Zélia Duncan

O que mereço

Vem a noite como fosse um beijo doce, arde, arde
Arde a tarde como fosse o Sol

Faz calor e eu espero que esse céu desabe, desabe
Quem não sabe o rosto, sabe o véu

E eu só quero o que mereço
Nenhum mar a mais, nenhuma gota a menos
Nenhum grão a mais, nenhum deserto a menos

Faz um tempo e eu espero que esse nó desate, desate
Quem não sabe o doce, sabe o fel

E eu só quero o que mereço
Nenhum dia a mais, nenhum segundo a menos
Nenhum choro a mais, nenhum sorriso a menos
Nem qualquer palavra, nem um sentimento
Nem olhar pra trás, nem arrependimento

É uma pena que nós só nos conhecemos hoje
Já faz tempo que eu procuro por você

E eu só quero o que mereço
Nem final feliz, nem triste recomeço
Nem andar pensando em dar o outro passo
Nem ter que ficar medindo meu abraço
Nem olhar pro lado e ver a porta aberta
Nem pensar se eu escolhi a estrada certa

Vem a noite como fosse um beijo doce, arde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>