Faça o download do App do Análise de Letras para Android! É grátis!


Últimas Análises

Geni era uma pessoa (mulher ou travesti) que por seu comportamento alheio as convenções da sociedade em que vivia era interpretada como promíscua e imoral. Suas companhias "desde menina" foram os pobres e toda a sorte de discriminados sociais. Quando chega o comandante, o autor conta de seu segredo: "Acontece que a donzela – e isso era segredo dela". Apesar de suas companhias e de sua alma livre, ela preservara sua inocência, mas, apesar de ir contra seus anseios, ela aceita se entregar pelo bem da cidade, que não lhe reserva se quer gratidão por seu sacrifício e continua a "atirar-lhe pedras. Simplesmente fala sobre preconceitos, injustiça e ingratidão.
Muitas interpretações esta letra oferece, mas interessante é ver as pessoas interpretá-la, como se estivesse isenta da "Geni" que vive em cada um de nós, é ...é difícil admitir né!!! Mas é melhor se policiar, ao invés de criticar e interpretar só o que te parece ausente a sua pessoa, jogar pedra sempre é mais fácil do que recebê-las....
Analise formalista russo
Eu sempre achei que ele falava do mesmo operário, visto por 3 pontos de vista diferentes. O primeiro, a realidade: "Amou daquela vez Como se fosse a última Beijou sua mulher Como se fosse a última E cada filho seu Como se fosse o único" - Mostra a pureza do amor que ele sentia pela família. "E atravessou a rua Com seu passo tímido" - Por ser operário, de uma classe social mais "baixa" ele andava com a cabeça baixa, envergonhado, recebendo um salário de miséria. "Subiu a construção Como se fosse máquina" - Mesmo assim trabalhava arduamente. "Comeu feijão com arroz Como se fosse um príncipe" - Como era só o que tinha pra comer, ele comia achando a melhor coisa do mundo. "Dançou e gargalhou Como se ouvisse música E tropeçou no céu Como se fosse um bêbado E flutuou no ar Como se fosse um pássaro" - Mesmo sem música ele ainda dançou e gargalhou, o tropeço é comum para os bêbados e os pássaros 'flutuam' no ar, pra mim essas comparações reforçam a visão da 'realidade' "Morreu na contramão Atrapalhando o tráfego…" - Mais uma vez, a realidade. O corpo dele estirado no chão teve como efeito prático a interrupção do tráfego. A segunda visão é a visão preconceituosa de um integrante de uma classe superior: "Amou daquela vez Como se fosse o último Beijou sua mulher Como se fosse a única" - A relação do casal era profana, recheada de traições de ambos os lados, desmoralizando o operário. "E atravessou a rua Com seu passo bêbado Subiu a construção Como se fosse sólido" - Saiu de casa já bêbado e fingiu estar sóbrio pra chegar no trabalho (isso explica porque caiu lá de cima) "Sentou prá descansar Como se fosse um príncipe Comeu feijão com arroz Como se fosse o máximo" - "quem é ele pra 'descansar'?? E ainda achou bom comer feijão com arroz!" Soa como uma madame comentando o caso. "E se acabou no chão Feito um pacote tímido Agonizou no meio Do passeio náufrago Morreu na contramão Atrapalhando o público…" - acabou reduzido à sua desimportância social. Atrapalhou o público, chocou a tradicional família e assustou as criancinhas. Já o terceiro ponto de vista, não conseguiria dar um nome pra ele. Sempre me pareceu como alguém que vê o operário como uma máquina, não como uma pessoa. "Amou daquela vez Como se fosse máquina Beijou sua mulher Como se fosse lógico Ergueu no patamar Quatro paredes flácidas" - Tudo funcionando numa rotina quase hipnotizante, elimina a dedicação do operário ao seu trabalho, como se o fizesse por obrigação e com má vontade. "E se acabou no chão Feito um pacote bêbado Morreu na contra-mão Atrapalhando o sábado…" - Mais uma vez a visão de que o operário era um bêbado e que sua vida valia menos que a calma do sábado das pessoas 'de bem'
preciso da explicação desse trecho da música ,Urgente!!!Hoje você é quem manda Falou, tá falado Não tem discussão, não. A minha gente hoje anda Falando de lado e olhando pro chão. Viu?
