rio, rio seco como é seco o sertão Meu sorriso é uma fenda escavada no chão Quando eu choro Quando eu choro é uma enchente surpreendendo o verão É o inverno,… Read More Baioque

Bancarrota Blues

Uma fazenda Com casarão Imensa varanda Dá gerimum Dá muito mamão Pé de jacarandá Eu posso vender Quanto você dá? Algum mosquito Chapéu de sol Bastante água fresca Tem surubim Tem isca pra anzol Mas nem tem que pescar Eu posso vender Quanto quer pagar? O que eu tenho Eu devo a Deus Meu chão,… Read More Bancarrota Blues

Bandolim

Chamo por ela E ela nem se mostra na janela Pelo ar de sua graça Canto assim na praça Meu bem sai no terraço que eu te quero ver Meu bem me dá um abraço que eu te quero bem Meu bem o que é que eu faço se eu te quero assim Quem te… Read More Bandolim

Bárbara

Bárbara, Bárbara Nunca é tarde, nunca é demais Onde estou, onde estás Meu amor, vem me buscar O meu destino é caminhar assim Desesperada e nua Sabendo que no fim da noite serei tua Deixa eu te proteger do mal, dos medos e da chuva Acumulando de prazeres teu leito de viúva Bárbara, Bárbara Nunca… Read More Bárbara

Basta Um Dia

Pra mim Basta um dia Não mais que um dia Um meio dia Me dá Só um dia E eu faço desatar A minha fantasia Só um Belo dia Pois se jura, se esconjura Se ama e se tortura Se tritura, se atura e se cura A dor Na orgia Da luz do dia É… Read More Basta Um Dia

Bastidores

Chorei, chorei Até ficar com dó de mim E me tranquei no camarim Tomei o calmante, o excitante E um bocado de gim Amaldiçoei O dia em que te conheci Com muitos brilhos me vesti Depois me pintei, me pintei Me pintei, me pintei Cantei, cantei Como é cruel cantar assim E num instante de… Read More Bastidores

Baticum

Bia falou: ah, claro que eu vou Clara ficou até o sol raiar Dadá também saracoteou Didi tomou o que era pra tomar Ainda bem que Isa me arrumou Um barco bom pra gente chegar lá Lelê também foi e apreciou O baticum lá na beira do mar Aquela noite tinha do bom e do… Read More Baticum

Beatriz

Olha Será que ela é moça Será que ela é triste Será que é o contrário Será que é pintura O rosto da atriz Se ela dança no sétimo céu Se ela acredita que é outro país E se ela só decora o seu papel E se eu pudesse entrar na sua vida Olha Será… Read More Beatriz

Bem-Querer

Quando o meu bem-querer me vir Estou certa que há de vir atrás Há de me seguir por todos Todos, todos, todos o umbrais E quando o seu bem-querer mentir Que não vai haver adeus jamais Há de responder com juras Juras, juras, juras imorais E quando o meu bem-querer sentir Que o amor é… Read More Bem-Querer

Benvinda

Dono do abandono e da tristeza Comunico oficialmente que há um lugar na minha mesa Pode ser que você venha por mero favor, ou venha coberta de amor Seja lá como for, venha sorrindo Ah, benvinda, benvinda, benvinda Que o luar está chamando, que os jardins estão florindo Que eu estou sozinho Cheio de anseio… Read More Benvinda

Bicharia

Au, au, au. Inha in nhó. Miau, maiu, miau. Cocorocó. O animal é tão bacana Mas também não é nenhum banana. Au, au, au. Inha in nhó. Miau, maiu, miau. Cocorocó. Quando a porca torce o rabo Pode ser o quiabo E ora vejam só. Au, au, au. Cocorocó Era uma vez (e é ainda)… Read More Bicharia

Biscate

Vivo de biscate e queres que eu te sustente Se eu ganhar algum vendendo mate Dou-te uns badulaques de repente Andas de pareô, eu sigo inadimplente Chamo você pra sambar Levo você pra benzer Fui pegar uma cor na praia E só faltou me bater, é Basta ver um rabo de saia Pro bobo se… Read More Biscate

Bolero Blues

Quando eu ainda estava moço Algum pressentimento Me trazia volta e meia Por aqui Talvez à espera da garota Que naquele tempo Andava longe,muito longe De existir Tantos tristes fados eu compus Quanto choro em vão,bolero blues Eis que do nada ela aparece Com o vestido ao vento Já tão desejada Que não cabe em… Read More Bolero Blues

Bolsa de Amores

Comprei na bolsa de amores As açoes melhores Que encontri por lá Ações de uma morena dessas Que dão lucro à beça Pra quem sabe E pode jogar Mas o mercado entrou em baixa Estou sem nada em caixa Já perdi meu lote Minha morena me esquecendo Não deu dividendo Nem deixou filhote E eu… Read More Bolsa de Amores

Bom Conselho

Ouça um bom conselho Que eu lhe dou de graça Inútil dormir que a dor não passa Espere sentado Ou você se cansa Está provado, quem espera nunca alcança Venha, meu amigo Deixe esse regaço Brinque com meu fogo Venha se queimar Faça como eu digo Faça como eu faço Aja duas vezes antes de… Read More Bom Conselho

Bom Tempo

Um marinheiro me contou Que a boa brisa lhe soprou Que vem aí bom tempo O pescador me confirmou Que o passarinho lhe cantou Que vem aí bom tempo Do duro toda semana Senão pergunte à Joana Que não me deixa mentir Mas, finalmente é domingo Naturalmente, me vingo Eu vou me espalhar por aí… Read More Bom Tempo

