Balada pra João e Joana

Skank

1 comentários

Então os dois se acharam na escuridão
Ela com os pés no chão e ele não
Seu destino cego a lhes conduzir
Sua sorte à solta a lhes indicar um caminho
E dançavam lá em meio a tanta gente
Se encontraram ali

Djô Djô, o mundo está tão mau lá fora
Djô Djô, onde irão vocês agora

E tudo aconteceu
Quando as mãos se tocaram
Quando os olhos nem viram
Quando a noite chegou

Então eles se deram na convicção
Feitos um pro outro, mas por exclusão
Seu destino cego a lhes conduzir
Sua sorte à solta a lhes indicar um caminho
E dançavam lá em meio a tanta gente
Se encontraram ali

Djô Djô, cai um temporal lá fora
Djô Djô, onde irão vocês agora

E tudo aconteceu
Quando as mãos se tocaram
Quando os olhos nem viram
Quando a noite chegou

E tudo estremeceu
As paredes do tempo
Os telhados do mundo
As cidades do céu

Eram os dois avessos aos normais
Ela com os pés no chão, e o chão se abriu
Um abismo
E dançavam lá em meio a tanta gente
Se perderam ali

Djô Djô, nada pára, nada espera
Djô Djô, que o destino assim quisera

E tudo aconteceu
Quando as mãos se tocaram
Quando os olhos nem viram
Quando a noite chegou

E tudo estremeceu
As paredes do tempo
Os telhados do mundo
As cidades do céu



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Um comentário para a letra “Balada pra João e Joana

  1. Carlos Andrade disse:

    Para mim fala sobre John Lennon e Yoko Ono, com uma pitada de Ballad of John and Yoko.
    Se pensarmos em Get Back do Beatles, Paul diz “Get Back Jo Jo” com pronuncia de Djô Djô, e logo Lennon entra no solo.
    Sempre que ouço essa canção do Skank, no verso “E dançavam lá (ali)…”, vem na mente a cena de John e Yoko dançando no Central Park.
    O verso “Eram os dois avessos aos normais” eu vejo os 2 nus na capa do disco, “Djô Djô, que o destino assim quisera” o tiro fatal, “Os telhados do mundo” o show no telhado da Apple.