Acho que a letra diz sobre o amor de um homem por uma mulher que é original, de seu proprio jeito. Ela tem uma personalidade mutante, permitindo uma liberdade de olhares, como se fosse sua eterna mudança, opiniões que ela tem, como ela vê as situações e o mundo em volta dela. Ela muda de humor, ela chora qd ele canta para ela, mas também o sensura, ela lhe da atenção e o evita, ela é unica e o amor dele por ela aumenta por ela ser assim. Ela é calma e também é brava, é seria e alegre, empenhada e boemia. Ela é uma soma que o faz conhecer a ele mesmo à medida que a observa. Este amor o faz querer a ela - de tanto a amar ela acredita em seu amor. E os olhos dela se encontram quando eles se tornam intimos, unico momento em que ela se preenche por igual. Parece ser uma mulher unica, e, para ele, ela se torna a mais bonita. A que ele procura.
entendi que as mulheres tinham q fazer tudo o que os hoens queriam
Hugo Grassi Benevides Soares, fantástico, obrigado.
Mto boa
quero saber quais sao
amo chico e suas musicas
me ajudou bastante , obrigado aos interpretadores
"Tem dias que a gente se sente Como quem partiu ou morreu A gente estancou de repente Ou foi o mundo então que cresceu…" Essa parte retrata a guinada social e cultural que sofremos com a Ditadura Militar, fala do estacamento evolutivo. "A gente quer ter voz ativa No nosso destino mandar Mas eis que chega a roda viva E carrega o destino prá lá …" Essa parte mostra a censura que os militares impuseram sobre os artista e intelectuais, que até então, eram as vozes dos anseios sociais. "Roda mundo, roda gigante Roda moinho, roda pião O tempo rodou num instante Nas voltas do meu coração… A gente vai contra a corrente Até não poder resistir Na volta do barco é que sente O quanto deixou de cumprir Faz tempo que a gente cultiva A mais linda roseira que há Mas eis que chega a roda viva E carrega a roseira prá lá…" A segunda estrofe fala exatamente sobre a luta dos intelectuais corajosos em terem a voz ouvida, e retrata a retaliação sofrida pelos detentores do controle do Brasil, a parte da roseira é exatamente a evolução social e cultural que a sociedade brasileira havia iniciado, estancado de repente pela ditadura. "Roda mundo, roda gigante Roda moinho, roda pião O tempo rodou num instante Nas voltas do meu coração… A roda da saia mulata Não quer mais rodar não senhor Não posso fazer serenata A roda de samba acabou…" Retrata o principal direito tirado da população. "A gente toma a iniciativa Viola na rua a cantar Mas eis que chega a roda viva E carrega a viola prá lá… Roda mundo, roda gigante Roda moinho, roda pião O tempo rodou num instante Nas voltas do meu coração…" novamente traz a tona a tentativa de combate a censura intelectual. "O samba, a viola, a roseira Que um dia a fogueira queimou Foi tudo ilusão passageira Que a brisa primeira levou… No peito a saudade cativa Faz força pro tempo parar Mas eis que chega a roda viva E carrega a saudade prá lá …" É o sentimento da sociedade da época, demonstra a saudade dos tempos de liberdade.
Essa música sempre me deu a impressão de que o Chico está descrevendo três personagens diferentes.
soh quem viveu a época mencionada (1981) poderia dar essa interpretação.... eu imaginava que a letra seria a descrição romântica-subversiva da vida de uma prostituta que vaga pelas madrugadas boêmias do rio de janeiro (os letreiros a te colorir) e a quem chico amava, querendo arrancá-la dessa vida através de súplicas (dá tua mão, olha pra mim, não faz assim, não vai lah não); uma mulher muito bonita que acabou se acostumando à vida mundana, saindo "da sessão, frouxa de rir" e que acaba por viver a vida "um dia, depois de outro dia"