Brejo da Cruz

A novidade Que tem no Brejo da Cruz É a criançada Se alimentar de luz Alucinados Meninos ficando azuis E desencarnando Lá no Brejo da Cruz Eletrizados Cruzam os céus do Brasil Na rodoviária Assumem formas mil Uns vendem fumo Tem uns que viram Jesus Muito sanfoneiro Cego tocando blues Uns têm saudade E dançam… Read More Brejo da Cruz

Bye, Bye, Brasil

Oi, coração Não dá pra falar muito não Espera passar o avião Assim que o inverno passar Eu acho que vou te buscar Aqui tá fazendo calor Deu pane no ventilador Já tem fliperama em Macau Tomei a costeira em Belém do Pará Puseram uma usina no mar Talvez fique ruim pra pescar Meu amor… Read More Bye, Bye, Brasil

Caçada

Não conheço seu nome ou paradeiro Adivinho seu rastro e cheiro Vou armado de dentes e coragem Vou morder sua carne selvagem Varo a noite sem cochilar, aflito Amanheço imitando o seu grito Me aproximo rondando a sua toca E ao me ver você me provoca Você canta a sua agonia louca Água me borbulha… Read More Caçada

Cala a Boca, Bárbara

Ele sabe dos caminhos dessa minha terra No meu corpo se escondeu, minhas matas percorreu Os meus rios, os meus braços Ele é o meu guerreiro nos colchões de terra Nas bandeiras, bons lençóis Nas trincheiras, quantos ais, ai Cala a boca – olha o fogo! Cala a boca – olha a relva! Cala a… Read More Cala a Boca, Bárbara

Calice

(refrão) Pai, afasta de mim esse cálice Pai, afasta de mim esse cálice Pai, afasta de mim esse cálice De vinho tinto de sangue Como beber dessa bebida amarga Tragar a dor, engolir a labuta Mesmo calada a boca, resta o peito Silêncio na cidade não se escuta De que me vale ser filho da… Read More Calice

Cambaio

Eu quero moça que me deixe perdido Procuro moça que me deixe pasmado Essa moça zoando na minha idéia Eu quero moça que me deixe zarolho Procuro moça que me deixe cambaio Me fervendo na veia Desejo a moça prestes A transformar-se em flor A se tornar um luxo Pro seu novo amor Moça que… Read More Cambaio

Canção de Natal

Tao bom Tao bom Tao bom Tao bom Tao bom que foi o Natal Ah quem me dera fosse o ano inteiro igual Tao bom Tao bom Tao bom Tao bom Tao bom que foi o Natal Ah quem me dera fosse o ano inteiro igual Olha a cidade que linda Até parece deserta A… Read More Canção de Natal

Canção de Pedroca

Quando nos apaixonamos Poça d’água é chafariz Ao olhar o céu de Ramos Vê-se as luzes de Paris No verão é uma delícia A brisa fresca de Bangu Mesmo um cabo de polícia Só nos diz merci beaucoup Eu ouço um samba de breque Com Maurice Chevalier Bebo com Toulouse Lautrec No bar do Caxinguelê… Read More Canção de Pedroca

Canção dos Olhos

Meu Deus, o que será que tem Nesses olhos teus O que será que tem Pra me seduzir Pra me escravizar Não sei E não saberei também Como resistir A seu modo amar Eu só estou sabendo Que para te amar Eu viverei sofrendo Mas já não resiste O coração Quero viver triste E então… Read More Canção dos Olhos

Cantando no Toró

Sambando na lama de sapato branco, glorioso Um grande artista tem que dar o tom Quase rodando, caindo de boca A voz é rouca mas o mote é bom Sambando na lama e causando frisson Mas olha só Um samba de cócoras em terra de sapo Sapateando no toró Cantando e sambando na lama de… Read More Cantando no Toró

Cantiga de Acordar

Foi uma ilusão Uma insensatez Há que pôr o chão Nos pés Era como um trem Que anda sem passar Era um tempo sem Lugar Mas Foi um sonho bom De sonhar porque Me sonhava com Você E então seu canto veio me acordar Era uma ilusão No interior De uma outra ilusão Maior Mas… Read More Cantiga de Acordar

Cara a Cara

Tenho um peito de lata E um nó de gravata No coração Tenho uma vida sensata Sem emoção Tenho uma pressa danada Não paro pra nada Não presto atenção Nos versos desta canção Inútil Tira a pedra do caminho Serve mais um vinho Bota vento no moinho Bota pra correr Bota força nessa coisa Que… Read More Cara a Cara

Carioca

Gostosa Quentinha Tapioca O pregão abre o dia Hoje tem baile funk Tem samba no Flamengo O reverendo No palanque lendo O Apocalipse O homem da Gávea criou asas Vadia Gaivota Sobrevoa a tardinha E a neblina da ganja O povaréu sonâmbulo Ambulando Que nem muamba Nas ondas do mar Cidade maravilhosa És minha O… Read More Carioca

Carolina

Carolina, nos seus olhos fundos guarda tanta dor, a dor de todo esse mundo Eu já lhe expliquei, que não vai dar, seu pranto não vai nada ajudar Eu já convidei para dançar, é hora, já sei, de aproveitar Lá fora, amor, uma rosa nasceu, todo mundo sambou, uma estrela caiu Eu bem que mostrei… Read More Carolina

Caruso

Se todos os astros do mundo num certo momento caíssem no chão Toda uma série de estrelas, de poeira descarregada dos céus Mas os céus sem os teus olhos já não brilharão. Se todos os homens do mundo levantassem a cabeça E saíssem voando, sem explicação Sem a sua bagunça, seu doloroso barulho Não pulsaria… Read More Caruso

Casa de João Rosa

Casa de João de Rosa Rosa de João João que levantou a casa No boqueirão João que fez aquela casa Rosa fez questão A casa de botão de Rosa Que é de João Rosa aconchegou a casa Casa de joão-de-barro, a concha cor de Rosa Não tem portão João mandou fazer pra Rosa Forro de… Read More Casa de João Rosa

Cecília

Quantos artistas Entoam baladas Para suas amadas Com grandes orquestras Como os invejo Como os admiro Eu, que te vejo E nem quase respiro Quantos poetas Românticos, prosas Exaltam suas musas Com todas as letras Eu te murmuro Eu te suspiro Eu, que soletro Teu nome no escuro Me escutas, Cecília? Mas eu te chamava… Read More Cecília

Chão de Esmeraldas

Me sinto pisando Um chão de esmeraldas Quando levo meu coração À Mangueira Sob uma chuva de rosas Meu sangue jorra das veias E tinge um tapete Pra ela sambar É a realeza dos bambas Que quer se mostrar Soberba, garbosa Minha escola é um catavento a girar É verde, é rosa Oh, abre alas… Read More Chão de Esmeraldas

Choro Bandido

Mesmo que os cantores sejam falsos como eu Serão bonitas, não importa São bonitas as canções Mesmo miseráveis os poetas Os seus versos serão bons Mesmo porque as notas eram surdas Quando um deus sonso e ladrão Fez das tripas a primeira lira Que animou todos os sons E daí nasceram as baladas E os… Read More Choro Bandido

Ciao Ciao Addio

Ciao ciao addio Ti ricorderò Tu sarai per me La canzone più bella Che non scriverò mai Essere mia Non potrai mai più Ma negli occhi tuoi E’ rimasta una stella Non la spegnere mai Sai non è proibito Pensare che ti ha tanto amato Non è proibito sognare che ci son delle navi nel… Read More Ciao Ciao Addio

Ciranda da Bailarina

Procurando bem Todo mundo tem pereba Marca de bexiga ou vacina E tem piriri, tem lombriga, tem ameba Só a bailarina que não tem E não tem coceira Verruga nem frieira Nem falta de maneira Ela não tem Futucando bem Todo mundo tem piolho Ou tem cheiro de creolina Todo mundo tem um irmão meio… Read More Ciranda da Bailarina

Cobra de Vidro

Aos quatro cantos o seu corpo Partido Banido Aos quatro ventos os seus quartos Seus cacos De vidro O seu veneno incomodando A tua honra O teu verão Presta atenção Aos quatro cantos suas tripas De graça De sobra Aos quatro ventos os seus quartos Deus cacos De cobra O seu veneno arruinando A tua… Read More Cobra de Vidro

Com Açúcar, Com Afeto

Com açúcar, com afeto, fiz seu doce predileto Pra você parar em casa, qual o quê! Com seu terno mais bonito, você sai, não acredito Quando diz que não se atrasa Você diz que é um operário, sai em busca do salário Pra poder me sustentar, qual o quê! No caminho da oficina, há um… Read More Com Açúcar, Com Afeto

Como Um Samba de Adeus

Quanto tempo Mina d’água do meu canto Manso Piano e voz Vento Campo Dentro Antro Onde reside o lamento Preto Da minha voz Tanto Tempo Como nunca mais, eu penso Como um samba de adeus Com que jeito acenar O meu lenço Branco Quanto tempo Pode durar um espanto Onde lançar a voz Tempo Tanto

Construcao

Amou daquela vez Como se fosse a última Beijou sua mulher Como se fosse a última E cada filho seu Como se fosse o único E atravessou a rua Com seu passo tímido Subiu a construção Como se fosse máquina Ergueu no patamar Quatro paredes sólidas Tijolo com tijolo Num desenho mágico Seus olhos embotados… Read More Construcao

Cordão

Ninguém Ninguém vai me segurar Ninguém há de me fechar As portas do coração Ninguém Ninguém vai me sujeitar A trancar no peito a minha paixão Eu não Eu não vou desesperar Eu não vou renunciar Fugir Ninguém Ninguém vai me acorrentar Enquanto eu puder cantar Enquanto eu puder sorrir Ninguém Ninguém vai me ver… Read More Cordão

Corrente

Eu hoje fiz um samba bem pra frente Dizendo realmente o que é que eu acho Eu acho que o meu samba é uma corrente E coerentemente assino embaixo Hoje é preciso refletir um pouco E ver que o samba está tomando jeito Só mesmo embriagado ou muito louco Pra contestar e pra botar defeito… Read More Corrente

Cotidiano

Todo dia ela faz tudo sempre igual Me sacode às seis horas da manhã Me sorri um sorriso pontual E me beija com a boca de hortelã Todo dia ela diz que é pr'eu me cuidar E essas coisas que diz toda mulher Diz que está me esperando pro jantar E me beija com a… Read More Cotidiano

De Todas as Maneiras

De todas as maneiras que há de amar Nós já nos amamos Com todas as palavras feitas pra sangrar Já nos cortamos Agora já passa da hora, tá lindo lá fora Larga a minha mão, solta as unhas do meu coração Que ele está apressado E desanda a bater desvairado Quando entra o verão De… Read More De Todas as Maneiras

Deixe a Menina

Não é por estar na sua presença Meu prezado rapaz Mas você vai mal Mas vai mal demais São dez horas, o samba tá quente Deixe a morena contente Deixe a menina sambar em paz Eu não queria jogar confete Mas tenho que dizer Cê tá de lascar Cê tá de doer E se vai… Read More Deixe a Menina

Desafio do Malandro

– Você tá pensando que é da alta sociedade Ou vai montar exposição de souvenir de gringo Ou foi fazer a fé no bingo em chá de caridade Eu não sei não , eu não sei não Só sei que você vem com five o’clock, very well, my friend A curriola leva um choque, nego… Read More Desafio do Malandro

Desalento

Sim, vai e diz Diz assim Que eu chorei Que eu morri De arrependimento Que o meu desalento Já não tem mais fim Vai e diz Diz assim Como sou Infeliz No meu descaminho Diz que estou sozinho E sem saber de mim Diz que eu estive por pouco Diz a ela que estou louco… Read More Desalento

Desembolada

Lindalva: Eu sou uma grande menina Sou uma mulher e tanto Eu não vou cair em pranto Por coisa tão pequenina Beto: Disfarça no dedilhado Que esse verso tão maroto Lindalva: Olha só a cara do roto Falando do esfarrapado Beto: Pra quem quer tirar um côco Você começou errado Éé o estrangeiro engasgado Com… Read More Desembolada

Desencanto

Leve então O resto desta ilusão E todos os cuidados meus Brinquedos dos caprichos É pena porque foi tão lindo amar Sentir você sonhar tão junto a mim, Ouvir tanta promessa, Fazer tanta esperança, Pra hoje ver lembrança, tudo enfim Nâo passou De um triste desencanto, amor, E desde então eu canto a dor Que… Read More Desencanto

Desencontro

A sua lembrança me dói tanto Eu canto pra ver Se espanto esse mal Mas só sei dizer Um verso banal Fala em você Canta você É sempre igual Sobrou desse nosso desencontro Um conto de amor Sem ponto final Retrato sem cor Jogado aos meus pés E saudades fúteis Saudades frágeis Meros papéis Não… Read More Desencontro

Deus Lhe Pague

Por esse pão pra comer, por esse chão pra dormir A certidão pra nascer, e a concessão pra sorrir Por me deixar respirar, por me deixar existir Deus lhe pague Pelo prazer de chorar e pelo “estamos aí” Pela piada no bar e o futebol pra aplaudir Um crime pra comentar e um samba pra… Read More Deus Lhe Pague

Doze Anos

Ai, que saudades que eu tenho Dos meus doze anos Que saudade ingrata Dar banda por aí Fazendo grandes planos E chutando lata Trocando figurinha Matando passarinho Colecionando minhoca Jogando muito botão Rodopiando pião Fazendo troca-troca Ai, que saudades que eu tenho Duma travessura Um futebol de rua Sair pulando muro Olhando fechadura E vendo… Read More Doze Anos

Dr. Getúlio

Foi o chefe mais amado da nação Desde o sucesso da revolução Liderando os liberais Foi o pai dos mais humildes brasileiros Lutando contra grupos financeiros E altos interesses internacionais Deu início a um tempo de transformações Guiado pelo anseio de justiça E de liberdade social E depois de compelido a se afastar Voltou pelos… Read More Dr. Getúlio

Dueto

Consta nos astros, nos signos, nos búzios Eu li num anúncio, eu vi no espelho, tá lá no evangelho, garantem os orixás Serás o meu amor, serás a minha paz Consta nos autos, nas bulas, nos dogmas Eu fiz uma tese, eu li num tratado, está computado nos dados oficiais Serás o meu amor, serás… Read More Dueto

Dura na Queda

Perdida Na avenida Canta seu enredo Fora do carnaval Perdeu a saia Perdeu o emprego Desfila natural Esquinas Mil buzinas Imagina orquestras Samba no chafariz Viva a folia A dor não presta Felicidade, sim O sol ensolarará a estrada dela A lua alumiará o mar A vida é bela O sol, a estrada amarela E… Read More Dura na Queda

E Se…

E se o oceano incendiar E se cair neve no sertão E se o urubu cocorocar E se o Botafogo for campeão E se o meu dinheiro não faltar E se o delegado for gentil E se tiver bife no jantar E se o carnaval cair em abril E se o telefone funcionar E se… Read More E Se…

É Tão Simples

Quero mais Quero mais É tão simples abusar do meu espírito ingênuo Já passaram mil romances, caravanas, sentimentos Desarvorados Num tempo sublime Do verbo amar. Amarei aquele que chegou Pra não partir jamais Partiu Agora eu quero mais

Ela é Dançarina

O nosso amor é tão bom O horário é que nunca combina Eu sou funcionário Ela é dançarina Quando pego o ponto Ela termina Ou: quando abro o guichê É quando ela abaixa a cortina Eu sou funcionário Ela é dançarina Abro o meu armário Salta serpentina Nas questões de casal Não se fala mal… Read More Ela é Dançarina

Embarcação

Sim, foi que nem um temporal Foi um vaso de cristal Que partiu dentro de mim Ou quem sabe os ventos Pondo fogo numa embarcação Os quatro elementos Num momento de paixão Deus, eu pensei que fosse Deus E que os mares fossem meus Como pensam os ingleses Mel, eu pensei que fosse mel E… Read More Embarcação

Embebedado

Pendurado de banda No vão da varanda Do prédio a rodar, Não sei mais se é o mundo Que cai aos meus pés Ou de pernas pro ar; Embebedado de você. Tonto na beirada da Tentação de cair e voar, Até me aninhar em você, Mal parado num muro Sem prumo, em que estudo Onde… Read More Embebedado

Ensaio Geral

O Rancho do Novo Dia O Cordão da Liberdade E o Bloco da Mocidade Vão sair no carnaval É preciso ir à rua Esperar pela passagem É preciso ter coragem E aplaudir o pessoal O Rancho do Novo Dia Vem com mais de mil pastoras Todas elas detentoras De um sorriso sem igual O Cordão… Read More Ensaio Geral

Esconde-Esconde

CRIANÇAS Esconde-esconde Cabra-cega Tá aqui? ou lá? Esconde-esconde Cabra-cega Vai sair um refrega GATA Venha, venha, quem me pega Tou escondida aqui na adega E assim que você chega Se você não pára Vai pensar Que tem uma bruxa que te arranha bem na cara CRIANÇAS Tá esquentando Tá esfriando Cadê? Cadê? Esconde-esconde Bicho-papão Vai… Read More Esconde-Esconde

Essa Moça Tá Diferente

Essa moça tá diferente Já não me conhece mais Está pra lá de pra frente Está me passando pra trás Essa moça tá decidida A se supermodernizar Ela só samba escondida Que é pra ninguém reparar Eu cultivo rosas e rimas Achando que é muito bom Ela me olha de cima E vai desinventar o… Read More Essa Moça Tá Diferente

Estação Derradeira

Rio de ladeiras Civilização encruzilhada Cada ribanceira é uma nação À sua maneira Com ladrão Lavadeiras, honra, tradição Fronteiras, munição pesada São Sebastião crivado Nublai minha visão Na noite da grande Fogueira desvairada Quero ver a Mangueira Derradeira estação Quero ouvir sua batucada, ai, ai Rio do lado sem beira Cidadãos Inteiramente loucos Com carradas… Read More Estação Derradeira

Estamos Aí

Estamos aí Gente amiga que muito se quer Estamos aí Pro que der e vier Estamos aí Pro amor e pra desilusão Mas como é bom cantar Multiplicar a magia de cada canção Música Como é bom cantar Música Deixa pensar Que pra amar é preciso fingir Deixa dizer Que é preciso mentir Deixa falar… Read More Estamos Aí

Eu te amo

Ah, se já perdemos a noção da hora Se juntos já jogamos tudo fora Me conta agora como hei de partir Ah, se ao te conhecer Dei pra sonhar, fiz tantos desvarios Rompi com o mundo, queimei meus navios Me diz pra onde é que inda posso ir Se nós nas travessuras das noites eternas… Read More Eu te amo

Fado Tropical

Oh, musa do meu fado Oh, minha mãe gentil Te deixo consternado No primeiro abril Mas não sê tão ingrata Não esquece quem te amou E em tua densa mata Se perdeu e se encontrou Ai, esta terra ainda vai cumprir seu ideal Ainda vai tornar-se um imenso Portugal “Sabe, no fundo eu sou um… Read More Fado Tropical

Fantasia

E se, de repente A gente não sentisse A dor que a gente finge E sente Se, de repente A gente distraísse O ferro do suplício Ao som de uma canção Então, eu te convidaria Pra uma fantasia Do meu violão Canta, canta uma esperança Canta, canta uma alegria Canta mais Revirando a noite Revelando… Read More Fantasia

Feijoada Completa

Mulher Você vai gostar Tô levando uns amigos pra conversar Eles vão com uma fome que nem me contem Eles vão com uma sede de anteontem Salta cerveja estupidamente gelada prum batalhão E vamos botar água no feijão Mulher Não vá se afobar Não tem que pôr a mesa, nem dá lugar Ponha os pratos… Read More Feijoada Completa

Fica

Diz que eu não sou de respeito Diz que não dá jeito De jeito nenhum Diz que eu sou subversivo Um elemento ativo Feroz e nocivo Ao bem-estar comum Fale do nosso barraco Diga que é um buraco Que nem queiram ver Diga que o meu samba é fraco E que eu não largo o… Read More Fica

Flor da Idade

A gente faz hora, faz fila na vila do meio dia Pra ver Maria A gente almoça e só se coça e se roça e só se vicia A porta dela não tem tramela A janela é sem gelosia Nem desconfia Ai, a primeira festa, a primeira fresta, o primeiro amor Na hora certa, a… Read More Flor da Idade

Folhetim

Se acaso me quiseres Sou dessas mulheres Que só dizem sim Por uma coisa à toa Uma noitada boa Um cinema, um botequim E, se tiveres renda Aceito uma prenda Qualquer coisa assim Como uma pedra falsa Um sonho de valsa Ou um corte de cetim E eu te farei as vontades Direi meias verdades… Read More Folhetim

Fora de Hora

Fora de hora o meu coração Pega a pensar no seu Será que ele também De mim não se esqueceu Será que embora um bom coração Deseja mal ao meu Será que diz que nem Sequer me conheceu Quando é tempo de serenar Quando é hora de recolher Por que vai e vem Na gente… Read More Fora de Hora

Forrobodó

Forrobodó é folguedo De reis Forrobodó de preto forro Tem o forrobodó na praia, iaiá Tem o forrobodó no morro Forrobodó de Dom Pedro É que nem Forrobodó do seu lacaio, ioiô Faz rebolar até um poste Não há quem não goste Do forrobodó Desopila o fígado É um santo remédio pro lumbago Previne distúrbios… Read More Forrobodó

Frevo Diabo

É bom, é brabo, é o frevo Diabo no corpo, torto, corpo Pára mais não Fogo no rabo de qualquer cristão Solta o frevo diabo e adeus procissão Pelo sinal da santa cruz pandemônio No dia da padroeira Não tem romeira, tem, são morenas Não tem novenas, diabo, a gente é feliz Não tem sermão,… Read More Frevo Diabo

Futuros Amantes

Não se afobe, não Que nada é pra já O amor não tem pressa Ele pode esperar em silêncio Num fundo de armário Na posta-restante Milênios, milênios No ar E quem sabe, então O Rio será Alguma cidade submersa Os escafandristas virão Explorar sua casa Seu quarto, suas coisas Sua alma, desvãos Sábios em vão… Read More Futuros Amantes

Geni E O Zepelin

De tudo que é nego torto Do mangue e do cais do porto Ela já foi namorada O seu corpo é dos errantes Dos cegos, dos retirantes É de quem não tem mais nada Dá-se assim desde menina Na garagem, na cantina Atrás do tanque, no mato É a rainha dos detentos Das loucas, dos… Read More Geni E O Zepelin

Gente Humilde

Tem certos dias Em que eu penso em minha gente E sinto assim Todo o meu peito se apertar Porque parece Que acontece de repente Como um desejo de eu viver Sem me notar Igual a tudo Quando eu passo no subúrbio Eu muito bem Vindo de trem de algum lugar E aí me dá… Read More Gente Humilde

Gota d'Água

Já lhe dei meu corpo Minha alegria Já estanquei meu sangue Quando fervia Olha a voz que me resta Olha a veia que salta Olha a gota que falta Pro desfecho da festa Por favor… Deixe em paz meu coração Que ele é um pote até aqui de mágoa E qualquer desatenção, faça não Pode… Read More Gota d'Água

Grande Hotel

Vens ao meu quarto de hotel Sem te anunciares sequer Com certeza esqueceste que és Que és uma senhora Vejo-te andar de tailleur Atravessando a novela Sentes prazer em falar De sentimentos de outrora Deito-me no canapé Não sem antes abrir a janela E ver tuas palavras ao léu Jogas conversa fora Sabes que estive… Read More Grande Hotel

Hino da Repressão

Se atiras mendigos No imundo xadrez Com teus inimigos E amigos, talvez A lei tem motivos Pra te confinar Nas grades do teu próprio lar Se no teu distrito Tem farta sessão De afogamento, chicote Garrote e punção A lei tem caprichos O que hoje é banal Um dia vai dar no jornal Se manchas… Read More Hino da Repressão

Hino de Duran

Se tu falas muitas palavras sutis Se gostas de senhas sussurros ardís A lei tem ouvidos pra te delatar Nas pedras do teu próprio lar Se trazes no bolso a contravenção Muambas, baganas e nem um tostão A lei te vigia, bandido infeliz Com seus olhos de raios X Se vives nas sombras freqüentas porões… Read More Hino de Duran

Homenagem ao Malandro

Eu fui fazer um samba em homenagem à nata da malandragem, que conheço de outros carnavais. Eu fui à Lapa e perdi a viagem, que aquela tal malandragem não existe mais. Agora já não é normal, o que dá de malandro regular profissional, malandro com o aparato de malandro oficial, malandro candidato a malandro federal,… Read More Homenagem ao Malandro

Imagina

Imagina Imagina Hoje à noite A gente se peder Imagina Imagina Hoje à noite A lua se apagar Quem já viu a lua cris Quando a lua começa a murchar Lua cris É preciso gritar e correr, socorrer o luar Meu amor Abre a porta pra noite passar E olha o sol Da manhã Olha… Read More Imagina

Injuriado

Se eu só lhe fizesse o bem Talvez fosse um vício a mais Você me teria desprezo por fim Porém não fui tão imprudente E agora não há francamente Motivo pra você me injuriar assim Dinheiro não lhe emprestei Favores nunca lhe fiz Não alimentei o seu gênio ruim Você nada está me devendo Por… Read More Injuriado

Iolanda

Esta canção nao é mais que mais uma canção Quem dera fosse uma declaração de amor Romântica, sem procurar a justa forma Do que lhe vem de forma assim tão caudalosa Te amo, te amo, eternamente te amo Se me faltares, nem por isso eu morro Se é pra morrer, quero morrer contigo Minha solidão… Read More Iolanda

Iracema Voou

Iracema voou Para a América Leva roupa de lã E anda lépida Vê um filme de quando em vez Não domina o idioma inglês Lava chão numa casa de chá Tem saído ao luar Com um mímico Ambiciona estudar Canto lírico Não dá mole pra polícia Se puder, vai ficando por lá Tem saudade do… Read More Iracema Voou

Januária

Toda gente homenageia Januária na janela Até o mar faz maré cheia Pra chegar mais perto dela O pessoal desce na areia E batuca por aquela Que malvada se penteia E não escuta quem apela Quem madruga sempre encontra Januária na janela Mesmo o sol quando desponta Logo aponta os lábios dela Ela faz que… Read More Januária

Joana Francesa

Tu ris, tu mens trop Tu pleures, tu meurs trop Tu as le tropique Dans le sang et sur la peau Geme de loucura e de torpor Já é madrugada Acorda, acorda, acorda, acorda, acorda Mata-me de rir Fala-me de amor Songes et mensonges Sei de longe e sei de cor Geme de prazer e… Read More Joana Francesa

Joao e Maria

Agora eu era o herói E o meu cavalo só falava inglês A noiva do cowboy era você além das outras três Eu enfrentava os batalhões, os alemães e seus canhões Guardava o meu bodoque e ensaiava o rock para as matinês Agora eu era o rei Era o bedel e era também juiz E… Read More Joao e Maria

Jorge Maravilha

E nada como um tempo após um contratempo Pro meu coração E não vale a pena ficar, apenas ficar Chorando, resmungando, até quando, não, não, não E como já dizia Jorge Maravilha Prenhe de razão Mais vale uma filha na mão Do que dois pais voando Você não gosta de mim, mas sua filha gosta… Read More Jorge Maravilha

Juca

Juca foi autuado em flagrante Como meliante Pois sambava bem diante Da janela de Maria Bem no meio da alegria A noite virou dia O seu luar de prata Virou chuva fria A sua serenata Não acordou Maria Juca ficou desapontado Declarou ao delegado Não saber se amor é crime Ou se samba é pecado… Read More Juca

Lábia

Mas nem cantor incendiário Ataca à queima-roupa a canção Há sempre um tempo, um batimento Um clima que a introduz Que nem abelha ronda a flor Que nem dá voltas ao redor Da lâmpada, ao redor da lâmpada O bicho-da-luz Nem pode à meia-noite Abrir um sol a pino de supetão Nas noites em câmera… Read More Lábia

Lendas Brasileiras

Dizem lendas que um labro marador Viu num luzeiral a Saruí Tendo ao lado dela Um Par da França Com a lança e o elmo em fogo de Santelmo Vendo o marador a meiga Saruí Transtornou-se em flor de cambuci Tingida de aniz marijuana Que azimbra as Malvinas das iguanas… Ah, o arco-íris virou quebra-luz… Read More Lendas Brasileiras

Levantados do Chão

Como então? Desgarrados da terra? Como assim? Levantados do chão? Como embaixo dos pés uma terra Como água escorrendo da mão? Como em sonho correr numa estrada? Deslizando no mesmo lugar? Como em sonho perder a passada E no oco da Terra tombar? Como então? Desgarrados da terra? Como assim? Levantados do chão? Ou na… Read More Levantados do Chão

Leve

Não me leve a mal Me leve à toa pela última vez A um quiosque, ao planetário Ao cais do porto, ao paço O meu coração, meu coração Meu coração parece que perde um pedaço, mas não Me leve a sério Passou este verão Outros passarão Eu passo Não se atire do terraço, não arranque… Read More Leve

Linha de Montagem

Linha linha de montagem A cor a coragem Cora coração Abecê abecedário Ópera operário Pé no pé no chão Eu não sei bem o que seja Mas sei que seja o que será O que será que será que se veja Vai passar por lá Pensa pensa pensamento Tem sustém sustento Fé café com pão… Read More Linha de Montagem

Logo Eu?

Essa morena quer me transtornar Chego em casa, me condena Me faz fita, me faz cena Até cansar Logo eu, bom indivíduo Cumpridor fiel e assíduo Dos deveres do meu lar Essa garota de mansinho me conquista Vai roubando gota a gota Esse meu sangue de sambista Essa menina quer me transformar Chego em casa,… Read More Logo Eu?

Ludo Real

Que nobreza você tem Que seus lábios são reais Que seus olhos vão além Que uma noite faz o bem E nunca mais Que salta de sonho em sonho E não quebra telha Que passa através do amor E não se atrapalha Que cruza o rio E não se molha Ê, ê, ê andaia A… Read More Ludo Real

Luísa

Por ela é que eu faço bonito Por ela é que eu faço o palhaço Por ela é que saio do tom E me esqueço no tempo e no espaço Quase levito Faço sonhos de crepon E quando ela está nos meus braços As tristezas parecem banais O meu coração aos pedaços Se remenda prum… Read More Luísa

Madalena Foi Pro Mar

Madalena foi pro mar E eu fiquei a ver navios Quem com ela se encontrar Diga lá no alto mar Que é preciso voltar já Pra cuidar dos nossos filhos Pra zombar dos olhos meus No alto mar a vela acena Tanto jeito tem de adeus Tanto adeus de Madalena É preciso não chorar Maldizer,… Read More Madalena Foi Pro Mar

Malandro Quando Morre

Cai no chão Um corpo maltrapilho Velho chorando Malandro do morro era seu filho Lá no morro De amor o sangue corre moça chorando Que o verdadeiro amor sempre é o que morre Menino quando morre vira anjo Mulher vira um flor no céu Pinhos chorando Malandro quando morre Vira samba

Mambembe

No palco, na praça, no circo, num banco de jardim Correndo no escuro, pichado no muro Você vai saber de mim Mambembe, cigano Debaixo da ponte Cantando Por baixo da terra Cantando Na boca do povo Cantando Mendigo, malandro, muleque, mulambo bem ou mal Cantando Escravo fugido, um louco varrido Vou fazer meu festival Mambembe,… Read More Mambembe

Mambordel

O rei pediu quartel Foi proclamada a república Neste bordel Eu vou virar artista Ficar famosa, falar inglês Autografar com as unhas Eu vou, nas costas do meu freguês Eu cobro meia entrada Da estudantada que não tem vez Aqui no meu teatro Grupo de quatro paga por três O rei pediu quartel Foi proclamada… Read More Mambordel

Mano a Mano

Meu pára-choque com seu pára-choque Era um toque Era um pó que era um só Eu e meu irmão Era porreta Carreta parelha a carreta Dançando na reta Meu irmão Na beira de estrada valeu O que era dele era meu Eu era ele Ele era eu Ela era estrela Era flor do sertão Era… Read More Mano a Mano

Meia-Noite

Se a noite não tem fundo O mar perde o valor Opaco é o fim do mundo Pra qualquer navegador Que perde o oriente E entra em espirais E topa pela frente Um contingente Que ele já deixou pra trás Os soluços dobram tão iguais Seus rivais, seus irmãos Seu navio carregado de ideais Que… Read More Meia-Noite

Meu Caro Amigo

Meu caro amigo me perdoe, por favor Se eu não lhe faço uma visita Mas como agora apareceu um portador Mando notícias nessa fita Aqui na terra tão jogando futebol Tem muito samba, muito choro e rock'n'roll Uns dias chove, noutros dias bate sol Mas o que eu quero é lhe dizer que a coisa… Read More Meu Caro Amigo

Meu Caro Amigo

Meu caro amigo me perdoe, por favor Se eu não lhe faço uma visita Mas como agora apareceu um portador Mando notícias nessa fita Aqui na terra tão jogando futebol Tem muito samba, muito choro e rock’n’roll Uns dias chove, noutros dias bate sol Mas o que eu quero é lhe dizer que a coisa… Read More Meu Caro Amigo

Meu Caro Barão

Onde quer que esteja Meu caro Barão São Brás o proteja O santo dos ladrão Tava na faxina Do seu caminhão Vi essa maquina De escrever no chão Escovei a nega Lavei com sabão Deu uma cocega Nos calo da mão Pronto Ponto Tracinho, tração Linha Margem Meu caro Ba… Vire a pagina Continuação Ai,… Read More Meu Caro Barão

Meu Namorado

Ele vai me possuindo Não me possuindo Num canto qualquer É como as águas fluindo Fluindo até o fim É bem assim que ele me quer Meu namorado Meu namorado Minha morada É onde for morar você Ele vai me iluminando Não me iluminando Um atalho sequer Sei que ele vai me guiando Guiando de… Read More Meu Namorado

Meu Refrão

Quem canta comigo, canta o meu refrão Meu melhor amigo é meu violão Meu melhor amigo é meu violão Já chorei sentido de desilusão Hoje estou crescido Já não choro não Já brinquei de bola, já soltei balão Mas tive que fugir da escola Pra aprender a lição Quem canta comigo, canta o meu refrão… Read More Meu Refrão

Mulheres de Atenas

Mirem-se no exemplo Daquelas mulheres de Atenas Vivem pros seus maridos Orgulho e raça de Atenas Quando amadas se perfumam Se banham com leite, se arrumam Suas melenas Quando fustigadas não choram Se ajoelham, pedem imploram Mais duras penas, cadenas Mirem-se no exemplo Daquelas mulheres de Atenas Sofrem pros seus maridos Poder e força de… Read More Mulheres de Atenas

O Meu Amor

O meu amor tem um jeito manso que é só seu E que me deixa louca quando me beija a boca A minha pele toda fica arrepiada E me beija com calma e fundo Até minh'alma se sentir beijada O meu amor tem um jeito manso que é só seu Que rouba os meus sentidos,… Read More O Meu Amor

O Meu Guri

Quando, seu moço Nasceu meu rebento Não era o momento Dele rebentar… Já foi nascendo Com cara de fome E eu não tinha nem nome Prá lhe dar… Como fui levando Não sei lhe explicar… Fui assim levando Ele a me levar… E na sua meninice Ele um dia me disse Que chegava lá… Olha… Read More O Meu Guri

O Que Será

O que será, que será? Que andam suspirando pelas alcovas Que andam sussurrando em versos e trovas Que andam combinando no breu das tocas Que anda nas cabeças anda nas bocas Que andam acendendo velas nos becos Que estão falando alto pelos botecos E gritam nos mercados que com certeza Está na natureza Será, que… Read More O Que Será

Olhos Nos Olhos

Quando você me deixou, meu bem Me disse pra ser feliz e passar bem Quis morrer de ciúme, quase enlouqueci Mas depois, como era de costume, obedeci Quando você me quiser rever Já vai me encontrar refeita, pode crer Olhos nos olhos Quero ver o que você faz Ao sentir que sem você eu passo… Read More Olhos Nos Olhos

Roda Viva

Tem dias que a gente se sente Como quem partiu ou morreu A gente estancou de repente Ou foi o mundo então que cresceu… A gente quer ter voz ativa No nosso destino mandar Mas eis que chega a roda viva E carrega o destino prá lá … Roda mundo, roda gigante Roda moinho, roda… Read More Roda Viva

Tatuagem

Quero ficar no teu corpo Feito tatuagem Que é prá te dar coragem Prá seguir viagem Quando a noite vem… E também prá me perpetuar Em tua escrava Que você pega, esfrega Nega, mas não lava… Quero brincar no teu corpo Feito bailarina Que logo se alucina Salta e te ilumina Quando a noite vem…… Read More Tatuagem

Todo Sentimento

Preciso não dormir Até se consumar O tempo da gente Preciso conduzir Um tempo de te amar Te amando devagar e urgentemente Pretendo descobrir No último momento Um tempo que refaz o que desfez Que recolhe todo sentimento E bota no corpo uma outra vez Prometo te querer Até o amor cair Doente, doente Prefiro… Read More Todo Sentimento